FINGIDO, AZARADO OU COITADINHO?

Algumas pessoas tendem a acreditar que o mundo conspira contra elas a todo instante. Isso pode ser o sintoma de síndrome do Pânico, de baixa autoestima, de carência afetiva, depressão, ou simplesmente uma nóia que a pessoa tem pra chamar atenção.

Pessoas como minha mãe, por exemplo, absorvem as doenças de qualquer pessoa em volta. Se alguém tem palpitação, ela passa a ter, se uma pessoa sente dor de estomago ela também o terá. Confesso que essa coisa sugestionável ela passou por herança ao caçula aqui...rs.

Mas outras pessoas são azaradas mesmo. O universo olha pra ela e diz: pombinhas do céu , caguem nela, e pronto, uma borrada branca cai na cabeça. Ou, buraco apareça já, e a pessoa tropica, quase cai, quando não se esborracha de cara no chão.


O cumulo para pessoas de baixa autoestima são situações corriqueiras, como apertar o botão do elevador e ele passar reto, desconsiderando que ali tem alguém o esperando. Ou as luzes de sensor de presença simplesmente não acenderem. É como se sujeito não existisse. Ele passa e tudo permanece escuro. O pior são os macaquinhos de porta de loja que assobiam quando entra alguém. A pessoa invisível passa e o macaquinho nada, nem um piu.

Dessa forma os “coitados” acumulam situações vexatórias. Lembro-me de uma amiga arquiteta que foi ao lançamento de uma grife aqui em Campinas, numa badalação quase SPFW. Globais, executivos, gente estranha da moda tudo reunidos no mesmo lugar. Ao anunciarem o inicio do desfile que seria com apresentação de uma trupe de artistas e bailarinos, as luzes se apagam e um canhão azul foca a ponta de uma escadaria, e quem aparece? Minha amiga que vinha do banheiro, e não percebeu que o show tinha começado. Só deu ela, descendo a escada acompanhada pelos olhares e comentários dos convidados. Mico maior ela nunca mais terá. A cota foi gasta de uma vez só

Gente assim que acha que o mundo a odeia, quando vai a uma festa morre de fome por que os garçons passam por ela e nunca a servem. As bandejas passam reto, a mão estica, mas o cara nem presta atenção. Se isso não acontecer, provavelmente alguém derrubará bebida nela ou não haverá um canto sequer para ela sentar. Ficará a festa toda de pé. Por que azarados, se ferram mesmo.

Essa mania de perseguição é perigosa, pode virar uma paranoia incontrolável. Conheço uma senhora que tem pânico de atender telefone. Talvez ela ache que o BIGFONE do BBB vai ligar pra ela com aquela voz distorcida e manda-la pro paredão. Mas brincadeira a parte, ela desenvolveu uma síndrome do pânico tão grande, que deixou o emprego, troca o numero do celular constantemente e não sai de casa por que acha que alguém a segue. O telefone quando toca, ela sua frio. Judiação por que era uma ótima profissional.

Se você é aquele tipo de pessoa que a vida toda quis passar despercebida, sentava no fundo da sala de aula pra ninguém te ver, fica escondido em festa, não liga pra nenhum amigo...cuidado um dia nem as portas automáticas abrirão mais. Quem não se faz notar, o mundo esquece.
Abração e bom fim de semana.

12 comentários:

Albuq disse...

Oi Rafa, adooooooooorei! Minha mãe é igual a sua, totalmente hipocondríaca, acabei herdando kkkkkk
REalmente fiquei analisando isso que você falou, as vezes a gente tenta se esconder, quando percebe ninguém mais te liga.
bjsssssss

Mylla Galvão disse...

Um post um tanto ácido... mas verddeiro Rafa!
Eu era aquela q gostava desentar na última carteira da sala, bem no fundo para ninguém me ver...
Mas depois que passei a sentar na frente, bem grudada no professor, não sí mais... mas continuava tímida.
Sofri mto para sair, desabrochar... mas valeu a pena!

Bom fds!

bjo

Edu disse...

Gente, mas sua mãe é quase uma Heroes-XMen!!! Beijo pra ela e pra você e pra Xuxa!

Paulo Braccini disse...

caraca ... tenso com mamadi ... rs

;-)

Lobo disse...

Pois é, o mundo tá esquecendo de mim.

Esses dias, fui passar por essas portas automáticas e ela não quis abrir pra mim ahauahauhaua

Dama de Cinzas disse...

Eu tenho passado minha toda tentando não acreditar no fato de que sou uma azarada... rs... Porque faço parte de um monte de minorias podres e rejeitadas. O que mais queria na minha vida era ter uma vida dessas bem medianas, normalzinha, tediosas... rs

Nem vale muito a pena explicar esse comentário, talvez um dia vc o entenda em toda a extensão.. rs

Beijocas

Arsênico disse...

O caso é seríssimo... mas nÓn pude conter minhas gargalhadas! Rsrsrsrs...

Mas sabia que muitas vezes essa invisibilidade social torna-se uma benção?

Tem momentos em que gostaria de ser um camaleão e camuflar-me para não ser incomodado...

Odeio gente incômoda!

***

aBraços!

;-D

Inside Me disse...

menino, parece q abruxa ta solta pra algumas pessoas né, q medaaa. eu hein.
bjs jamal

Marcelo Corrêa disse...

aiuaeo... curti muito seu blog.. vou seguir!! abraço

Tathiana disse...

Posso te dizer que nas vezes em que fui percebida, ainda que a impressão causada fosse boa, me ferrei na maioria das vezes. Aqui no trabalho é um exemplo. Se eu ficasse invisível (e eu tentei!), trabalharia menos e ganharia mais! Mas tudo bem... Não vou morrer por causa disso.
Bjs.

railer disse...

adorei o texto. divertido e verdadeiro. gosto do seu jeito de escrever.

Gabuh disse...

pior é essa galera que fala "se deus quiser", como se elas mesmas não fossem responsáveis pelas coisas que acontecem em suas vidas, como se tudo de bom e ruim que acontece fosse apenas obra do "graças a deus", sabe?! tenho horror!

e cara, valeu pelo texto. saiba que ele fez diferença pra mim, justamente pelo seu final. adorei e vou agarrar esse ensinamento pra vida!