E ELA ENTROU PRA HISTÓRIA

Imagina só a senhorinha de 80 e poucos anos sentada na sala de sua casinha humilde do interior vendo seus netos, já antenados no mundo globalizado discutirem sobre a possível eliminação na noite de terça feira da transexual Ariadna. O que é um transexual? Passa pela cabeça da pobre mulher.

A Globo através de Boninho tenta inspiração a todo custo para atrair mais e mais telespectadores para o já cansado Big Brother, todo inicio de ano. Não deve ser fácil descascar esse abacaxi e dou a Boninho os parabéns por conseguir de forma profissional manter o povo falando no assunto por 3 meses. Entre erros e acertos, é o produto que mais vende no primeiro trimestre, a fama relâmpago de anônimos transloucados.

O frisson causado por Di Cesar e Serginho ano passado deu aos produtores do programa a certeza que o povo brasileiro deixava sim entrar em seus lares a diversidade. Ambos foram eliminados já em adiantada edição do programa. Talvez por medo de serem taxados de preconceituosos os participantes do BBB10 aguentaram as caras e bocas de Serginho até o gargalo e a cara de pobre coitado de língua presa de DiCesar. Dourado apesar de não merecer o premio sintetizou o brasileiro de verdade, aquele que vive nas periferias. Eles aceitam o gay, desde que longe, bem longe deles.

Mas errou Boninho em acreditar que uma transexual agradaria o publico pseudomoderninho. Talvez se encontrassem dentre a gama de trans por aí uma que se assemelhasse a Roberta Close, bela, sensual, mulher de corpo e alma, o publico se interessasse em ver até onde iria o joguinho de sedução com os heteros da casa.

Não. Fizeram o contraio. Colocaram uma ex-prostituta (segundo dizem os sites), feia, com cara de pobre. Nem maquiada Ariadna ficou bonita, mastigando então, era difícil de encarar. O corpo visivelmente transformado por próteses e hormônios não enganou nenhum dos homens, muito menos os gays, que sacaram de cara que ela fora homem. Mesmo não tendo reparado tão bem nos dotes da guria, nenhum dos “caras” quis ficar com ela. Mesmo tendo se oferecido de baciada para eles.

Respeito à atitude de um homem em extrair a sua masculinidade através de cirurgia, mas não me faça crer, por favor, que tenha virado mulher. Que tenha alma feminina, que seja um erro dos Deuses terem trocado o corpo da alma, tudo bem, mas independente disso, ali jaz um homem, mesmo morto, assim nasceu.

Ficaria profundamente constrangido e revoltado se no caso de estar no BBB me envolvesse com uma transexual sem ter a noção de sua condição. Isso talvez tenha sido um ponto crucial para a eliminação de Ariadna. Permanecer calada, se fazendo de mulher.

Mas o povo é assim. Aos poucos se acostuma com o inevitável. Os gays compõe parte do elenco de cada produção global. Virou cota. E cada vez mais se parecem com os gays de fora das telas, com vidas e dramas verdadeiros. Acabaram as bichas loucas, caricatas. Engraçado que o personagem de Alexandre Borges parece muito mais afetado e fora da realidade do que Daniel Arteche que deu vida a um jovem verdadeiro, que amava seu parceiro morto, e sofre todo preconceito de cabeça erguida.

Em Vale Tudo (reprisada no canal Viva) as personagens lésbicas são tratadas como amigas. A todo instante dizem que sentiam “afeto”, que eram “colegas”, “amigas carinhosas”. Precisaram quase 24 anos para que um personagem gay de teledramaturgia dissesse que era “casado” com outro homem. E isso aconteceu em Ti Ti Ti, indelével, aceitável, e dignamente. Maria Adelaide Amaral o faz com deferência.

Os grupos gays clamam pelo beijo homossexual na TV. Não acredito que isso seja necessário. Acho até que forçam a barra, deixem que aconteça naturalmente. Basta o respeito com que são tratados nas tramas. Basta o publico aceitar que existam diversidades na casa ao lado, ou dentro de seus lares. Há mães vendo seus filhos gays com outros olhos, por que compreendem que não são garotos devassos do submundo, apenas por que amam um igual. Graças a TV, e seus autores que o fazem de forma respeitosa.

