QUESTÃO DE OPINIÃO

Engraçado quando temos discursos diferentes para um mesmo propósito ou assunto. Isso se pode chamar: falta de opinião.

A frase acima fica perdida no espaço sem compreensão, caso não explique o porquê dela. Então vamos lá. O personagem principal disso sou eu...rs

Um breve relato de duas situações parecidas, na qual dei minha opinião. A primeira gira em torno da minha sobrinha mais velha, e o aniversario da irmã do namoradinho. Ela por vergonha (por ser ainda recente o namoro) não quis ir à festa, a qual dei total apoio, por que ela não se sentiria bem, estaria deslocada e isso para uma adolescente de 15 anos é inimaginável. É uma tortura terrível, ainda mais quando se é tímido. Apesar de todos insistirem eu achei que a decisão dela tinha que ser respeitada.

No mesmo fim de semana eu entrei em contradição com minha opinião dada. Fui a um casamento, que não conhecia os noivos. Esse é um tipo de situação que abomino. Não gosto de freqüentar lugares que não conheça ninguém, muito menos casamento que é algo formal, com convidados selecionados a dedo pelos noivos. Bem, fui com amigos, que haviam confirmado minha presença por que o noivo insistira que eles levassem quem quisesse. Tudo bem, aceitei e fui, depois de alguma insistência (que nem foi muita).

Engraçado que chegando ao local, é que me deparei com uma sensação terrível de vergonha, constrangimento. Eu não gosto de estar em lugares onde não domine as minhas reações. Quando me sinto acuado, envergonhado me fecho como um tatu bola, o que piora mais ainda a situação.

Cofiar que os amigos te deixarão a vontade é ilusão, até por que eles conhecem as pessoas que estão lá, ou parte delas, e é inevitável a confraternização entre eles. O que te joga num quadro de sorrisos sem graça, e tentativa de ser “legal”.

Há muito tempo eu tenho o habito de não fazer nada que não seja do meu agrado. Talvez por que na infância a mãe carregasse para todos os tipos de programas de índio, e mais tarde acumulado com os micos que paguei quando as namoradas obrigavam a freqüentar a casa de tias velhas cheirando a urina. Isso foi uma promessa a mim mesmo, de não me obrigar a passar por isso, e acabei rompendo com meu tratado particular.

O casamento não foi ruim, alias foi muito diferente, com noivo vindo a cavalo, noiva de sombrinha e um frio desagradável. Até aí tudo bem, o pior é sentar-se a mesa com pessoas estranhas, e tentar interagir percebendo claramente que ninguém está afim de papo. Ainda bem que uma alma caridosa me fez cia, minimizou e evitou que o constrangimento atingisse o ápice.

Bem, pra finalizar, nem apresentado aos noivos fui, me deixando a certeza de nunca mais repetir ou aceitar esse tipo de convite. Não sou o cara-de-pau que vai de bico e rouba a cena. Não, esse não sou eu.

A conclusão é que dei apoio a minha sobrinha e se tivesse escutado o que disse a ela, não teria passado por uma situação complicada e chata. Por mais que as pessoas digam: bobagem, vamos, vai ser divertido!!! Pare, analise o seu comportamento em ocasiões assim e certifique que realmente não será um passei constrangedor. Afinal pimenta no dos outro é refresco. Difícil alguém compreender os seus sentimentos.

Aprendida a lição. A gente fica velho e mesmo assim se deixa levar...

Abração e boa quarta-feira pra todos.

8 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

eu te entendo.
Qtas vezes não ouvi o "Vamos e vai ser divertido". E foi divertido, mas não sei para quem.

tô fora desses compromissos sociais. Só vou aonde tenho alguém que eu goste, para ter um sincero desejo de estar no recinto e não apenas para ficar lá, de vaso, de enfeite
bom dia

Edu disse...

Coisa de "adulto" essa de se meter em encrenca, né? Pelo menos no casamento que eu fui nós ficamos com os amigos econhecíamos os noivos e familiares. Mas... faz parte! :-)

KARINA PINTA E BORDA disse...

O pior é quando você é amigo de quem está dando a festa, que é um péssimo anfitrião e te deixa deslocado no meio de um monte de gente que você não conhece... Mas eu concordo com você em gênero, número e grau quanto à história que você contou. Bjs, Karina.

Lobo disse...

"bobagem, vamos, vai ser divertido!!!"

Essa frase é alerta vermelho para momentos tediosos e envergonhantes pela frente... Cai na besteira de me deixar levar por ela nesse feriado, e me arrependi amargamente hahaha

Abração Rafa!

Autor disse...

Contradição é meu nome e mudo de opinião igual troco de roupas (lembrei da Kate Perry: 'you change you mine like a girl changes clothes...')
Mas se eu tivesse lá no casamento tinha ficado papeando contigo. Sou desses que se enturma com os penetras.
:-P

Albuq disse...

Bem, eu não vou para lugar algum sem que esteja muito afim, mas, as vezes nos colocam cada situação dificil, quase nos levando a força. Entendo tua situação.

Edilson disse...

Dependendo do "pograma de indiu".. tô foraaaa...hahahahaha.
Começar com essa frase já é um indício de coisas nebulosas..hahahaha.
Abraços.

Marcos disse...

Eu já fui a casamentos que eu conhecia todos e foi chato e fui a casamento que não conhecia os noivos e me diverti muito.

Claro que a "oportunidade" para se divertir e interagir com as pessoas é muito mais sua do que daqueles que te cercam.

Alias a opção de vida de se divertir é ser feliz é exclusiva nossa!

Eu faço algumas coisas que sou forçado e me esforço para fazer algumas que não sou obrigado.

O melhor é fazer o que seu coração manda e ter livre arbitrio da decisão tomada... então... relaxa e gosta!

Abçs