UM MOLEQUE ENCAPETADO

Ontem conversava com minha irmã sobre como eu era na infância. Alguns flashs tenho nitidamente na memoria, mas outros confesso que ri muito enquanto ela falava.

Minha irmã tem aquele temperamento “dominador” como descrito alguns posts atrás, e onde morávamos quando criança, ela era a “chefa” da turma. Temos diferença de 4 anos.

Trocando em miúdos o poder dela se assemelhava a de Dom Corleone...rs rs rs. Ninguém fazia ou brincava com algo diferente sem que a chefa dissesse que sim ou não. As mães adoravam minha irmã por que ela cuidava da molecada, e punha todos no eixo. Nos aniversários o primeiro pedaço de bolo era sempre para ela. Resumindo, todos a idolatravam.
Eu como irmão caçula, obviamente ocupava um lugar de destaque no “ministério”, era o chefe da casa civil...rs rs rs. E abusava disso. Pasmem, ouvi-a dizer que batia nos moleques da minha idade e nunca era punido. Nessa época tinha entre 5 ou 6 anos, por isso não me recordo. A memória é vaga nesse período. Mas descia o braço em quem quer que fosse e corria pra debaixo das asas da chefa, que me defendia com unhas e dentes. Deu muito cascudo em moleque que queria me bater.

Nas brincadeiras de rua comuns da infância, como “mamãe da rua”, “esconde-esconde”, ou quaisquer que fossem era “café com leite”, isso é tinha imunidade parlamentar, podia socar o braço no povo, que nada me acontecia.
Segundo ela, até uns oito anos eu fui insuportável. Engraçado não me recordar dessa fase...rs rs rs.

Mas posso afirmar que brinquei muito e tive grandes amigos na infância, que hoje estão perdidos por aí. Não tenho contato com mais ninguém, não sei por onde andam e o que foi feito de suas vidas. Até certa época sabia de alguns. Um havia engravidado uma piriguete, depois uma outra. Não sei quem tinha casado e levado chifre e com o trauma mudara-se pra Tocantins, e assim por diante.

É muito ruim não manter o vinculo com pessoas que te viram crescer, por que são os únicos que te conhecem na raiz. Mas com o passar dos anos e o amadurecimento, outras pessoas foram sendo agregadas a vida e suprindo a carência desses amigos que sumiram.

Hoje não sou mais café com leite (apesar de dizerem que fui até os 18 anos....rs rs rs), e sinto tanta falta dessa imunidade...não me lembro bem, mas devia me sentir o máximo.

Histórias de quem está ficando velho...rs rs rs...
Boa quinta feira a todos...abraços

12 comentários:

Edu disse...

Vc soou como um bebum que diz ter amnésia no dia seguinte à baixaria, rsrs...

Cris disse...

Acho que a "queimada" ardeu pra caramba, né?
Meio que tirou seu chão.
Engraçado isso, mas é como uma defesa nossa. Nos momentos tristes, de dor física ou emocinal, reportamo-nos para a infância e sempre é para um episódio onde fomos amados, protegidos, queridos e que nos sentimos "grandes".

Essas recordações nos alimentam e essa "comida" é boa. Bem vinda !
Lembrete: nada fica para sempre! Nada. Apenas o aprendizado e as lembranças de tudo que vamos vivemos. Dores viram cicatrizes e não doem mais.

Tá na hora de mudar de lado. A queimada tem isso. Lembra? trocar de "campo" e quem sabe, mexer no time....rs

Beijão enorme, Garoto dos privilégios.....rs Isso é crime!!!!!!!!

Lobo disse...

Vamos montar um clube das crianças encapetadas Rafa? Agregados não faltarão jamais! Hahaha

Abração!

Ro Fers disse...

É tão bom relembrar o passado... E a fase de criança é encantadora, pois a vida só é brincar, sem estresse e sem preocupações...
A medida em que crescemos, cresce tbm as responsabilidades, juntamente com os problemas...
Forte abraço!

Cantinho She disse...

hahahahaha muito bom! Essas coisas são uma delícia de lembrar ou de ouvir as pessoas contando, né?!
Bjo, bjo!

Cantinho She disse...

É hoje o seu aniversário?????? Se for... PARABÉNS, QUERIDO, TUDO DE MUITO BOM EM SUA VIDA SEMPRE!
Bjo, bjo
She

Paula Barros disse...

Ler lembranças de infância, gosto, tento lembrar das minhas, muitas vezes não consigo.

É bom estes resgates.

abraço

Albuq disse...

Quero nem começar a contar o que fiz... kkkkkkkkkk eu fui terrivel! bjs

Van disse...

Rafa , desde ontem quando entrei aqui, me apaixonei pelo seu canto e pelos seus textos e hoje me encantei com teu escrito sobre a velha infância... Eu tenho amigos daquela época ainda, muitos deles foram ao meu casamento inclusive e ainda tenho contato...é bom ter memória e muita história pra relembrar tudo isso ! Tempos bons !!

Grande Beijo e sempre aqui !

Marcelo Gaya disse...

Rafael,

Parabéns pelo seu blog, li praticamente todas as postagens e ri muito com suas histórias e me emocionei também com outras. Me identifiquei com muita coisa escrita aqui. A partir de hoje serei um seguidor atento. Um grande abraço.

Marcos disse...

Rafa nem publicar o "ola" que mandei que eu tinha esquecido a minha senha e login...hahahah
Adorei a história...e até hj vc é "meio" que cafe com leite.
abçs

Ma

Cris disse...

Paz, saúde, luz, alegria, coragem, fé, paciência, amor, ternura, sabedoria...FELICIDADEEEEEEEEEEEEEE
pra vc!

Faça-se feliz ! Permita-se ser feliz!

TUDO de melhor, Querido!
Feliz ano novo, novo ciclo, novo movimento de rotação.

Um beijo enorme com todo carinho,

Cris