EHHHHH ACABOU O ANO...

FELIZ NATAL A TODOS.

Terminamos mais uma jornada...amanhã se o mundo realmente não acabar, saio para o meu merecido descanso. Volto apenas em 2013...e aí, juntos, iniciamos uma nova era. 

Abração a todos vocês, caros amigos que me visitam, espero que a vida lhes proporcione tudo de bom no ano que inicia.

Abaixo, minha mensagem de fim de ano.




MEU TESTEMUNHO SOBRE DOR


A dor física para nós seres humanos algumas vezes transcende o limite do suportável. Existem varias dores, que incomodam, nos deixam mal humorados, sem vontade de nada, mas aqueles que nunca passaram por uma cólica renal, clamem a Deus, para que isso não os atinja.

Não minimizo as dores sentidas por paciente de câncer, por que além da dor, vem à incerteza de que aquilo tudo terá ou não um final feliz. Mas as cólicas renais são algo que te deixam fora de si, com uma ideia de que nunca, jamais aquilo terá fim. É o único momento em que você percebe que o tempo passa lentamente, segundo a segundo, os dias são intermináveis, e as noites uma tortura incomensurável.

Minhas cólicas começaram no sábado passado durante uma vista a Bienal de Artes de São Paulo que esse ano estava tão sem graça perto das anteriores que provavelmente tenha sido isso que movimentou minha pedra. Alias, há poucos meses num exame fiquei ciente que existiam 3 paradas no rim esquerdo. Portanto essa cólica medonha pode ter sido por apenas 1 delas ou as 3 ao mesmo tempo, por que sinceramente, acostumado que sou com as cólicas renais, dessa vez me senti arrasado pela dor.

Nada que tomasse ou fizesse de habito adiantou. Entrar na piscina, chás, suco de melancia, ou seja la o que mais me ajudava, dessa vez não teve resultado, pelo contrario, sinto até agora o rim dolorido pelos pulos dado dentro da piscina...rs ( se um medico ler, vai me achar um imbecil).

Na noite de quarta pra quinta, acordei suado, dolorido, com uma dor lancinante. Preocupado por que geralmente isso ocasiona idas ao hospital para soro e remédios. Deitei na sala encolhido. Dormi, sonhei e tive pesadelos, voltei pra cama, me estiquei como bife batido em tabua de carne e fiquei. Sei lá, desmaiei....rs rs rs. Dormi profundamente e acordei assustado com o despertador, e incrivelmente sem dor. Uma sensação estranha para quem na ultima semana a tinha de forma constante, 24 horas do dia, mesmo sob efeito de profenid, buscopan e outras drogas mais.

O rim está dolorido, isso é certeza, ao movimentar-me o sinto fisgar. A pedra desceu para bexiga, e la permanecerá até ser expelida em parto natural, o que deverá ocorrer nos próximos dias. O resultado dessa vez foi um buraco no estomago por conta das injeções ( que foram a única alternativa para me manter de pé), um asco, nojo e nauseante sensação para qualquer chá, de qualquer natureza. Uma ojeriza de suco de melancia e uma vontade de chorar que constantemente me abate. Deve ser por ter ficado fragilizado pela dor. E olha que não sou de chorar, nem de mimimi...então quando a poeira baixa a gente fica assim, destruído.

Mas finalmente a dor cessou. Graças a todos os santos e santas que clamei, as milhares de promessas rs rs rs. E obrigado aos que me confortaram enquanto reclamava nas redes sociais.

To bem, to trabalhando e não to pronto pra outra não. Que demorem muito tempo para se formarem. E as outras que estão la paradas, que fiquem por lá, e não deem as caras tão cedo.

Abração a todos e ótimo fim de semana.

A ESTANDARDIZAÇÃO DO MUNDO!!!

Vivemos uma era de estandardização das pessoas. Tudo é programado, igual e sem conteúdo. Vemos centenas de Neymares por ai, dentro da Neymarização do personagem. Molequinhos com cabelo identico, almejando um dia serem iguais a ele. Tá, mas quem o Neymar é para que seja reproduzido em serie? Um bom atleta, de apenas vinte e poucos anos. Capaz? Sim, faz um estrago com a bola. Mas e daí, o que ele oferece? Oferece a oportunidade de sonhar em ser rico e jovem,  pegar todas as “mulé” que o cara quiser. Acho, sem ser hipócrita, que se Neymar fosse um jovem escritor que publicou um best seller inteligente que ajudaria a milhares de adolescentes a ver o mundo por outro prima, algo mais proveitoso.

Não entendo a Ivete Sangalização também. Nesse caso não há tantos imitadores, mas a maçante exposição da cantora na mídia, na imprensa escrita, na propaganda, no selo da carta, na fita do modess, na haste de cotonete, no sabão, na Xuxa, no Luciano Hulk, na Eliana, na novela, no Faustão, na Palmirinha, no polyshop e no raio que o parta. Pra que isso? Ela vende bem pelo jeito, e por isso nos enfiam goela abaixo. Adorava Ivete, hoje cansei. Nem me fale em Claudia Leite, por que aí saio no braço.

As pessoas parecem Chaplin no filme “Tempos Modernos” repetindo a mesma coisa centenas de vezes. Viramos todos Memes de internet, viral. Se diz algo que agrada, em minutos Barack Obama estará discursando sobre o tema na Casa Branca. Assim os aproveitadores oportunistas (quase um pleonasmo), tipo Nana Golveia, se apoderam do veiculo internet e se mantem como foco, mesmo prestando-se ao ridículo. Pobre demais isso.

Mas não é só na mídia e no mundo internaltico...rs que isso anda acontecendo. As grandes empresas, principalmente, estão abarrotadas de estandardização de funcionários. Todos dizem as mesmas coisas, e mantem o mesmo comportamento ditado nas palestras de autoajuda que a “firma” paga para que o povo aprenda a trabalhar direitinho e evolua. Frases prontas repetidas à exaustão. Isso é chato demais. Havia um povo que trabalhava comigo, vindos de outra empresa que se associou por um período. Um povo de frases copiadas. Davam bom dia e perguntavam da sua vida sem te escutar de volta, mas faziam isso, por que algum palestrante disse que era legal e evolutivo portar-se assim. Sorrisos forçados, e gente sempre feliz. O que esses caras não explicam é que felicidade demais incomoda e parece superficial, hipócrita.

