SIM, DEUS SEJA LOUVADO!



A procuradoria geral dos direitos do cidadão de São Paulo, órgão que responde ao Ministério Publico Federal, pediu a justiça Federal que determine a retirada da frase “Deus seja louvado” das cédulas de reais no Brasil. Um dos principais argumentos da ação é o de que o Estado brasileiro é laico e, portanto, deve estar completamente desvinculado de qualquer manifestação religiosa. Além disso, são lembrados princípios como o da igualdade e o da não exclusão das minorias para reforçar a tese de que a frase “Deus seja louvado” privilegia uma religião em detrimento das outras. 


Agora pergunto: não tem coisa mais importante nesse país para se preocupar do que a frase estampada nas notas? Pelo amor do próprio Deus citado, não há um mínimo de vergonha na cara desse povo que após tantos anos ( começou em 1986 a impressão da frase) se preocuparem com o estado laico, com os direitos das minorias. Vão se preocupar com a violência, com a extorsão de empresários pelas prefeituras do país, com a falta de dignidade nos hospitais onde mulheres dão a luz no chão. Preocupem-se com os drogados das cracolandias espalhadas pelo Brasil, com o povo que morre de sede no nordeste, com pessoas que não podem fazer tratamento de câncer pelo SUS por que não há remédio. Preocupem-se com a falta de ética dos políticos, com o frágil código penal, que condena um pústula a 10 e nove meses e a gente sabe que cumprirá apenas 1 ano por que assim determina o código penal. 




Vão atrás dos verdadeiros cancros da nossa sociedade que desviam dinheiro que salvaria vidas para suas contas em paraísos fiscais. Deem atenção a policiais que acabam criando milícias para ganhar dinheiro extra por que os salários são risíveis. Preocupem-se em extinguir a palhaçada das cotas em universidades, com as centenas de bolsas ajuda que transformam brasileiros em sangue sugas do governo. 

Deus está pouco se importando em ser mencionado nas cédulas de reais, essas mesmas que são trocadas por favores ilícitos, são desviadas da saúde publica, compram e corrompem pessoas. Essas cédulas que deveriam ser orgulho nacional e que vemos serem guardadas em cuecas por marginais de colarinho branco. 

Palhaçada é essa de direito de minorias? O direito a não acreditar em Deus? E o direito de 99% da população que crê? O estado é laico, mas também é sem vergonha, que permite a corrupção sob o seu nariz! 

Preocupemo-nos com coisas mais relevantes e deixemos o que já está, até imperceptível, quieto. 

O brasileiro está tão avido aos 15 minutos de fama que perde a razão e bom senso. Não acredito que ler numa cédula “Deus seja louvado” seja tão ofensivo como ler na manchete de jornal que centenas de pessoas têm sido assassinadas por que o governo não se prontifica em combater a violência. 

Hipocrisia, falta de decoro, demagogia, palhaçada e tudo mais que se possa arranjar de adjetivo para quem desvia atenção dos problemas reais. 

Deus seja louvado, Alá seja louvado, Oxalá seja louvado, Jeová seja louvado, Adonay seja louvado, El-Shadday seja louvado, Deus sol seja louvado, Zambi seja louvado e todas as manifestações que dão nome a um único Deus, o criador de tudo que para quem crê sabe de sua existência, e os que não creem, desculpem, problema é só de vocês...rs. 

Abraço a todos e ótimo feriadão. 


5 comentários:

Margot disse...

Nada a acrescentar... voce falou tudo.
Assino embaixo.
Bom feriado Fael...

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Querido amigo! Eu aplaudo e assino em baixo em todo o arrazoado q vc, de maneira clara, objetiva e didática, expôs ... tem muita coisa bem mais séria a ser tratada ... no entanto, em um país onde as religiões tentam se impor à força em tudo o q é esfera da vida civil eu acho extremamente oportuna e cabível esta medida ... Deus definitivamente precisa disto, e a fé de cada um é algo individual e pessoal e não vai ser com Glórias e mais Glórias em gritos e sussurros q vão aumentar ou diminuir esta crença ... aliás, atualmente quem mais grita Glórias ao Senhor mais afastado de Deus anda ... Foi o Cristo quem disse: Dai a César o que é de César e a Deus o q é de Deus ... ou traduzindo para o chulo contemporâneo ... Cada qual no seu quadrado...

bjão

Solange disse...

hj vc se superou!!
aplaudo em pé

bjs.Sol

R. disse...

Existem coisas maiores para se preocupar: sim. mas vivemos em estado laico e não podemos nos esquecer disso.
Desrespeito e constrangimento por religião ou falta dela é CRIME. Imposição a qualquer crença, sem outras alternativas, também é crime.
Acredito na existência de d-s e acredito que a minoria deveria ser respeitada. O país não pertence a maioria, o mundo não pertence a maioria, as verdades não pertencem a maioria.

Você já pensou no constrangimento de ter uma nota de dinheiro escrito "deus não existe"?
Já pensou que é isso que ocorre com as pessoas que não creem e são obrigadas a aceitar este tipo de mensagem na nota?
Agora imagine se na nota estivesse "deus não existe", e a maioria fosse ateu, você se sentiria como?
indiferente a essa posição? mesmo pagando, como todos, os seus impostos?