Parabenizo o BBB pela iniciativa de expor mais uma vez o diferente. Poderiam ter sido menos medrosos em arriscar e colocarem uma transexual realmente atraente (uma Ramona de Claudia Raia, em as filhas da Mãe) com uma história menos marginal que Ariadna. Teria sido de mais valia.

Da forma como andam os reality shows, em breve farão um só de travestis, onde o premio será o papel de Dorothy no Magico de Oz em Hollywood.
 
PS.: Por favor, leiam esse texto, é o melhor exemplo do que se pode esperar de um BBB.
http://godotnaovira.wordpress.com/2011/01/18/ariadna-e-um-belo-nome/

Abraço a todos.

10 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Oi Rafa! Olha esse seu post me deixou um tanto deprê. Acho que já tinha te contado no msn que tenho uma grande amiga transexual. Eu a conheci quando ainda estava se transformando, acompanhei seu sofrimento, o que faziam com ela na rua, a luta passo a passo para eliminar os traços masculinos sem ficar caricata, essa sempre foi a preocupação maior dela, sempre me perguntava se algo não estava exagerado.

Com relação a conhecer homens e contar ou não contar que é transexual, esse é um drama que fica pra sempre na vida delas. Mesmo depois de completamente transformadas. Lembro de uma vez que ela se interessou por um cara na internet e depois de algumas semanas se falando por tel e net ela contou para ele que era trans e ele disse que se tivesse pessoalmente com ela daria um soco na cara dela. Lembro de como ela ficou deprimida e de como tive que consolá-la.

Ela nunca se prostituiu, até tinha um bom emprego por sorte, porque a maioria das transexuais vão para prostituição por falta de oportunidade de emprego e apoio da família. Jogadas na rua sem ter com quem contar, vão ou para salões de beleza, ou para prostituição. Para ir para salões de beleza é necessário se especializar. E quando a rejeição da família é imediata elas são jogadas pra fora de casa mesmo, ou viram mendigas ou se prostituem... É uma situação muito triste.

Eu te digo tudo isso porque trabalhei como voluntária num setor em um hospital que atendia transexuais, foi lá que conheci essa minha amiga.

Te digo que mulher forte está ali. Sim, mulher totalmente, porque para se nascer homem e fazer todo o caminho inverso da natureza, a convicção íntima que a pessoa pertence ao sexo inverso ao que nasceu é muito grande. E sexo é mente, se sexo fosse ter nascido XY ou XX, então teríamos que impor que homens tivesse que se atrair por mulher e vice-versa. Quando todos sabemos que não é assim, não podemos impor sexualidade, assim como não podemos virar para uma pessoa que praticamente estraga todo sua vida para se afirmar com o seu sexo mental e dizer para ela que apesar de tudo isso ela é um homem na essência porque nasceu homem.

E te digo mais. As transexuais que via na assistência do hospital, não chegavam a ter um pouco da pouca beleza da Ariadne. Elas eram humilhadas de todas as formas.

Essa minha amiga hoje até é uma mulher atraente. Poucas pessoas com olhar mais atento pegam que ela pode não ter nascido mulher, não sofre mais a discriminação de rua, mas sofre a discriminação velada. Essa que a Ariadne sofreu.

Percebo com tristeza que os homossexuais tem ganhado muito mais aceitação e que as transexuais agora são os homossexuais de 40 anos atrás...

Perdoe-me se fui extensa, se fui intensa ao defender meu ponto de vista. Mas se tinha um motivo para eu ver essa porcaria de BBB era a Ariadne, agora nem preciso olhar esse programinha safado... rs

Beijocas

Wans disse...

Engraçado, vc não me é estranho. Não sei por quê tenho essa sensação de dejavú. Mas como iremos nos conhecer em Fevereiro, certo?

Cris disse...

Rafa, leio seus textos e tenho tanta coisa pra dizer que acho melhor só escrever isto:

Lindo post.
Beijos
Cris

Cris disse...

Só que eu não consigo......kkkkkkkk

Por outros motivos que não cabem aqui, todos os anos o canal do Pay-per-view é aberto na minha casa. Claro que uma vez ou outra acabo vendo. No começo era viciada. depois do quinto, encheu.

Esta semana, vi uma cena entre os dois gays, na verdade um diálogo que me deixou triste. O preconceito existe entre os próprios gays, transexuais, etc

Eles mesmos não se aceitam entre si e formam tribos independentes e parecem que se atacam nos direitos que são inerentes a qq ser humano: o direito de SER. SER quem quiser ser. Livre arbítrio.