É estranha a forma que o comercio hoje age com o cliente. Já me irritavam os vendedores de sapataria te alçarem na calçada para entrar na loja, agora além de voarem em cima de você quando vira o olhar pra uma vitrine eles fazem questão de perguntar seu nome e apertar sua mão. Para! Para! Eu não quero dizer meu nome, nem apertar a mão que já cumprimentou centenas da mesma forma. Me deixem em paz, se precisar eu chamo! Não me venham com essa forma trabalhada em cursos preparatórios de funcionários venderem algo. Eu não gosto pronto!

Fui algumas vezes assistir essas palestras de motivação. Tenho uma amiga jornalista que nos dava convites. Aguentei até a terceira ( com pessoas diferentes palestrando) e não absorvi nada. Pra mim aquilo tudo soava como uma forma de fazer o empregado aceitar sua posição quieto. O mundo não é feito só de lideres. Onde ficaremos se todos quiserem mandar. Existe sim a premissa que alguns nascem pra mandar outros pra serem mandados. É assim que funciona, basta.

Abaixo a mecanização do ensino, a estandardização do jovem, a mesmice implantada no cérebro da criança quando ela vai para o infantil ou creche. Cadê a cultura,  alfabetização consciente, que trazia ao aluno aquilo que ele não tinha em casa.

Dessa forma continuaremos a dar medalhas de honra ao mérito para pessoas como Ronaldo Gaúcho, não é mesmo Academia Brasileira de Letras? Estou esperando a cerimonia em homenagem ao Tiririca, Gustavo Lima,  Joelma, e quem sabe Geyse Arruda, Universitária e midiática, como gosta de ser chamada.

Machado de Assis, por favor, não se vire tanto no caixão, uma hora dessas o povo acorda!

Abração e boa semana a todos.

A DECADÊNCIA DE UMA VOZ


No ultimo sábado fui a São Paulo assistir um dos shows da turnê paulistana de Zezé di Camargo e Luciano. Antes que alguém critique o dinheiro gasto num espetáculo desses, explico, fui de graça, ganhei ingresso, por que certamente não pagaria R$250,00 para um show sertanejo.

Enfim, fui e me espantei com algumas coisas. Primeira delas é a produção que envolve um evento desses. A grandiosidade do cenário é de cair o queixo. Devem gastar milhões para produzir algo de tamanho bom gosto, e fiquei sabendo que há outro idêntico viajando por aí. Há duas estruturas idênticas que circulam pelo Brasil. Enquanto estavam em SP o outro seria montado em alguma parte do país. Achei isso interessante, por que emprega muita gente já que são duas equipes distintas. Nem o cenário de Maria Rita para gravação de DVD foi tão grandioso como esse.

A segunda coisa a me impressionar foi à quantidade de pessoas. Casa lotada em quatro dias. Esgotados os ingressos há mais de um mês, e por consequência disso, voltam em janeiro para mais duas apresentações. Enquanto o CredCard Hall oferece a casa para uma banda como o Barão Vermelho tocar uma única noite, Zezé fecha a bilheteria em 6 apresentações abarrotadas de pessoas vestidas a caráter, chapéu de cowboy, vestidinhos periguete, e um coro uníssono que acompanha as musicas do passado e as mais recentes que não fazia ideia do que se tratava.

Nesse ponto tenho que fazer uma ressalva. Cantei 80 % do show...rs rs rs. Pois é, descobri que conhecia boa parte do repertorio. Não que isso me preocupe, mas me estranhou a ideia de conhecer Zeze e Luciano mesmo não sendo fã.

Mas a terceira e mais chocante percepção foi ver o quanto Zezé di Camargo perdeu a potencia da voz. Algo constrangedor em partes do show. Aquela voz limpa, de agudos perfeitos, se foi. Ele faz uma força absurda para tentar as notas mais altas e alguns momentos desafina e grita, sem que percebamos a nota cantada. É aflitiva a força que faz para cantar. Sai algumas vezes do palco e deixa Luciano sozinho, comandando a festa, que diga-se de passagem faz muito bem. Faz solo, divide uma das musicas com um backing vocal, e interage com o publico de maneira educada e carinhosa. A todo instante vai à ponta do palco pegar presentinhos das fãs, posa pra fotos, e manda beijo e acenos para todos que consegue enxergar. Como não era de se estranhar, Zezé em momento algum repete a intenção do irmão. Mantem-se no palco, preocupado com seus bíceps fortes apertados na camisa justa, que faz questão de flexiona-los para que o telão gigantesco mostre o quanto seu físico é trabalhado. Um narcisista. Troca de roupa varias vezes e parece um garoto de 20 anos. Mas infelizmente a voz se foi. Em estúdio conseguem manter o mesmo nível para os Cds, mas ao vivo a coisa é bem diferente. Creio que domingo no ultimo espetáculo devia estar afônico. A família Camargo estava lá, e no meio deles Zilu, a qual ele fez um agradecimento pelos filhos que ela lhe deu, causando um clima de desconforto na plateia, que deve saber muito mais que eu sobre os motivos da separação.

A dupla continua um fenômeno de publico, mas não sei até quando Zeze aguenta subir ao palco e cantar. Fiquei constrangido com algumas partes onde ele sussurrava inaudível as letras e em seguida tentava dar um agudo esganiçado. Lamentável mas esse ídolo já vive o crepúsculo do seu talento.

Bom meio de feriado a quem tem consciência negra...rs

Abração.

SIM, DEUS SEJA LOUVADO!



