QUAL A FINALIDADE DE "MULHERES RICAS" ?

Num país como o Brasil não basta mais apenas ser rico, tem que mostrar a todo mundo o privilégio de ser, quase a mesma coisa que fazia aquele seu amigo imbecil de infância que ganhava uma bola nova de capotão e esfregava na cara dos outros o quanto a dele era melhor. Não deixava ninguém brincar, ou quando o fazia, no melhor do jogo, colocava-a debaixo do braço e ia embora.

Vivemos sim um momento de prosperidade, natal gordo para a maioria da população (ou menos raquítico), com direito a presentes tecnológicos, Tvs de plasma com 42” e iPads vagabundos, mas chamados Tablets. O que não da para entender é o fascínio que o povo de tem hoje pela vida milionária de alguns. Eike Batista dando conselhos para se tornar um bilionário no Fantástico. Matérias sobre como guardar, investir e ficar rico com ideias mirabolantes. Pera aí. Tudo bem que temos que ter uma vida regrada com menos desperdícios, mas ainda comemos, vestimos, colocamos combustível no carro, aluguel, condomínio e planos de saúde. Da forma como vem os conselhos, parece que o salario vai todo para aplicação e de la para um novo empreendimento que lhe tornará o novo playboy do Copacabana Palace. Não é bem assim.

Quando se pensava não faltar nada mais no mundo podre da TV, uma das emissoras abertas inova e aparece com um reality de “Mulheres Ricas”. Tanto se falou, comentou que fui lá no You Tube conferir.

Posso garantir que é o maior, dos maiores, dos mega blasters lixos que vi na minha vida. E olha que assisto tudo, do mais precário programa, até as grandes produções, mas me senti enojado, em alguns momentos constrangidos com aquelas mulheres desfilando seu cotidiano para a TV. Jamais me prestaria a esse papel. São ricas, basta! Pra que vir a publico dizer que quer um avião que vá direto a Paris, sem escala. Um mimo de 30 milhões de reais. Reclamar do champagne servido numa loja de grife as 10:00 hrs da manhã de um dia de semana, onde milhares de outras mulheres se matam para garantir a sobrevivência dos filhos.

Enquanto o emperucado Eike quer mostrar o quanto é “o fodão” dos negócios ( mas garanto que boa parte de quem o vê pensa: tomou chifre de bombeiro – rs rs rs, consolo dos pobres) , essas mulheres inúteis para a sociedade esbanjam frivolidades em lojas da Oscar Freire. Não é inveja, muito menos despeite do que o dinheiro proporciona para essa trupe. É uma afronta para os brasileiros ver pessoas desfilando carros, jóias, e tantos outros suvenires quando uma parte da população sobe em arvores para fugir de enchentes. Chega a ser oifensivo.

Acho o momento errado e uma proposta absurda seguir o cotidiano de 5 mulheres ricas que nada acrescentam a nossa vida. Algumas como Narcisa desfrutam do poder que seu pai tinha durante sua vida “politica” ou querem que acredite que nada do patrimônio veio dessa “facilitação” que a vida publica proporciona.

Não sei o fim dessas histórias, não me interessa ver o segundo episódio dessa serie, muito menos me preocuparei em saber que o avião da loira burra fez ou não escala pra Paris. Só acho que deveria haver um bom senso na programação, mas como sabemos que o Brasil é um país de contrastes, de memoria curta, do povo que se preocupa com a grama verde do vizinho, então resta-nos garimpar aquilo que for bom para os olhos e ouvidos, e que acrescente um mínimo de cultura, por que hoje, numa roda de amigos quando você aborda o assunto, metade do povo dorme, vai embora, ou te olha como se fosse uma aberração.

Boa semana a todos.

5 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

graças a Deus eu sou uma aberração ... e q me olhem a vontade como tal ... afinal estudei no mesmo jardim de infância q vc ... bons tempos ...

bjão

Solange disse...

é meu querido Rafa..e hj começa o bbb..

bjs.Sol

Dona Pimenta disse...

Oieee!!!!!!!
Affeeee, o povo não tem mais o que inventar, né?? Cabeças vazias, mundo de Cinderela...
Adorei o texto!
Bjs!

Sorry i cant fly... disse...

Interessante seu parecer. Eu nem tinha ouvido comentar sobre o tal programa e passeando pelas teclas do controle remoto dei de cara com a chamada do programa. Fiquei curiosa com o nome... "Mulheres Ricas" ... Pensei... que isso?... não acreditava no que estava passando na tv... uma loira, de voz enjoada, falando para seu funcionário que enquanto ele não encontrasse a Barbie dela ele não iria para a faculdade. De boquiaberta troquei de canal na esperança de que fosse um destes folhetins mexicanos. Ledo engano. É um reality show mesmo e em um canal aqui na terrinha. Assim fica difícil fazer com meus alunos possam ter uma perspectiva de futuro digna pq sinceramente... meus adolescentes já viram que nem ralando a vida toda, honestamente, vão conseguir um padrão de vida assim. Podíamos ter exemplos melhores em nossos canais de televisão. Encantada om o blog Moço.
Bjlhões.

Mr. TV disse...

o Rafa, voltou e voltou com tuo. Não vi Mulheres ricas e acredite, não me dá nenhum tesão em assistir, nem pelo youtube, mas soube que tá bem na audiência, e teve crítica positiva e tals. Mas eu não curto! Abração.