A NATUREZA FRAGILIZADA

Me esforcei ao máximo para não fazer um post sobre a tragédia da chuva no país, mas não consigo passar ileso por tudo isso. Então hoje é dia de falar de catástrofes.

Detesto o sensacionalismo, detesto o exagero o melodrama barato, o abuso da dor alheia. O povo brasileiro é solidário, sim claro, já tivemos provas disso, mas é também um povo sedento de catarses, faminto de desgraças, calamidades. Quando há um acidente, parecemos urubus em volta, testemunhando a carnificina alheia.

O que dizer a respeito da tragédia no Rio? Culpa de quem? Políticos?

Não, a culpa não está somente no politico. Está em cada individuo, em cada morador dos locais de risco. Está na igreja (sem distinção) que prega a solidariedade, mas em situações como essa somem. Cadê o padre Marcelo fazendo missa pra desabrigado? Onde está Edir Macedo e afins fechando campos de futebol para angariar dinheiro pra vitimas? Onde estão todos os religiosos desse país? Onde está o pessoal dos direitos humanos? Onde se enfia esse povo quando a desgraça bate a porta de centenas de milhares de brasileiros?

São perguntas sem respostas. Não é necessário ir tão longe de onde moramos. Demos sorte, muitos de nós de vivermos em áreas que apenas um terremoto talvez causasse o estrago visto nas cidades do Rio.
Somos um povo sem noção da realidade. Só sofremos quando os flagelos doem na nossa carne. O que acontece com o vizinho é problema dele. Gostamos de fuçar a vida alheia, mas quando algo grave acontece nos fechamos dentro dos nossos mundos e tchau.

É totalmente incoerente, irracional, centenas de pessoas chorando parentes mortos, e Ronaldinho Gaúcho reunir mais de vinte mil pessoas num campo de futebol para em 5 minutos chacoalhar a camisa do time e sumir. Meu, quem é Ronaldo Gaúcho pra ser mais importante que a tragédia? Por que dar a um cara a importância maior do que o de uma criança que morreu vitima do descaso de adultos? Um milionário, arrogante que volta com festança depois de beirar o fracasso em terras estrangeiras? É pra esse tipo ídolo que o Brasil se curva. Idolo?

Até onde assisti reportagens sobre a tragédia pude perceber que muitos dos bairros destruídos não eram assentamentos clandestinos como há na cidade do Rio (favelas) . Eram bairros, com traçado urbano, e infraestruturas comuns em loteamentos aprovados pelas prefeituras. Então podemos dizer que os grandes vilões estão no poder publico, que permitem esse tipo de parcelamento do solo? Sim, podemos dizer que são culpados. Parcialmente. Esse bolo é dividido em varias fatias e cada um dentro da sociedade tem sua culpa. Em São Paulo temos um órgão responsável por atribuir a empreendedores a capacidade ou não de implantar um loteamento. Existe uma programação e um estudo de impacto ambiental. Mesmo assim, vemos o quanto São Paulo e o interior padecem. Imaginem nos outros Estados onde se faz o que bem entende.

O que mais me revolta, é a imprensa “abutre” que finge estar levando informação ao povo e na verdade está explorando a dor de quem está ali, mutilado pela perda do seu mundo. A Globo parece estar fazendo um jornalismo informativo, mas em cada matéria se vê a exploração. Perguntar a uma mãe o que ela sente por perder um filho, ou o que fará daqui pra frente apontando a casa soterrada, é de uma falta de humanidade absurda. Se esta emissora trata o assunto dessa forma, quem dirá as outras que adoram sangue.

Não tenho visto mais, me nego a sentar em frente à TV e ver a exploração desse povo sofrido. Impossível manter-se ileso. Mas ibope para imprensa sensacionalista, eu não dou.

Ano que vem choraremos novamente uma tragédia, por que assim que o sol sair, a nação esquece tudo o que houve. Logo estaremos narcotizados pelo carnaval, pelas bundas esfregadas nas câmeras, ofuscados pelo brilho dos carros alegóricos suntuosos. Morreram mais de 500 pessoas? Tudo bem, o povo enterra, o governo paga, e todos saem pra avenida, comemorar a vitória da sua escola de samba ou o gol do Ronaldinho.

Lamentável.

Bom fim de semana a todos.

10 comentários:

Marcia disse...

Vou ser a primeira a comentar... já falei da chuva em meu blog, mas sobre SP, não tive coragem de falar do Rio, porque já morei em Nova Friburgo e tenho uma amiga que está desaparecida, porque não consigo falar com todas as pessoas que eu gosto e que moram lá entre amigos e conhecidos, porque vi imagens da cidade destruída, incluindo onde eu morava ali no Suspiro. Tragédia na TV, tragédia bem perto de mim. Bjo.

Priscilla Marfori... disse...