A procuradoria geral dos direitos do cidadão de São Paulo, órgão que responde ao Ministério Publico Federal, pediu a justiça Federal que determine a retirada da frase “Deus seja louvado” das cédulas de reais no Brasil. Um dos principais argumentos da ação é o de que o Estado brasileiro é laico e, portanto, deve estar completamente desvinculado de qualquer manifestação religiosa. Além disso, são lembrados princípios como o da igualdade e o da não exclusão das minorias para reforçar a tese de que a frase “Deus seja louvado” privilegia uma religião em detrimento das outras. 


Agora pergunto: não tem coisa mais importante nesse país para se preocupar do que a frase estampada nas notas? Pelo amor do próprio Deus citado, não há um mínimo de vergonha na cara desse povo que após tantos anos ( começou em 1986 a impressão da frase) se preocuparem com o estado laico, com os direitos das minorias. Vão se preocupar com a violência, com a extorsão de empresários pelas prefeituras do país, com a falta de dignidade nos hospitais onde mulheres dão a luz no chão. Preocupem-se com os drogados das cracolandias espalhadas pelo Brasil, com o povo que morre de sede no nordeste, com pessoas que não podem fazer tratamento de câncer pelo SUS por que não há remédio. Preocupem-se com a falta de ética dos políticos, com o frágil código penal, que condena um pústula a 10 e nove meses e a gente sabe que cumprirá apenas 1 ano por que assim determina o código penal. 




Vão atrás dos verdadeiros cancros da nossa sociedade que desviam dinheiro que salvaria vidas para suas contas em paraísos fiscais. Deem atenção a policiais que acabam criando milícias para ganhar dinheiro extra por que os salários são risíveis. Preocupem-se em extinguir a palhaçada das cotas em universidades, com as centenas de bolsas ajuda que transformam brasileiros em sangue sugas do governo. 

Deus está pouco se importando em ser mencionado nas cédulas de reais, essas mesmas que são trocadas por favores ilícitos, são desviadas da saúde publica, compram e corrompem pessoas. Essas cédulas que deveriam ser orgulho nacional e que vemos serem guardadas em cuecas por marginais de colarinho branco. 

Palhaçada é essa de direito de minorias? O direito a não acreditar em Deus? E o direito de 99% da população que crê? O estado é laico, mas também é sem vergonha, que permite a corrupção sob o seu nariz! 

Preocupemo-nos com coisas mais relevantes e deixemos o que já está, até imperceptível, quieto. 

O brasileiro está tão avido aos 15 minutos de fama que perde a razão e bom senso. Não acredito que ler numa cédula “Deus seja louvado” seja tão ofensivo como ler na manchete de jornal que centenas de pessoas têm sido assassinadas por que o governo não se prontifica em combater a violência. 

Hipocrisia, falta de decoro, demagogia, palhaçada e tudo mais que se possa arranjar de adjetivo para quem desvia atenção dos problemas reais. 

Deus seja louvado, Alá seja louvado, Oxalá seja louvado, Jeová seja louvado, Adonay seja louvado, El-Shadday seja louvado, Deus sol seja louvado, Zambi seja louvado e todas as manifestações que dão nome a um único Deus, o criador de tudo que para quem crê sabe de sua existência, e os que não creem, desculpem, problema é só de vocês...rs. 

Abraço a todos e ótimo feriadão. 


CADÊ A GRAÇA QUE TAVA AQUI? SEI LÁ, ROUBARAM....


Tenho minhas melancolias, mas não sou depressivo, por isso prefiro ria a chorar. Mas ultimamente é impossível não derramar lagrimas de tristeza pelo humor da nossa televisão brasileira. Os canais abertos nos presenteiam ( presente de grego) com o que acreditam ser “humor” e transformam momentos que deveriam agradáveis em sucessões de vergonhas alheias. Irei elencar, na minha opinião, os piores programas da nossa TV aberta e depois dizer o que há de bom na TV paga, que poucos infelizmente tem acesso nesse país.

1 – Empatados estão “ os caras de pau” e “aventuras do Didi”. Não suporto a gritaria de Leandro Hassum. Quem disse a esse cara que falar gritando é engraçado? Se deixar a TV ligada sem olhar é simplesmente insuportável manter o canal ligado. Ele berra o tempo todo, aliás os dois caras do programa e mais o elenco de apoio. Intolerável! Já o Sr. Renato Aragão, que é a forma como gosta de ser chamado, está tão sem graça quanto o elenco da praça é nossa. Juro que me constrange vê-lo repetir as mesmas piadas armadas de 30 anos atrás, com um elenco fraco, que permanecem ali por pura falta de oportunidade profissional e pra garantir o salario do mês. Não acredito que haja criança que assista a esses dois programas e goste. Chaves da mais ibope, certamente.



gritos desnecessários!!!









2 – A Grande Família: formula definitivamente desgastada pelo tempo. Não suporto mais Pedro Cardoso. Perdeu totalmente aquele lado engraçado do inicio do programa. Enfadonho, com atores que nota-se perfeitamente estão cansados. Nanini e Marieta Severo não aguentam mais. Infelizmente, contrato é contrato e eles são obrigados cumpri-los. A Globo tem medo de mexer naquilo que está estabilizado. Por mim deixaria que acabasse. Reprisa-lo no Canal Viva daria mais ibope.



3 – Não sei por que insistem em Fernanda Young para escrever series. Já tá mais que comprovado que não tem aquele apelo de bom gosto que mostrava em “Os normais”. Foi-se. De lá pra cá não acertou nenhuma e piorou, por que essa serie sobre o fim do mundo é constrangedoramente ruim. Não da...simplesmente não dá. Assim como “Louco por elas” e o decadente Zorra total que me privo de comentar por que faria um post só dele.

4 – Tapas e Beijos é a única coisa boa que se tem na TV relacionado à humor. Fantástico, ágil e doce. Fernanda Torres e Andréa Beltrão são deliciosamente malucas ao ponto de cada programa nos surpreender com seus humores rápidos e certeiros. O restante do elenco é bom por que se apoiam nelas.

5 – As outras emissoras nem dá pra comentar por que são tão ruins que não há classificação. Nem o Pânico na Band consegue uma notinha acima de 2,0...