Ariadne não contou que era transexual por determinação da produção. No fim ela declarou e deve ter tirado um pêso das costas.
Tive pena dessa moça e o que ela retrata em qualquer sociedade do mundo.
Na minha opinião, Ariadne saiu porque se expôs demais; não importando a preferência sexual. E a exposição que me refiro ai é algo forçado, desncessário e vulgar. Estamos cansados de vulgaridade.
Roberta Close deu certo porque de vulgar, não tinha nada quando apareceu na mídia. Muito pelo contrário. Era contida, na dela...

As mulheres raramente ganham um BBB no mundo inteiro. Por que será? Nada a ver com pensamentos machistas, mas acho que o mundo tá precisando de menos vulgaridade e mais conteúdo; o que é bem difícil dentro de um BBB.
Diversão é bem vinda,claro, mas há de se ter equilibrio e boa dose de si mesmo. Ficar grande demais pode provocar uma auto explosão....rs

Outro dia li uma frase que amei: o preconceito é a medida do seu medo.

Grande verdade!

Tenho um filho homem e uma filha mulher. Nenhum dos dois é homossexual. Seriam meus filhos e eu os amaria da mesma forma se tivessem escolhido a homossexualidade e eu TIVE CERTEZA disso, quando há uns anos atrás, meu filho se viciou em drogas.
Nunca estive tão do lado dele e nunca fui tão companheira dele; até mesmo para experimentar o que ele dizia ser tão bom.
Hoje, está livre, limpo das drogas, mas em nenhum momento meu filho deixou de ter o coração lindo que tem, o rosto maravilhoso e o caráter que me apaixona.

Tudo isso pra dizer que as pessoas ainda são muito fechadas no seu mundinho de mentirinha e ilusões. Quando bate um vento a gente vê o que sai lá de dentro. É asqueroso!

Boraaaaaaaaaaaaaa....a vida é um grande BBB....rs

beijão grandão!

RAFAEL disse...

Não há como não responder a vc Dama e tb a Cris.

Ariadna foi a bola da vez que o Boninho achou para chocar o povo e atrair atenção para o programa.

Concordo sim que ela se sentiu discriminada, infeliz e que mesmo saindo de cabeça erguida, deve ter chorado muito qdo ficou sozinha.

Quando falo que usaram uma transexual de pouca beleza, não falo isso por discriminação e futilidade. Sabemos o quanto o povo é frívolo, o quanto telespectadores de BBB gostam de ver bundas e peitos malhados. Se colocassem uma transexual mais próxima da beleza de participantes femininas da casa talvez o publico “entendesse” melhor o que significa ser uma “transexual”. Não sei se capta o que digo Dama. Não falo da minha opinião particular, falo da opinião geral que observo nos bate papos do programa.

Cris, ser marginalizado é difícil em qualquer meio. Vasculho tudo que existe em internet. Sei muito do que se passa no mundo de verdade. Negros discriminam negros, e gays tb o fazem. Galgam um lugar ao sol, e quando se deparam com uma “Ariadna” que pode mexer com aquilo tudo que conquistaram a repudiam, como fez Daniel, muitas vezes em comentários íntimos com o outro participante gay.

Não teria problemas em ter filhos gays como vc Cris. Teria apenas o cuidado de encaminha-los de uma forma que o sofrimento social fosse atenuado. Uma grande amiga tb teve problemas relacionados a drogas com um irmão, que garanto, chegou ao fundo, mais profundo de um poço. Em momento algum abandonaram o rapaz ou julgaram o porquê do vicio. Ampararam, deram as mãos e seguiram. Muitas vezes a mãe sentava na sarjeta com o filho ao lado de traficantes para vê-lo se drogar e leva-lo de volta pra casa. Um cuidado para que nada de mal lhe acontecesse além do próprio mal que fazia a si. Hoje é um chefe de família idôneo, com filhos lindos e livre das drogas, graças a força que a “família” teve em sua vida.

Não julgo as pessoas, julgo o que a mídia mostra, por que assim o fazem. Expõem seres humanos que sabem que serão julgados, e se oferecem pra isso, então não há por que reclamar. Não se põe a mão numa labareda pensando sair ileso.