Concordo que não vale a pena lutar por coisas tão pequenas quando outras maiores não são resolvidas. Mas será que nós não estamos acostumados à resignação? aceitamos tudo, somos vencidos pelo cansaço, e quase nunca lutamos pelos nossos direitos. Pequenos ou não.

Pessoas são desrespeitadas por pessoas, empresas, instituições, governo, e a justiça não acontece.
Nós não lutamos. não mudamos.
aceitamos tudo, ou fingimos que nem vemos.
O Brasil tem que ser coerente, ou deixe de ser estado laico.

Esta semana a Veja publicou um texto vergonhoso, de muitas páginas, completamente discriminatório tratando a minoria (gays) do ponto de vista da maioria (sociedade machista e tradicionalista), sugestionando como crime, o que é na verdade um direito.

Esta semana também um jornal afastou um colunista que fez um texto nojento sobre os índios guarani-kaiowá, reduzindo esta minoria como nada. reduzindo o seu direito e importância a zero.

Semana passada, no ENEM, a minoria - de adventistas e judeus (sabatistas)- receberam o direito de fazer a prova após o por do sol de sábado, mas entraram no horário normal e tiveram que aguardar em isolamento e seguindo as regras da prova (sem conversa, sem sair da sala) por muitas horas até o ínicio das provas, às 19h. Ou seja, eles entraram junto com todos e permaneceram, seguindo as regras gerais, na sala pra fazer uma prova que só ocorreria à noite. Ganharam o mesmo tempo pra fazer a prova, mas passaram o DOBRO do tempo em situação quase desumana aguardando a prova.

As minorias precisam de respeito.
As minorias DEVEM ser lembradas e representadas. Os direitos humanos DEVEM ser respeitados. Nós deveríamos ao menos perceber isso.

Eu sou minoria. Eu fui minoria. Eu serei minoria.
Acredito que muitos que te leem, que comentam, e até você mesmo, foi/é/será minoria uma vez na vida.

Fui vegano, e sofria quando em momentos coletivos me faltava comida adequada à minha condição de vida. Eu ouvia justamente isso que foi escrito 'é sua escolha o problema é seu'. Muitas vezes me vi injustiçado em ver que todos tinham o direito de comer, mas eu deveria me virar pra respeitar meu próprio corpo. Os direitos não eram direitos.

Mais uma vez: CONCORDO que existem coisas mais importantes, porém, reflitamos sobre o respeito a individualidade. Sobre dogmas, imposições, deslealdade, e as incoerências do nosso país.

Se o Brasil não é capaz de mudar uma frase nas notas, quem dirá fazer essas grandes mudanças questionadas no seu texto.
Se as mudanças não começarem das pequenas coisas, dificilmente conseguiríamos mudar coisas de importância maior.

Não vamos nos esquecer que somos desrespeitados quando observamos as condições públicas que nos são oferecidas, e que saúde, educação, transporte, ainda não foram mudadas porque NÃO recebemos o poder sob as decisões.
Quem tem o poder são os governantes que tratam a opinião dos brasileiros como?
resposta: com total indiferença perante uma impotência digna de MINORIA.


Rafa, te mandei um email pro seu gmail. Espero que leia. E me responda.
Abraço, Rodrigo.

Luck® disse...

Oi, Jamal!

Eu não concordo, não com o recado da mensagem. Há coisas, sim - como, repetindo o exemplo citado, a violência, que são mais preocupantes que a retirada da frase "Deus seja louvado" das cédulas do nosso dinheiro.

Mas... e daí? Será que a Justiça deve deixar pra lá e nos ensinar que os "pequenos" desrespeitos devem ser respeitados?

Pois sendo assim, a gente foca nos "grandes desrespeitos" como a não efetivação dos "Direitos Fundamentais", como direito a dignidade da pessoa humana (direito à saúde, educação moradia, laser - de qualidade), não é?

Mas será que há mesmo diferença entre o "tamanho" do desrespeito?

Se é a mesma Constituição que promulga tais direitos fundamentais assim como a liberdade de culto/laicidade (onde DEVERIA CONSTAR, palpito, o direito ao NÃO-CULTO, também!), então, para resumir a questão trata-se, na verdade, de respeitar (ou não!) a nossa Carta Magna.

É isso que está em jogo: assim como não há "meio grávida", ou se respeita a lei ou não. Simples!

E, ainda, não creio que o fato de o Ministério Público buscar tal intento signifique que ao fazê-lo deixam-se os demais deveres. Isso é uma falácia! Há de se reagir em toda forma de injustiça e não praticar justiça com base em uma lista de prioridades.

Outra falácia é apoiar-se nas expresoes que empregam "maioria" ou "minoria". São falácias, igualmente! Há inúmeros exemplos que demonstram como é infundado este QUASE argumento. Cito um: A maioria apoiou Hitler em determinado momento. Preciso explicar mais?

Creio que ainda eu poderia apresentar argumentos que faria qualquer um lembrar que o fato de alguém não "louvar" a deus foi motivo - há bem pouco tempo - de assassinatos. Há todo tempo temos injustiças sendo praticadas em nome dos diversos deuses...

Por conta disso, se formos mesmo combater a violência como sendo uma atitude premente, não creio que as frases das cédulas deveriam ser consideradas algo à parte.