6 – O que há de bom hoje está escondido nos canais pagos. O Multishow apresenta uma linha de novos talentos ( na verdade escondidos como roteiristas) com programas curtos e que fazem a diferença. Difícil elencar o melhor, mas sem duvida estão ali os melhores e mais ágeis profissionais do humor. A Globo poderia pegar o que já está pronto e jogar na TV aberta. Mas como diz um amigo: será que o povo entende esse humor? Não sei, estão acostumados com coisas tão sem nexo e mastigadas que um texto um pouco mais difícil talvez não caia na graça da massa. Triste isso.

7 – MTV tem pessoas boas em programas ruins. Acredito que só o Trolalá tem um formato engraçado. Marcelo Adnet é chato, mas muito chato, por que se acha “o cara”. Da pra ver que perdeu aquela coisa moleque, e virou estrela. O restante dá pro gasto. Destaco apenas Dani Calabresa que é um show a parte.

Queria sim um programa de mulheres com Dani Calabresa, Tatá Werneck, Miá, Nathalia Klein, e as moças do Olivias na TV. Seria algo sensacional. Essa homarada chata que não tem graça deveria dar espaço a elas, simples assim.

O que fazer então, rir do que está na internet. Destaco “ Porta dos fundos”. Excelente humor.

http://www.youtube.com/watch?v=Un4r52t-cuk&feature=channel&list=UL

É isso, fazer rir é muito mais difícil do que chorar, né Mauricio Sherman ? O Zorra Total é de nos deixar em prantos.

Abração e ótima semana.

AINDA NÃO ACREDITO EM JORGE!!!


Sou um telespectador noveleiro formado na escola Janete Clair e Dias Gomes de teledramaturgia, e conheço bem a formula por que nas últimas três décadas vi, ouvi, e li muito sobre o assunto. Por isso acho que posso opinar sobre os folhetins.

Ainda não consegui assistir Salve Jorge. Não por falta de tempo, mas por uma questão pessoal, não gostei da trama.

Gloria Peres adora chocar o publico com temas que estão escondidos na sordidez da sociedade. O sequestro de crianças, o alcoolismo juvenil, a imigração clandestina para países ricos. Até aí tudo bem, por que os assuntos interessavam por demais e ganharam pinceladas mais amenas da autora. Não que discutir o trafico internacional de pessoas não seja um assunto a ser colocado em pauta. Espero realmente que isso traga a luz os horrores da situação.

Mas penso o seguinte: será mesmo que existem meninas tão, tão inocentes que acreditam que alguém do nada vem lhe oferecer um emprego na Europa, ganhando um absurdo que nem uma pessoa doutorada ganha no Brasil? Passagens, estadias e milhões para gastar em roupas. Pelo amor de Deus, que família é essa que aceita algo desse tipo para sua filha de 16 ou 17 anos? Não é falta de informação por que a mídia tá aí jorrando desgraça diariamente. É sim oportunismo de alguns pais. E isso resulta na escravidão de suas filhas no estrangeiro. Claro que não é uma situação generalizada. Existem os sequestros que acabam na exploração sexual, e isso, ninguém pode fazer nada, além da policia.

Ver mulheres maltratadas e espancadas me agride. Ontem por alguns minutos deixei na Globo e infelizmente calhou de ser o momento em que Carolina Dieckmann estava sendo agredida. E por mais que não goste da atriz, o ato do espancamento de uma mulher, mesmo sendo ficção, me incomoda demais. Tirei do canal e conclui, Salve Jorge não me agrada.

Antes dessa cena apareceram os personagens principais anunciando o casamento. Rodrigo Lombardi no seu eterno “mesmo” personagem. Temo que no futuro seja um novo Nuno Leal Maia. Foi famoso enquanto jovem e um velho babão e mau ator. Não suporto aquela piscadinha lenta do Lombardi que fecha o olho pra falar. Isso é péssimo. Em companhia dele a atriz que considero o maior mico desde o cigano Igor de Explode Coração. Nanda Costa precisa de muito café com leite servido por Flavia Alessandra pra ganhar status de protagonista. Ela é visivelmente soberba e arrogante. Algo que transcende o personagem. Não gosto da atriz, não me simpatizo com ela e acho uma péssima escolha. Terá que lutar muito pra garantir que Glória Peres não tenha atirado no próprio pé. Marcio Garcia perdeu o lugar na ultima trama para o próprio Lombardi que roubou a cena. Pra alguém fazer o mesmo com Nanda Costa basta apenas ser mais simpática.

Sei que autores gostam de deixar marcas em suas tramas e fazer delas uma etiqueta que é reconhecida em qualquer canto. Gloria conseguiu implantar o seu estilo, parabéns a ela. Mas escolher os mesmos atores para tramas que tem a mesma espinha dorsal ( Brasil + qualquer lugar do mundo + um problema social) é errado, por que parece que vemos o mesmo personagem em cenário diferente. Exemplo disso é Antônio Calloni que parece estar representando o mesmo papel das ultimas três novelas de Gloria.

Sei da capacidade e do trabalho que dá escrever uma novela. Mas me cansa ver bordões “favelisticos” e baixaria de pobre berrando nos becos da periferia ( nos poucos momentos que passei pela novela, havia barracos desse tipo em cena). A classe C emergente tão bem representada em Avenida Brasil deixa sim saudade.

Gloria quer chocar nas primeiras semanas, quer que o publico se envolva nos problemas sociais da ficção, mas como disse, ver pessoas sofrendo e saber que serão 9 meses até todo mundo pagar pelos pecados é muito tempo de aflição. Num filme você vê atrocidades, mas em menos de uma hora satisfaz-se com o bandido preso ou morto pela policia.

Em minha opinião, há muito ainda pra Salvar Jorge...

Abração e ótima quarta feira a todos.

Ps.: adoro a Gloria Peres do Carioca do Pânico na Band.

O NOME DELE CRAIG: JAMES DANIEL CRAIG BOND!


As grandes produções do cinema sempre me empolgam pelo trailer, e via de regra são tão bons no cinema quanto suas chamadas.