Nossa querido, você disse tudo, quem dera todos os brasileiros tivessem a mesma forma de pensar em tão lamentável questão, sabe, ontem estava almoçando e assistindo tv (particularmente não gosto muito, a maioria dos programas de tv são descartáveis!), quando mostrou o sufoco que uma mulher passou com seu cachorro, eu pensei: Neste momento estão os poderosos sentados em suas poltronas de couro, degustando um delicioso almoço e assistindo em seus telões de cinema a tragédia que eles deveriam ter evitado com o poder que lhes é dado pelo povo na hora da votação! Imaginei quem devam pensar como somos idiotas, hipócritas e subestimados tão facilmente, acreditamos em todos e em tudo e nunca temos nada! Fascinamos-nos com as festas e comemorações que o Brasil vive fazendo disso e daquilo, e tapamos nossos olhos pra ver a realidade nua e crua! Então, eu perdi a fome!
Espero que um dia, e que esse não demore a chegar, pois a natureza está nervosa, que esse dia o homem aprenda a amar a vida e não o dinheiro, pois todos os problemas sociais que cercam nosso país é justamente esse; ganância! O mundo começou errado, com idéias errôneas implantadas em nossas cabeças, porque se considerássemos de verdade cada pessoa como nosso irmão, me pergunto se teria tantas injustiças?! Enquanto esse dia não chega, vou engolindo quadrado e orando a Deus a única esperança!

B-Jos.

Karina disse...

Não em relação a esta tragédia, mas a do ano passado, não consigo me esquecer da cena da Fátima Bernardes, com seu casaco importado, perguntando para uma desabrigada do Morro do Bumba o que ela estava sentindo. E precisa disso? É claro que não, razão pela qual concordo plenamente com suas ponderações sobre a imprensa, sobretudo a Globo, porque é metida a ser a melhor, a mais "chique". Eu trabalho bem próximo a Teresópolis, e habitualmente trafego até Sapucaia e Além Paraíba. É claro que a chuva não levou apenas casas de baixo nível construtivo, mas o que se pode perceber é que, além da força da natureza e da irresponsabilidade do Poder Público (que há uns anos atrás dava aos moradores de "bairros"/comunidades certificados de ocupação de áreas onde havia mata que sequer pertenciam a Teresópolis), parte da população também possui grande parcela de responsabilidade, porque desmatam, cortam taludes, desviam os cursos d'água, jogam lixo nos rios, etc. O jeito é rezar para que a chuva prevista para este final de semana não faça mais estragos e o Poder Público consiga alcançar aqueles que estão isolados, bem como para que as cidades consigam se reerguer, pois os reflexos de uma tragédia dessa são muito maiores do que a perda das residências ou as ruas enlameadas. Um beijo, Karina.

HSLO disse...

Muito triste o que ocorre no Rio...a natureza já havia sinalizado que um dia isso iria acontecer, mas os homens esquecem.

Peço sempre a DEUS, que ilumine todas as familias que estão sofrendo...tudo vai vai passar, tudo passará.

Te desejo um ótimo final de semana.

abraços

Paulo Braccini disse...

sempre o mesmo filme, o mesmo enredo, os mesmos atores e o mesmo final ... a irresponsabilidade, a hipocrisia, o esquecimento, etc etc etc ... aí ano q vem lá vamos nós assistir tudo de novo ...

culpados? todos nós ... tudo na vida nada mais é q o resultado da ação humana ... ação e não ação ... ativa ou passiva ... enfim ...

não suporto mais isto ...

parabéns com louvor pela contundência da crônica ...

;-)

Edu disse...

Amém para cada palavra!!!

o Humberto disse...

Eu adoro o que você escreve, Rafael. Como disse o Edu, amém para cada palavra.

E o que vc disse sobre Ronaldinho Gaúcho e afins, absolutamente perfeito. Muito boa análise.

Enfim, vamos ver até quando vamos continuar vendo tudo isso.

Parabéns pelo post, brilhante.

Dama de Cinzas disse...

Lamentável mesmo tudo isso! Me entriste e me revolta o circo que a imprensa arma envolta de tudo isso. Mas por outro lado é ela que dá visibilidade, que movimenta ajuda, mesmo que da população.

Eu não quero ficar procurando culpados, porque sabemos a culpa de cada um. Só me entristeço mais do que já ando...

Beijocas

Saulo Taveira disse...

É Jamal... vc tem razão. A imprensa brinca, tripudia; as "igrejas" somem, e o povo que já tá com lama na cintura que ajuda o restante que ainda a tem nos ombros.

Helicópteros sobrevoam a região toda, com políticos, imprensa e solução mesmo, nada.

Há 4 anos eu morava em Friburgo próximo ao teleférico. Esse morro há anos ameaça cair como agora. As vítimas do início de 2007 começaram, no final do ano passado, a receber a ajuda prometida daquela tragédia. Dessa de hoje, sabe Deus quando serão assistidos. A imprensa explora, mas não mostra o terço da missa. Foi muito pior, como você relatou, um terremoto.
Mas como disse, o povo esquece ao primeiro raio de sol, com o carnaval e já já volta a jogar o saco de lixo no rio ou a céu aberto e por aí vai...

Torcer pra que as medidas necessárias logo cheguem e o amparo psicológico, lógico, venha junto.

A nós, resta torcer pelos que ainda vivem, doar o que for possível e rezar pra que as doações cheguem a seus destinos.

Abraços. Ótima semana pra ti.

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Juro que estou com o coração machucado com tudo isso.
Pessoas, animais... todos com um fim que não desejamos a ninguém.
Já chorei muito aqui. :(

Nem tenho o que dizer....