UM "CENSO" RIDICULO

“O CENSO 2010 ESTARÁ NO PREDIO HOJE AS 15:00 – PROGRAME-SE”.

Ok...o censo vem ao prédio fazer as entrevistas, no meio da semana, as 15:00 hs. Quem estará em casa além da velhinha que mora no apartamento em cima do meu, eu não sei. E como assim, programe-se.


Chego pro pessoal do escritório e digo: Oh, to indo lá em casa responder um questionário do Censo e volto já já. Quem acredita nisso?

Com um horário sem sentido desses, obvio que o rapaz não conseguiu conversar com ninguém. Então chego as 18:00 hs em casa e o porteiro avisa: O seu horário para responder ao questionário será as 20:00 hs, eu chamo pelo interfone.

Beleza, ninguém pergunta se eu quero responder ou não e já agendam um horário e tchau. Mas sou cívico ( acho que é assim que se fala), então na hora marcada desço e me prontifico a colaborar.

O rapaz com uma gripe absurda estende a mão depois de um espirro. Cumprimento-o pensando no monte de vírus e bactérias expelidas. Deixo a mão pendurada como se fosse algo repugnante. A mente trabalha mandando mensagens para que essa mão contaminada não suba ao rosto, não suba...não suba.

Da inicio a entrevista com o rapaz perguntando meu nome completo, nascimento e minha renda mensal.

Aí vem:

2° pergunta: Alguém que mora com o senhor viajou para o exterior nos últimos 6 meses?
R: Não

3° Pergunta: Alguém que mora com o senhor contraiu alguma doença grave nos últimos 6 meses?
R: não

4° pergunta: Alguém que mora com o senhor sofreu algum acidente nos últimos 6 meses e precisou de atendimento em hospitais públicos?
R: não

5° pergunta: Alguém que morava com o senhor morreu nos últimos 6 meses?
R: não

Obrigado, assine aqui.

Não entendi nada que tipo de censo é esse que fez cinco perguntas sobre pessoas que moram comigo sem antes questionar se por um acaso eu moro com alguém.

Senhor censo, EU MORO SOZINHO!!!!

Não sei qual estatística estou incluído. Talvez nos que tem pessoas saldáveis que não viajam e não morrem morando comigo.

- Quando subi pelo elevador, esqueci o cocei os olhos com a mão contaminada. Sorte, os vírus já tinham morrido.

Ótima quarta feira a todos.

8 comentários:

Tathiana disse...

Não sei se tô preparada pra responder perguntas de tão grande complexidade... rsrsrs
Realmente ridículo. Tsc.

Autor disse...

Hahahahahahahahaha
Eu respondi ao senso em menos de 2 minutos.
Detalhe que fiz um processo mental pra na hora da orientação sexual dizer GAY e, simplesmente, nem me perguntaram isso. Aliás, perguntaram quase nada nessa porra.
Só rindo!

Edu disse...

Uai, pra mim as perguntas foram outras. Inclusive a do "companheiro do mesmo sexo". E a tiazinha ficou disponível das15h até 21h pra quem quisesse vir, a qualquer hora. Bom... cumpriu o seu dever! Parabéns! Uma medalhinha aí no seu peito.

Marcio Nicolau disse...

Tá tudo estranho mesmo. Eu respondi tb a um questionário resumido, como o recenseador me disse. Solicitei a ele, antes disso, que me fornecesse a senha para responder ao questionário pela Internet e ele me respondeu que não sabia como obtê-la. Vê-se que foi muito bem treinado, pra não dizer o contrário. Não sei o que é pior: fazer ou não parte da estatística. Pra que serve mesmo o censo?? O que fazem com os resultados, além de divulgar no Fantástico?? Pra que nos interessa constatar que milhares de brasileiros não tem água encanada em casa?? Por que será que as informações do censo são desmentidas na propaganda eleitoral gratuita?? Pra que servem as pesquisas, além de eleger a Dilma? Tudo isso, o IBGE, o Ibope... é um contra-senso.

F. disse...

'Por enquanto estou inventando a tua presença...'
(Clarice Lispector)

Três Egos disse...

uahuhaauhuhauha... eu não respondi não, mas em casa responderam. e o pior é que tão me contando duas vezes, uma na cidade que moro com meus pais e outra na cidade onde estudo. ou seja, por causa de mim o brasil terá uma pessoa a mais pelo menos! uhauhauhauhauha...

abraço!

A Existência Segundo Rosi F. disse...

hahahahahaha...acho que você não foi entrevistado pelo senso...
Pior fui eu que declarei a minha cor pela origem dos meus pais, negro, e o cara contestou,ficou falando que eu não era, e ao final marcou lá na maquininha dele o que ele achou...

Você está certo, Senso do ridículo mesmo...

Bj.

Samuel Dias disse...

Olá, amigos!!
Sou recenseador e digo que as coisas não são bem assim.
Pra quem não sabe, as respostas que cada entrevistado fornece ao "questionário ridículo", como o amigo definiu, são as únicas estatísticas que apontam o número total de brasileiros no país, a porcentagem de brancos, negros, pardos, indígenas, o crescimento de determinadas religiões, as migrações nacionais e internacionais, além de ajudar o governo, empresas e universidades na melhoria de políticas públicas para o país, melhorando a saúde, a educação, os transportes e a infra-estrutura do país.
Ao invés de se preocupar com a gripe do recenseador que está apenas trabalhando, garantindo sua sobrevivência, os moradores deviam se preocupar em ajudar o país a crescer.
E só pra constar, a Lei nº 5.534 assegura o sigilo das informações fornecidas e a obrigatoriedade de prestar informações estatísticas ao IBGE.

Obrigado!
Samuel Dias!