Obrigado pela sinceridade e por sempre me provocarem o debate. Minhas caras e queridas comentaristas...rs

Paulo Braccini disse...

difícil para mim comentar pois me recuso terminantemente a assistir novelas e BBBs da vida ... não por conta de me achar melhor ou maior q os outros, mas pq não tenho saco mesmo para estas chatices ...

agora tenho uma convicção clara sobre quem aceita participar deste jogo horrendo, q prostitue a sua intimidade pela possibilidade do dinheiro fácil e ainda alimenta as contas da Rede Globo e similares ... quem está na chuva é para se molhar, portanto nada de dramas e "xurumelas" de q foi injustiçado, que foi vítima de preconceito, etc etc etc ...

bjão querido

;-)

Três Egos disse...

olá, irmão mais velho! :P

apesar de ainda não ter assistido nem um minutinho do BBB (nada contra, apenas falta de tempo) é impossível não saber o que anda acontecendo por lá, tal qual seus participantes.

ariadna foi uma das participantes mais comentadas, talvez a mais comentada e juro que pensei que ela fosse durar mais na casa. não sabia nem que ela estava no paredão e me assustei quando me contaram que ela tinha saída logo na quarta de madrugada.

adorei quando vc mencionou a palavra "pseudomoderninhos" e o fato das pessoas dizerem que não têm nada contra gays, desde que estejam bem longe delas. longe? aposto que elas sabem de muitos gays, porém insistem em ignorar a informação e continuam pensando que o mundo seja realmente apenas de heterossexuais e que homossexuais apenas existam nas novelas ou na família do vizinho.

o fato de ariadna não falar sobre a sua condição, realmente, não vejo problema nenhum nisso. pode ser que isso tivesse feito ela sair da casa também. mas na vida real, acho que ela não fica falando no ponto de ônibus que ela fez uma cirurgia de mudança de sexo. então para quê dzr a todo mundo que ela fez? muitas vezes seja um assunto íntimo para cada um. e não vejo necessidade nenhuma das pessoas ficarem se apresentando como hetero, homo, bi ou seja o que for ...sexuais. muito pelo contrário, não vejo a necessidade, por exemplo, de que certos gays ter que dizer a Deus e ao mundo que são gays. muitas vezes, dizendo por atitudes totalmente desnecessárias.

bom texto para refletir... rsrsr

Abraço!

Luzia Lira Pedagoga disse...

Bom, só pra dizer que adoro ler seus textos. Vc escreve coisas que que não tinha pensado ainda sobre aquilo. Parabéns! gosto muito . Bjo Luzia

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Aaaaahhh não consigo assistir BBB.
Ouvi comentários sobre a moça, mas não tive curiosidade de ver. Pelo que me disseram e pelo que eu li aqui, ela se expôs demais e abusou da vulgaridade. Homem ou mulher... quando fazem isso, fica muito feio de se ver.

=/

Atitude: substantivo feminino. disse...

Rafa, não tô assistindo tudo não pois não tenho PPV, mas confesso que tomei as dores da Ariadna na casa..
Ahh fala sério gente..por que tiraram ela? Mente pequena de quem liga..de quem vota...
Porque a tal da sambista não saiu? Que diferença faz uma sambista a mais e uma a menos dentro daquela casa?

É bom pro Boninho aprender. No próximo BBB ele tem que colocar um transexual, um travesti e a namorada do Alexandre Frota...só pra galera ficar na dúvida.

Eu a considero mais mulher que algumas que conheço.
Tive pena dela em alguns momentos..do pouco que acompanhei.
Nêgo sabia que ia entrar um trans na casa, só não sabiam quem era. Dã.
Quem era???
(se a namorada do Alexandre Frota tivesse lá, juro..diriam que era ela!!! )

Nêgo diz que ela saiu porque "não admitia" ser trans.
Sinceramente..não sei se eu admitiria tbm. Qualééé nem conheço aquelas pessoas..nem sei bem como tudo vai ficar..sou obrigada???
O lance então é falar somente a verdade, tipo Jesus? Então pra que que foram pra lá?
Comigo não cola.

Quantas daquelas mulheres admitiram já ter feito programa? Nenhuma..e na boa..pfffff
Calma aí que vou fazer um pfffff bem grande Pfffffffffffffffffffffff
Tudo paga de boa moça..."ahhh meu pai não pode ver"...
"ahhh tenho uma imagem lá fora"
Sabe...acho muita hipocrisia.