James Bond sempre foi um personagem que me chamou atenção. Conclui desde cedo que Sean Connery era o agente encarnado e depois dele ninguém conseguiu ocupar a cena tão bem e tão convincente quanto ele.  O que sempre me divertia em 007 eram mirabolantes armas que o setor Q criava para ele. Sapatos que viravam telefone, goma de mascar que explodia, canetas microfone. Coisas que hoje em dia se cria rapidamente no fundo de um quintal. Me incomodava aquela cara blasé de sem vergonha e as centenas de mulheres que ele pegava tão facilmente e depois descartava. Mas Sean era Sean e como Chuck Norris, insubstituível.

Passados 50 anos o cinema consegue produzir algo que me rouba de Sean Connery. Daniel Craig é o agente moderno, que não se refugia em armas mirabolantes. Acabaram as palhaçadas e a ficção exacerbada para James Bond. Em “Operação Skyfall” a história é tão bem construída e crível que 007 não tem mais aquela arrogância dos antecessores. Para falar a verdade nenhum dos atores que encarnaram o personagem chegaram à verdade de Craig.

Os outros dois filmes estrelados por ele são bons, são dinâmicos, mas ainda continham a frivolidade do agente que piscava e tudo ao redor explodia. Claro que não abandonaram a veia conquistadora de 007 em Skyfall, mas deixaram de lado esse apelo sexual para dar lugar a um homem atormentado, humano, que chora, se embriaga, tem olheiras e olhos vermelhos, e incrível, não faz a barba...rs rs rs. Impossível ver Sean Connery com cara de maloqueiro como Daniel aparece em parte do filme.

O enredo é milimetricamente bem construído, e ver a abertura ao som de Adele, numa clipe de quase 5 minutos é sensacional. Não ha tedio com os créditos, pelo contrario, quando termina o filme, é que compreendemos que toda a história está criptografada nas imagens que cantadas pela gordinha inglesa de vozeirão e com charme de espiã a serviço da coroa, decifra tudo.

Daniel Craig em meu ponto de vista é o melhor 007 de todos os tempos, sem deixar o saudosismo de Sean Connery de lado.

E não se pode fazer um filme desse calibre simplesmente sozinho. Há um vilão, e esse dificulta a vida do agente 007 de uma forma que em alguns momentos pensamos não haver mais saída. E feliz o diretor e produtor que escolheram Javier Bardem para encarnar o desafeto de Bond em Skyfall. Perfeito, sem exageros, no ponto! Bardem é ótimo, e apesar de suplantar o talento de Craig em algumas cenas, como bom ator, deixa o outro brilhar como protagonista, sem a necessidade de querer ser melhor. Essa generosidade só se vê em atores do calibre de Javier Bardem.

Um filme que vale a pena ser visto nas telonas.

Abração e ótima terça feira a todos.

ME CHAMARÃO DE RACISTA POR QUE VOTEI EM "BRANCO". CERTEZA!


Não acredito ter exercido minha cidadania nesta ultima eleição, aliás, não acredito num país que obriga 80% de sua população a se despencar para “zonas” eleitorais sem dar a chance da recusa em compactuar com candidatos que não servem para ocupar os cargos pleiteados. Se você não vota, tem punição. Se você não tem candidato e vota em branco, é tido como um antipatriota.

Votei em branco...e daí?

Minha cidade foi considerada a 3º mais corrupta do mundo quando o antigo prefeito e sua esposa bandida foram pegos de calça curta roubando, extorquindo e vendendo favores ao estilo “mensalão “ de ser. O escândalo politico foi uma sucessão de dramalhões no modo circense com pessoas algemadas sendo colocados em camburões, helicópteros sobrevoando o centro da cidade e a imprensa vampiresca lambendo cada gota de sangue que escorria do pescoço voluptuoso dos corruptos.

Pouco tempo depois aparecem alguns caras de pau, candidatam-se ao cargo ocupado por um prefeito “tampão” como chamaram, ou poderiam ser mais claros e dizer que colocaram um O.B. na prefeitura para evitar que mais sangramento. Chamar um prefeito eleito por voto indireto ( algo que não via desde a década de 80) de tampão é no mínimo risível.

Enfim, fui obrigado a me deslocar por duas vezes para a zona eleitoral que voto para exercer essa tal cidadania que mencionei acima, que alguns enchem a boca para dizer que o fazem e eu daria tudo para que não fosse obrigado a fazê-lo. Tudo o que é imposição me incomoda. Mas fui lá e não me sentindo compelido a apoiar nenhum dos candidatos ao cargo, votei em branco, em ambos os turnos.

Aí vem alguém e me dizem: mas quando você vota em branco ajuda fulano de tal a ganhar. Pera aí. Então eu sou obrigado a votar em qualquer um apenas para evitar que sei lá quem ganhe? Eu não quero apoiar ninguém, e acho que tenho o direito de me abster de compactuar com pessoas a quem não acredito. Não é uma democracia, Cacilda? Então por que além de ser obrigado a votar eu ainda tenho a obrigação de eleger pessoas sem credibilidade?

Nunca desde os meus dezesseis anos, quando votei pela primeira vez e isso já faz muito, muito tempo eu deixei de escolher alguém. Um dia votei no Tiririca por protesto, e não imaginei que outros tantos como eu fariam o mesmo e no final das contas elegeríamos um inapto a um cargo de deputado. Me arrependo disso, e por causa de votos assim, de protesto que decidi, vendo a podridão das eleições da minha cidade, que melhor do que votar em palhaço seria votar em branco. Sorte minha que o “branco” não era um candidato oportunista usando desse subterfúgio  por que agora estaria novamente arrependido.

Dizem que num país que nada funciona, uma eleição por urnas eletrônicas é no mínimo suspeita. Aí também já passa do limite e eu como um ingênuo eleitor quero acreditar que não haja corrupção na contagem de votos. Seria uma facada no pulmão descobrir um dia que fomos fraudados por todos esses anos. Não, na urna eletrônica eu confio. O saci Pererê e a Cuca me disseram que ela é confiável. Então eu acredito.

