A DECADÊNCIA DE UMA VOZ


No ultimo sábado fui a São Paulo assistir um dos shows da turnê paulistana de Zezé di Camargo e Luciano. Antes que alguém critique o dinheiro gasto num espetáculo desses, explico, fui de graça, ganhei ingresso, por que certamente não pagaria R$250,00 para um show sertanejo.

Enfim, fui e me espantei com algumas coisas. Primeira delas é a produção que envolve um evento desses. A grandiosidade do cenário é de cair o queixo. Devem gastar milhões para produzir algo de tamanho bom gosto, e fiquei sabendo que há outro idêntico viajando por aí. Há duas estruturas idênticas que circulam pelo Brasil. Enquanto estavam em SP o outro seria montado em alguma parte do país. Achei isso interessante, por que emprega muita gente já que são duas equipes distintas. Nem o cenário de Maria Rita para gravação de DVD foi tão grandioso como esse.

A segunda coisa a me impressionar foi à quantidade de pessoas. Casa lotada em quatro dias. Esgotados os ingressos há mais de um mês, e por consequência disso, voltam em janeiro para mais duas apresentações. Enquanto o CredCard Hall oferece a casa para uma banda como o Barão Vermelho tocar uma única noite, Zezé fecha a bilheteria em 6 apresentações abarrotadas de pessoas vestidas a caráter, chapéu de cowboy, vestidinhos periguete, e um coro uníssono que acompanha as musicas do passado e as mais recentes que não fazia ideia do que se tratava.

Nesse ponto tenho que fazer uma ressalva. Cantei 80 % do show...rs rs rs. Pois é, descobri que conhecia boa parte do repertorio. Não que isso me preocupe, mas me estranhou a ideia de conhecer Zeze e Luciano mesmo não sendo fã.

Mas a terceira e mais chocante percepção foi ver o quanto Zezé di Camargo perdeu a potencia da voz. Algo constrangedor em partes do show. Aquela voz limpa, de agudos perfeitos, se foi. Ele faz uma força absurda para tentar as notas mais altas e alguns momentos desafina e grita, sem que percebamos a nota cantada. É aflitiva a força que faz para cantar. Sai algumas vezes do palco e deixa Luciano sozinho, comandando a festa, que diga-se de passagem faz muito bem. Faz solo, divide uma das musicas com um backing vocal, e interage com o publico de maneira educada e carinhosa. A todo instante vai à ponta do palco pegar presentinhos das fãs, posa pra fotos, e manda beijo e acenos para todos que consegue enxergar. Como não era de se estranhar, Zezé em momento algum repete a intenção do irmão. Mantem-se no palco, preocupado com seus bíceps fortes apertados na camisa justa, que faz questão de flexiona-los para que o telão gigantesco mostre o quanto seu físico é trabalhado. Um narcisista. Troca de roupa varias vezes e parece um garoto de 20 anos. Mas infelizmente a voz se foi. Em estúdio conseguem manter o mesmo nível para os Cds, mas ao vivo a coisa é bem diferente. Creio que domingo no ultimo espetáculo devia estar afônico. A família Camargo estava lá, e no meio deles Zilu, a qual ele fez um agradecimento pelos filhos que ela lhe deu, causando um clima de desconforto na plateia, que deve saber muito mais que eu sobre os motivos da separação.

A dupla continua um fenômeno de publico, mas não sei até quando Zeze aguenta subir ao palco e cantar. Fiquei constrangido com algumas partes onde ele sussurrava inaudível as letras e em seguida tentava dar um agudo esganiçado. Lamentável mas esse ídolo já vive o crepúsculo do seu talento.

Bom meio de feriado a quem tem consciência negra...rs

Abração.

6 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

nunca gostei muito deles ... da geração e do estilo deles gostei só de Chitão e Xororó e do Leandro e Leonardo ... #fato

ps: o dinheiro é seu ... bolas ... kkkkkkkkkkkkkk

bjão

Margot disse...

O crepúsculo chega para todos nós Fael.#fato.

beijos

Marcos disse...

Sem duvida um show muito bom!
Sem dúvida ele está perdendo a voz.
Sem duvida isso não vai abalar o sucesso dele.

Abraços

Karina disse...

Rafael,
Eu não gosto deles, mas acredito que a perda da extensão da voz se deve justamente ao fato dele não ter feito uma prevenção enquanto era novo, e também pelo fato de que ele já chegou aos 50 anos. Por mais que ele não pule no palco como o Mick Jagger ou tenha exagerado em sexo, drogas e rock'n'roll, o tempo faz diferença... Mas para isso, existem os backing vocals! Bjs.

Fred disse...

Bahhhhhhhh... apesar de não ser "minha praia" acredito que o show deve ser um mega-blaster evento! E ainda não vi o tal crepúsculo chegando aqui, não... ele que demore... hahahahahah! Hugzão, guri! Ótima semana!

Suzi disse...

RS.

Agudos a parte, Zezé já deu o que tinha que dar. Agora resta ele se candidatar para um concurso de beleza de bíceps para senhores de cinquenta anos. Claro que, para a idade dele, ele está em ótima forma, porém não dá para ficar tentando parecer um menininho de vinte anos... Forçado demais. E a voz, diga-se de passagem, também...

Abraços.