NÃO FALA COMIGO PÔ!!!!

Tenho preguiça de ser supersticioso. Esse negocio de desviar de gato preto, não passar embaixo de escada, usar cueca branca no réveillon e tantas outras crendices não são bem vindas na minha vida. Não por que acho bobagem, ou não acredito, simplesmente por que fico cansado de ter que pensar a hora e o momento de não praticar alguma coisa que possivelmente me dará azar.

Acredito sim em más vibrações, energias negativas e pessoas que consomem sua força vital. A única atitude que tomo em determinadas circunstancia é fechar meu umbigo, como um dia comentei aqui no blog. E pode até ser ridículo, mas quando o faço, fico menos vulnerável. Um tempo atrás recebi bastante gente em casa, pessoas de diversos tipos, rodas de amizade, tudo em dias alternados. Quando passou essa fase, não conseguia me sentir bem. Algo me incomodava. Um bambu da sorte morreu, tinha pesadelos, e até uma eventual crise de refluxo, coisa que nunca na vida tive, durante o sono. Acordei engasgado e achei que era a hora de ver São Pedro...rs.

Fiquei alguns dias nessa impressão ruim. Até que numa noite, aspergi agua benta pela casa ( tenho um vidro na geladeira, para o caso de vampiros tentarem me pegar...rs) junto de uma oração num livro antigo da minha avó. Sei lá um tipo de exorcismo. Jogava agua benta nos cantos da casa, rezando e com um incenso na outra mão. Posso afirmar que foi uma das sensações mais medonhas que senti até hoje. A casa estava fechada, não havia uma janela sequer aberta, e por onde andava, rezava e aspergia a agua benta, subia arrepios do pé a cabeça como se tivesse numa corrente de ar gelada. Num primeiro momento senti certo desconforto (medo mesmo, sou cagão), mas fui firme e “benzi” cada canto da casa. Posso dizer que naquela noite e até hoje, acabaram os pesadelos, e me sinto bem, como de costume.

Sempre fui cético com isso. Pouco acredito em macumba e inferno astral nas vésperas de aniversario. E não é que a proximidade do meu tem me deixado irritado. Não com a data, por que adoro aniversariar, mas uma irritabilidade que beira quase a bipolaridade. Tenho me segurado pra não vomitar criticas para todo mundo. Uma simples ação espontânea de alguém que não cabe no meu parecer lógico, me da ímpetos de chacoalhar, esmurrar ou gritar: PQP...vai ser idiota la na zona que tua mãe foi criado, seu burro, imbecil, tapado...rs rs rs.

Sei não, mas acho que vou comprar um patuá, ou procurar uma noiva feia, já que é o ano do dragão. Quem sabe casar com uma não traz sorte...rs rs rs.

To como o Saraiva: Tolerância Zero!!!! Rs.

Abraço

3 comentários:

Albuq disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Rafael, não me considero supersticiosa, mas, tem situações que me metem medo. Esse lance da energia e do desconforto eu sinto em alguns lugares, como você sentiu em casa. Deus me livre... ôoo negócio ruim. kkk bjs

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

acho q isto é coisa daquele jardim de infância em q estudamos ... estou assim tb ... rs

por via das dúvidas ... SARAVÁ!!! rs

bjão

Dona Pimenta disse...

Nossa, amigo! Quante revolta nesse coraçãozinho peludo!! rsrsrrs
Eu acredito que o mundo vive de energias... POsitivas, neutras e negativas, e sempre temos que cuidar para que a nossa não sofra interferência de energias conflitantes.
E o que VOCE fizer, seja o que for, para se proteger, tá muito bem feito, e aquilo terá poder, se vc acreditar. Fé é tudo, né? rs
Fica calmo! Vc tá passando pelo seu "inferno astral" como dizem... (apesar de eu naum acreditar nisso - rsrsrsrs). Logo, logo vc se estabiliza de novo. Faz algo diferente, sei lá, pra espantar a uruca.
Milhoes de beijos!