Espero sinceramente que o senhor eleito na minha cidade, ao qual já está dito, não votei, faça um governo que se não me orgulhar, pelo menos não me envergonhe. Campinas é uma cidade grande, com mais de um milhão de habitantes, com arrecadação de quatro bilhões, que é esburacada, com funcionários arcaicos dentro da prefeitura que impedem o progresso, e que não investe nada em cultura. Talvez sejamos o único município do país com um numero elevado de habitantes sem um teatro para ganharmos pão e circo. As premissas romanas, aqui não funcionam.

Boa semana a todos, e aos candidatos derrotados, hoje é dia de ver classificados no jornal...rs

abração

MINHA VEIA LITERÁRIA


Estou feliz nesse momento por que acabei de concluir a correção de um livro que escrevi há quase dez anos. São 200 paginas de um romance de ficção que se publicado chegarão a margem de  350 ou 400 paginas.

Resolvi comentar isso por que nos últimos tempos me dediquei a isso, e deixei de lado as visitas aos blogs amigos, comentários e postagens frequentes. Não dava para desviar o foco nos momentos de sossego que tinha no trabalho. À noite em casa não costumo entrar na internet. Algumas vezes o faço, mas são raras. Passo o dia conectado e se deixar perdemos a vida, a leitura, e os prazeres da vida fora do mundo virtual.

Reler um texto escrito numa determinada época e ter o chance de reescrevê-lo foi uma tarefa difícil. A espinha dorsal é coerente, mas alguns diálogos eram mexicanizados ao extremo, coisa que corrigi, e dei um sentido mais culto para a história. Pesquisar datas e acontecimentos reais para o pano de fundo também me triou tempo precioso para me distrair com banalidades da net.

Enfim, volto à vida normal de blogueiro, e semana que vem envio o texto para o concurso. Quem sabe rola um premio. Torçam por mim.

Agradeço atenção de todos e compreensão pelo sumiço.

Abração e ótimo fim de semana.

PS.: Agora tomei gosto pela correção, e to mandando ver nos mais de 100 contos escritos...rs rs rs...

IHHHH EU SOU NORMAL VÉI!


Muitas vezes olho para o modo como vivo e imagino que as pessoas devam me achar um chato.

Não discuto religião. Sou católico, criado e formado nas doutrinas da igreja romana. Hoje não praticante, por que a politica dos homens me enoja, mas nem por isso vou sair por aí detonando minha religião ou me convertendo em qualquer canto onde há alguém pregando alguma coisa. Como já disse algumas vezes, detesto fanatismo.

Gosto de TV, e isso às vezes me deixa com cara de ET perto de algumas pessoas. Olham para mim como se eu fosse um esquizofrênico contando as aventuras de um amigo invisível que senta do meu lado a mesa nas refeições. Será que é tão estranho assim curtir novelas, filmes e saber sobre muita coisa de teledramaturgia? Tem pessoas que colecionam selos e quer algo mais chato que isso?

Não gosto de futebol. Isso também me coloca no patamar das pessoas “estranhas”. Como assim você não curte futebol? Não, não curto, não gosto, não vejo graça naquele monte de homem correndo atrás de bola e se pegando em campo, se apalpando em publico. Quando criança me levavam ao campo e nunca me diverti. Mas assim, herdei dos pais a torcida pela Ponte Preta, e é como família: eu posso falar mal, mas não vem alguém de fora querer criticar, que saio na porrada. Rs.

Não bebo. Não gosto de bebida alcoólica. Muito raramente dou uns goles em algo feito de pinga que alguém esteja tomando. Mas já perceberam o mal estar que se cria numa mesa de bar quando todos se entopem de álcool e você não? Te odeiam por isso. Não beber é o mesmo que estuprar e matar para aquelas pessoas que costumam entornar o caldo. Não conseguem assimilar que uma pessoa simplesmente não tenha apresso pela bebida. Antigamente isso acontecia com o cigarro também. Não fumar era estranho. Um dia quem sabe as leis façam com o álcool o mesmo que fizeram com o cigarro. Joguem os consumidores na calçada como “foras da lei” que perturbam o bem estar da população.

Tenho uma casa, um lar construído e respeito muito isso. Ali onde vivo há regras. Não fui morar só para criar um bordel, um matadouro, um abate. Não, minha casa é um local sagrado, com aquela decoração que arquiteto gosta de fazer ( quando não entende do assunto...rs) e transforma tudo em sala de puta véia. Existem pessoas que não entendem isso, e acham que morar só é sinônimo de liberdade incondicional. É sim, mas também se esquecem de que ter uma casa é também ter responsabilidades financeiras, de higiene e manter a dispensa e a geladeira com comida. Isso  faz parte de um processo de amadurecimento. Não adianta morar sozinho e ter uma casa que é apenas stand de feria de decoração. É preciso residir.

Não coleciono nada, apenas meus textos que escrevo dentro das elucubrações que a cabeça fértil produz. Mas ficam guardados no computador, com acesso restrito. Não tenho hobbys, oque também causa estranheza em algumas pessoas que acham que por que moro sozinho tenho tempo ociso para fazer “coisas”.

Tenho um trabalho que graças a Deus me permite acesso a internet diariamente. Mas me olham e acham que por que sei o que se passa no mundo, na TV, por que leio os posts do facebook, dos blogs, meu dia não rende. Trabalho e muito. Minha vida profissional é voltada para a criatividade e quem também tem essa função sabe que quanto menos concentrado sobre um projeto se fica, melhor e mais criativo será. Ficar bitolado sobre algo impede que se crie projetos bonitos.

Não me olhem torto, já escrevi isso aqui uma vez. Eu sou normal !!!

Boa semana a todos. Abraços.

UM CD BREGA SÓ PRA QUEM CURTE!


Tudo aquilo que foge do que a “moda” atual impõe acaba tomando a proporção de “brega”. Mas o que seria ser brega?

Usar roupas extravagantes, tipo Gabi Amarantos? Girassol na lapela como Falcão? Acho tudo isso pitoresco, e pra mim brega mesmo é achar que o povo é trouxa e engole as patifarias dos políticos, gente arrogantes, soberbas, que se acham a bolacha mais recheada do pacote. Isso é démodé, brega, ultrapassado.

