ACHEI ALGO PRA MIM FAZER!!!

Nenhum erro de português me irrita tanto quanto o linguajar Tarzan do povo.

Achei um site que fala legal a respeito disso. Vale a pena ler.

caso do MIM e do EU; do TU e do TE

É comum as pessoas dizerem:

Este livro é para mim ler.
Qual o equívoco? O certo é para eu ler. Simplesmente não observamos que o mim torna-se o sujeito de ler. Pelas leis da gramática, mim e te não funcionam como sujeitos da ação. Logo: Para eu fazer, para eu ler, para eu escrever. Mim e te não praticam ação. Logo, mim não passa no vestibular; mim não namora, mim não vai a jogo de futebol. Eu, sim, passo no vestibular. Estudo para eu passar no vestibular. Na verdade, isso parece língua de índio: Mim Jane, mim Tarzã...

Os alunos irão reclamar: Que diferença faz, todo o mundo entende quando a gente diz pra mim fazer? Ah, sim, vocês acham mesmo isso?

Então vejamos:

Imaginem que um colega faça o seguinte convite:


Vou-te convidar para tu comeres lá em casa.


Tu é sujeito de comer. Logo, praticará a ação de degustar o alimento cozido. Trata-se de pronome reto, digno feitor de ações. Trocando para o pronome oblíquo:


Vou-te convidar para te comer lá em casa.

Mudou alguma coisa? Penso que sim. Agora o convidado, de agente da ação de comer, passa a ser o cardápio. Moral da história: Quando convidarem vocês para comer, perguntem se é com o reto ou com o oblíquo. Gentilmente, vai-se primeiro com o reto e, depois, mete-se o oblíquo.

coladaweb

Abração que agora vou procurar algo pra mim fazer...tchau.

6 comentários:

Arsênico disse...

Também fico irado com formalidades de mais ou de menos... Mas essa realmente não pode passar batido!!!

Confesso que alguma vezes me causa confusão de pensamentos... e quando eu certo do que é certo... chega alguém de certa importância profissional e diz totalmente ao contrário... pronto... já confundiu minha cachola!

Mas um dia gravo corretamente essa gramática!

***

xD

Marcos Campos disse...

Boa, vou mostrar isso pra um cara que trabalha comigo, que tem esse discursinho "vc entendeu!", além de falar "quato" em vez de quatro, e plural ser uma coisa que ele nunca ouviu falar...KKK!!! Não, ele não é um senhor analfabeto, é um jovem de 22 anos! Que ja fez o 1º ano de facul!

Visão disse...

sempre falo que se conjuga verbo com pronome PESSOAL do caso RETO.
Mas é para ser cardápio de quem?
xorameliga! kkkkkkkkkkkkk

PS. Tu aceitou o comentário. Pinta-me de neon que eu estou bejein.
kkkkkkkkkkk

Lila disse...

Menino....tu conhece o quiZ? rsss
Bj

cantinho she disse...

Adorei esse post, pois tb sinto agonia e definitivamente mim não faz nada... outro erro que não aguento e qdo escrevem a gente junto, cacilda agente é o 007!
Affffff!
Beijo, beijo!
She.

Petro disse...

Rafael,
meu caru... tenho bastante adimiraçaum por ti, pelu que você escrevi, i pelas vezes que vinha aqui meiu tristi i dava uma rizadas i vortava pra cama bem legau. Contudu, mim colocu no direitu de naum gostar deste posti. Pur quê? Pela tristi maneira de pensar sobre a língua portugueza sem a mínima formaçaum científica, sem a menor compreenção da cultura indígena, di suas fala, du real funcionamentu do idioma. Sua forma de pençar sobre a língua portuguesa mim parece bastante deturpada, elitista i preconceituosa. É de fatu uma forma de excluir as pessoas, u outru. Do you mim comprends?
Cuandu você dis que mim naum servi, naum funsiona comu sujeitu, pur que mim naum realiza ação, queru só ver si você entendi esti enunciadu “Mim destesta saber que existi genti que exclui, que ignora u outro diferenti, qui fala i pensa acim comu você iscreveu [a verdade, isso parece língua de índio: Mim Jane, mim Tarzã...]
Só tenho uma sujestaum: leia um pouco mais sobri a cultura indíjena, a fala do índio... i perca esta visaum de europeu do século dizeseis, dizesete, dizoitu... Si vosmicê num sabe, a sua língua portugueza lindamente rejida pelas lei da gramática, até recentimenti semmana, prohibido, annuncios, contacto i tantas outras que antes eram certa i hoji são errada. Si eu fossi enumerar os “errus” que tu cometeu em somenti 3 posts aqui, eu paçaria horas frente au PC, mas num faço isso purque sei qui você tem muito mais qualidadis em suas ideias vistas naugumas publicaçaum du que simplismenti em errus de gramática normativa, elitista, dogmática, jurídica i separatista, senaum excludenti tambeim... Ah, antis que eu mi’squeça, sabe a diferença entre a estrutura da língua i a estrutura da física du homem? Enquantu o homem vai vivendu, seu corpu vai envelheceno, perdeno força, beleza, até eli morrer e naum mais ser ouvidu; a língua se dá ao contrariu: enquanto ela vai sendo menos gramaticalizada em norma e mais usada na fala, mais ela vivi, si renova, inova os saberes, si modifica para melhor... e ganha beleza purque comunica mais, aproxima mais seus falantis.
Para us leitores qui também concorda contigu, serve o recadu... segue uma diga... ler Drummond, Oswald de Andrade, ler Jorge Amado, L. Fagundis, H. Parente Cunha; ler Gilberto Freire, Paulo Freire, Lèvi-Strauss, Luis Fiorin, Eni Orlandi, M. Foucault... acho que dá para intender mió sobre cultura brasilera,língua, cultura dus indios,Bento Brado...

Pense(m) niço purque agora mim vou deitar...