MORTE AOS BORDÕES !!!

Não sei por que tem épocas que as pessoas entopem a nossa língua portuguesa de bordões. Pra tudo tem sempre uma frase para exemplificar. Culpada disso são as novelas que falam a exaustão frases populares. “Não é mole não”, “Stop Salgadinho”, são de autoria e Gloria Peres e ficaram por aí anos, rondando o populacho. “To bandida” é novo hit. Todo mundo ta bandida nos últimos tempos.

Pra fazer pegar um bordão é difícil, o povo tem que interagir e conseguir jogar pro seu dia a dia a frase de efeito. Cada um no seu quadrado é um tipo de bordão que me agrada. Mas quando o ator/personagem tenta impor as duras penas uma frase escrita pelo autor, e no caso o 3esse personagem é fraco, a situação torna-se constrangedora.

Detesto Eri Johnson. Nunca gostei dele, nunca vi talento nas imitações batidas que faz de Romário e outros. Cara chato, sem graça e que faz o mesmo personagem sempre. Muda novela, muda enredo, e ta ele lá, no eterno papel de Eri Johnson. Sua participação no BBB12 pra quem viu foi constrangedora, sem graça e forçada. Não assistiria aquela peça de teatro nem que ele viesse me buscar em casa. Pra quem viu um monologo de Paulo Autran, que você precisava segurar pra não chorar, olhar Eri Johnson dando dançadinhas imbecis num palco é de chorar também, de tristeza.

O bordão escrito pelo irritante Agnaldo Silva que está com a mão péssima em Fina estampa é tão chato quanto o ator. Não sei o que lá “papai” que ele repete toda hora é chato pra caramba. Já é difícil ter que aguentar Eri na novela, naquela sensação de que a qualquer momento ele entortará o corpo, encolherá o pescoço e falará com a voz do Romário. Ou quem sabe, vai fingir uma perna mecânica e soltar um: São tantas emoções, ao estilo podre da imitação de Roberto Carlos.

Bordões são chatos e programas como o Zorra Total usufruem deles para fazer graça. Desde que me conheço, quando assistia programas humorísticos na TV, vejo os quadros terminarem com uma frase de efeito. Jô Soares, Chico Anysio se apegaram a eles por anos. Mas nada pior do que o “balé” que Mauricio Sherman coloca em todos, mas todos mesmo, programas que dirigiu desde que a arca de Noé ancorou em terra firme. Coisa insuportável essa tentativa tupiniquim de musicais da Broadway. Quando a coisa desanda e o ibope cai, eles trocam as gordinhas cantantes por bundas dançantes. É tão cansativa a apelação na TV hoje que da vontade de ter uma linha direta com a programação e mandar aquelas frases de rodapé que ficam rolando e dão tontura na gente cheia de palavrões que não podem ser censuradas. Tipo o cara que ligou pro “fala que eu te escuto” ao vivo e mandou todo mundo pra aquele lugar.

Em breve a massificação “ To bandida” vai me irritar ao ponto de eu não ver mais graça em Rodrigo Santana. Deveria haver um bom senso na TV, deles dosarem certas coisas para que o publico não criasse ojeriza. Essa geração Y que ta aí é rápida. Faz circular um meme de sucesso pela internet em menos de 24 horas quase mobilizando o país todo. Então não da pra ser repetitivo com um pessoal desses. É por isso que cada vez mais a TV perde espaço. Não da mais pra manter um segredo em novela por seis meses como era de costume, tudo tem que ser imediato. Isso força a criatividade de autores e os obriga a sair da zona de conforto que se encontram nas ultimas décadas. Aquela formula batida de folhetim está com os dias contados, por que por mais que Agnaldo Silva brade nos quatro cantos do mundo virtual que o seu texto é maravilhoso, na minha opinião é pior bosta que escreveu na sua carreira. Pena tenho de envolverem um elenco tão bom, numa novela tão péssima. “Mata papai”.

Abração a todos e ótima terça feira.

2 comentários:

Alan Raspante disse...

Nada contra os bordões, mas concordo contigo. Acontece na velocidade da luz e enjoa muito facilmente. Temos um bordão novo praticamente toda semana. Claro, acaba sendo um pouco culpa do público também que parece achar graça em tudo e compra toda ideia que vê pela frente.

Agora, Eri Johnson? Cara, ele deveria ser preso por tentar ser engraçado. Cara mala pra caramba!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

mas hoje ele acordou muito BANDIDA! kkkkk ... tb não tenho nada contra os bordões q pegam ... mas enfim ... na vida tudo demais enjoa ... Eri? quem é este? deve ser irmão gêmeo de um tal Romário ... né?