Escutava uma seleção enorme de musicas das décadas de 70 e 80 e descobri que algumas delas eu simplesmente “adorava”, e fiquei pensando, será que elas são bregas? Esse povo um dia fez muito sucesso e fãs gritaram por eles. Só por que hoje há iphone, ipad, video games mais interessantes que a vida real, não quer dizer que aquilo tudo que ficou no passado deva ser esquecido.

Fiz uma coletânea pra mim e estou publicando aqui no blog pra quem quer descobrir o que escutávamos há 30 anos. To velho gente...to velho!!!! Rs.

Fica a dica para feriado. Vamos embarcar ao som de Luan e Vanessa, Vanusa, Jessé, Ovelha, Lindomar Castilho, Moacyr Franco, Wando. Para quem nunca ouviu falar desse povo...lembre-se, seus pais dançaram ao som dessas musicas.

01 - LEMBRANÇAS – KATIA
02 - VOCÊ ABUSOU - ANTONIO CARLOS E JOCAFI
03 -  TE AMO MAIS QUE POSSO DIZER – OVELHA
04 -  PORTO SOLIDÃO – JESSÉ
05  - MANHÃS DE SETEMBRO – VANUSA
06 - QUATRO SEMANAS DE AMOR - LUAN E VANESSA
07 -  BEIJINHO DOCE - NALVA AGUIAR
08 -  O RITMO DA CHUVA - DEMETRIUS
10 - VOCÊ E EU - JUANITA & RICHARD
11 - VOCÊ É DOIDA DEMAIS - LINDOMAR CASTILHO
12 -  ESCRITO NAS ESTRELAS - TETÊ ESPINDOLA
13 -  ELA É DEMAIS - RICK & RENNER
14 -  O QUE QUE HÁ - FABIO JR.
15 -  EU NUNCA MAIS VOU TE ESQUECER - MOACYR FRANCO
16 - RETALHOS DE CETIM - BENITO DiPAULA
17 -  FILME TRISTE - SAD MOVIES
18  - CHARLIE BROWN – BEBETO
19 -  BALADA DAS MÃOS - MOACYR FRANCO
20 - FOGO E PAIXÃO - WANDO


ou nesse:

https://rapidshare.com/files/1479503978/BREGAS POR QUE NÃO.rar

Divirtam-se.

Abração e ótimo feriado.

SEREI UM ÓRFÃO DE AVENIDA BRASIL

Nós brasileiros estamos nos acostumando mal em relação ao imediatismo das coisas. A internet trouxe o anônimo engraçado e talentoso pra perto de nós, em seus inúmeros vídeos virais que da mesma forma em que surgem desaparecem dias depois. Onde está o garoto que cantou “para nosaaaaa alegria”? Foi usado por duas ou três semanas na TV e já voltaram para anonimato que sempre viveram. E assim construímos ídolos e nos esquecemos deles depois de um copo d´agua.

No dia 26 de março deste ano sentei em frente à TV pra ver uma garotinha de talento irrefutável ser massacrada por uma madrasta má, como nos bons contos infantis da Disney. A megera tomava tudo o que era da enteada, assim como fizeram com a Gata Borralheira, Branca de Neve , e em seguida as atiravam a sorte, como Carminha fez com Rita, deixando-a a mercê do destino, num lixão fétido, criado cinematograficamente e digno de aplausos.


Resolvi antes mesmo de estrear Avenida Brasil que iria assisti-la por que seu autor João Emanuel Carneiro já havia mostrado a que veio. Em seu ultimo texto “ A Favorita” tirou toda a doçura de Patrícia Pillar e nos jogou numa trama de inveja, assassinato e psicopatia digna de grandes obras de Hitchcock. Ao ver anunciado que Adriana Esteves seria a vilã, presumi que talvez criasse a sua Nazareth Tedesco ( a vilã engraçada e patética), a única personagem de valor já criada por Agnaldo Silva, alias, ele quase nos faz desistir das novelas do horário nobre depois do fiasco de Fina Estampa. Mas não, João criou a “Carminha” e deu ao talento de Adriana a chance de mostrar que de sua geração, é a mais talentosa de todas. Carminha é crível, é debochada, má, e ao mesmo tempo nos da um sentimento de pena. Ainda não se sabe o passado dela, o que levou a ser tão amoral, mas mesmo assim nós, publico, sentimos uma ternura por ela. As redes sociais (o termômetro de tudo hoje em dia) mostra que todo mundo quer vê-la desmascarada, mas ninguém a quer pagando pelos pecados. A maioria dos telespectadores torcem para que ela fuja, ou arrume outro trouxa pra cornear.

De todos os personagens magistralmente criados para Avenida Brasil, o desfile de talentos sobressaiu ao texto, e nos deu perolas que serão eternizadas pela mídia. Empregadas fofoqueiras, periguetes e Marias chuteiras. Mocinhos de boa índole, infantilizados como Adauto, que no capitulo desta segunda feira nos cortou o coração, em excelente atuação de Juliano Cazarré.  Jovens talentos muito bem aproveitados pelo autor.

Mas não só de novos rostos Avenida Brasil encanta. Como fez com Patricila Pillar, o autor pincelou alguns talentos do  staff da Rede Globo e deu a eles algo que nunca haviam feito, mesmo beirando o ridículo, como o personagem de Marcos Caruso, que com o inegável talento, também nos mostra crível o que leva as telas. Seria chover no molhado falar de um elenco inteiro, mas não há como deixar de lado Murilo Benicio, o enganado Tufão, o sujeito que qualquer mulher quereria para marido, qualquer jovem como pai, e qualquer homem como amigo. Ele é boa praça, é honesto, e  tem aquele olhar tristonho que comove a qualquer um.

Mas pergunto: o que fazer após dia 19, quando João Emanuel nos dará o ultimo capitulo? Ficaremos órfãos novamente? É tão difícil criar empatia com uma novela, e poder discuti-la em âmbito nacional, por que todos, todos mesmo sabem do que se trata. Ser uma unanimidade na era de internet é um feito memorável para um talentoso autor. Não quero ver Carminha padecer. Já me cansa saber que Gloria Perez vem com um elenco de centenas de pessoas com bordões de bar, repetidos a exaustão como em Zorra Total. Alias, Salve Jorge não fugirá muito deste estereotipo. Gloria Perez escreve bem, mas só conseguimos gostar de suas novelas, por que há essa imposição. Ou é isso, ou é nada. Então, habituados aos folhetins do horário, engoliremos mais um sapo boi, gigante, por pura falta de opção, e choraremos a falta de Zezé, Nilo, Olenka e a cambada de tipos suburbanos, classe C que nada mais é do que a nossa cara. A cara do Brasil, do povo que constrói essa nação.

Salve Avenida Brasil!!!

PRECONCEITO MESMO, OU INTOLERÂNCIA?


A censura  é perigosa desde que os que a aplicam não ultrapassem o limite do bom senso e acabem cerceando o direito de cada um de nós de nos manifestarmos de maneira livre, direta, e com entendimento que se extrapolarmos, pagaremos pelo que dissermos ou fizermos. Assim identifico uma democracia. Você tem os seus direitos, desde que respeite o dos outros, basta.

Protógenes Queiroz conseguiu sua fama através das operações policiais contra o crime do colarinho branco, e mandou juízes e empresários pra cadeia. Beleza aproveitou-se disso e elegeu-se deputado. É engraçado o Brasil. Neguinho faz qualquer malabarismo e ganha quinze minutos de fama e na eleição seguinte esta lá, se candidatando. Não desmereço a elegibilidade de Protógenes, pelo contrario, melhor que sejam homens como ele a governar do que mulheres frutas, jogadores de futebol ou pastores histéricos. Mas o senhor deputado na ultima semana pisou na bola.

Pediu a justiça à reclassificação do filme TED ou a não exibição publica do filme por achar que induz o jovem as drogas e bla bla bla. Nem me estendo por que todos leram sobre isso. Quero só fazer a minha defesa sobre o assunto. A classificação indicativa era para 16 anos, e ele levou o filho de 11 anos para ver. Pra que existe essa maldita classificação etária nas programações se os pais ( inteligentes como o deputado) não respeitam. Se alguém, em algum lugar desse pais, que agora deu de censurar tudo, colocou essa indicação de idade, é por que MENORES não deveriam vê-lo.
Então senhor deputado, não me venha com churumelas.

Outra coisa é que agora Monteiro Lobato virou definitivamente a Cuca. Não querem mais seus textos em sala de aula, por que ferem os princípios de cor, raça e ofendem nossos irmãos afrodescendentes. Meu, para com isso! Quer melhor forma de acabar com o racismo do que num determinado trecho de uma obra onde aparece algo ofensivo ( na época que foi escrito não era, Cacilda!!!) e mostrar ao aluno que aquela forma de se manifestar é errada? Aplica-se cidadania e acaba essa coisa velada do preconceito. Essas ONGs daqui a pouco irão proibir de usarem artistas negros em filmes e novelas sobre escravidão por achar que induzem ao preconceito racial. Aí se pintarem um artista pro personagem, eles irão processar por que acham que estão caçoando do negro. Para...Para tudo, porque estamos embarcando numa canoa furada que logo afunda. Não é possível viver num pais democrático, onde “existe” liberdade de expressão e não se poder falar mais nada. Se gritar numa estrada “olha um veado” se referindo ao animal que atravessa a pista, algum gay que ouvi-lo irá processa-lo por preconceito, por sentir-se ofendido. Não dá para a intolerância tomar conta dessa forma. Isso é o mesmo que faziam os militares na ditadura, tudo o que se falava era distorcido e acabava por ferir a integridade do regime. Esse politicamente correto é hipócrita.

Sou da opinião que se uma pessoa agride publicamente outra com ofensas racistas e preconceituosas deve sim ser punida por isso, mas buscar na literatura, nas artes subterfúgios para se fazerem presentes é errado. A educação  acima de tudo deveria ser o carro chefe. Dizem o tempo todo que corintiano é ladrão e bandido. Cadê as ONGs para dizerem que não, que isso induz a população ao preconceito? Um peso, duas medidas.

Pra mim isso é só uma forma de aparecer. Deixe Monteiro Lobato em Paz. Deixe o ursinho TED nos cinemas. Ele será exibido por no máximo três semanas e depois sai de cartaz e o povo esquece.

To vendo a hora que será proibido falar Mussum na TV. Ele se alto intitulava macaco, negão, e outros adjetivos proibidos hoje em dia. Induz ao preconceito? Não sei. Pode até ser que alguém esteja lendo isso agora e pensando se me processa ou não. Não sou famoso, então se um dia se o for, guarde pra essas coisas pro futuro, quem sabe não rola uma indenização procê!!! Né?
CADÊ A IGREJA PRA PROCESSAR A INTERNET?

Abração a todos e ótima quinta feira.

PASSATEMPO DE TERÇA

Pessoal, ainda to sem tempo pra um post legal. Essa semana acaba meu martírio, to chegando ao fim da correção do livro. Então, pra não deixar isso aqui morto e vocês esquecerem de mim, bobagens da internet. Passatempo do povo que não tem o que fazer e fica dando print pra todo lado.














ABRAÇÃO E ÓTIMA TERÇA A TODOS.

QUANDO UMA MULHER AMA UM HOMEM

Imagens as vezes contam melhor uma história do que palavras.

















http://www.youtube.com/watch?v=E_7fHaQ29Gw&feature=share&list=ULE_7fHaQ29Gw


As fotos são do fotógrafo e amigo do casal Tim Dodd, que no site dele tem mais informações. E hoje o Taylor Morris tem um site para arrecadar doações para o tratamento, mostrar seus pequenos progressos e divulgar a história pro mundo.


A guerra é estupida, seja por qual motivo se duele. Não existe argumentos que expliquem a morte, a mutilação de jovens pelo mundo. 

abração a todos.