HISTERIA

Muitos estudiosos do comportamento humano já se infiltraram no consciente de pessoas que são alucinadas por um ídolo para tentar entender o porquê de tanto fascínio.

Pra mim tudo isso não passa de histeria e falta do que fazer. Pessoas se acotovelando e chorado aos berros por um cara como Luan Santana, é pura falta de umas cintadas na perna. Há um vídeo que nem me preocupei em postar aqui que mostra um “garoto” aos prantos no show desse guri aí, o tal Luan, do qual não sei nada, nem o estilo musical. A mãe do lado parecendo orgulhosa do escândalo do filho. Certeza que no futuro alguma coisa vai estar fora dos eixos.

Não vejo celebridades como algo superior, que devemos reverenciar. Claro que gostaria de conhecer muita gente famosa pessoalmente, saber como são fora do vídeo, mas até aí, parar em frente a ela e chorar, gritar, espernear, jamais.


Pra quem não sabe, long, long time ago participei da produção do filme de Sandy & Jr. aqui na região. Trabalhei na criação cenográfica, posto esse que só arquitetos ocupam. Claro que freqüentar um set de filmagens e ver nascer um filme é muito especial. A forma como são criados objetos de cena, e como ficam na pós produção é um show. O filme foi um fracasso, apesar da grana investida. Mas na época, estavam no auge da fama, com o seriadinho na Globo e milhares de fãs espalhados pelo país.

Quis comentar esse fato por que na época não sentia nada demais em vê-los caminhar por entre as pessoas da produção. Vinham amparados por seguranças, com a mãe insuportável a tira-colo, e tentando ser normais. Posso até parecer antipático, mas em momento algum senti vontade de pedir um autografo, de tirar uma foto com eles, como faziam os demais.

Já cruzei com outras celebridades, no Rio, em São Paulo, e mesmo assim nada. Não sou tiete, definitivamente. Posso ser estudado também...rs rs rs.


Nunca me imaginei num show gritando e chorando por algum artista. Tenho sim, alguns que sei que me emocionaria assistindo ao vivo, como Roberto Carlos. Acredito até que me sentira estranho, se batesse de cara com a Xuxa. Mas essas celebridades que ocupam um patamar acima dos réles mortais, dificilmente cruzariam meu caminho.

A cidade de Paulínia vizinha a Campinas cerca de 20 minutos de carro, vem ocupando um espaço no cenário artístico, com o pólo de cinema, com estúdios capacitados para grandes produções, visto a belíssima fotografia de Chico Xavier, filmado por aqui. Alem do festival de cinema que aos poucos tem ganhado foco entre os artistas. Com isso, e sendo uma cidade pequena, as celebridades migram para Campinas quando tem que permanecer por aqui em filmagem.

Hoje é comum ver artistas Globais hospedados em hotéis, e freqüentando bairros boêmios e shoppings da cidade. E nem assim me empolgo quando vejo alguém conhecido da TV. Sou um antipático mesmo...rs.

Se fosse famoso acho que detestaria ver alguém berrando e chorando por mim. Deve ser por isso que não sou famoso...rs rs rs.

Aos que curtem se acotovelar pra ver o ídolo, beleza....cada maluco com sua mania.

Abração e boa quarta feira gelada a todos.

10 comentários:

Karina disse...

Em parte, acho que essa mania de tietagem pode ser coisa de adolescente. Eu também nunca fui uma tiete, mas minha irmã, que aos 12 anos fazia teatro com o Pedro Vasconcelos, era uma super tiete. Hoje acho engraçado, mas na época achava aquilo um mico danado, porque ela não podia ver um famoso que ia lá na maior careta de pau pedir para tirar foto. Ela tem o álbum até hoje e isso, de certa forma, mostra um pouco da história e da personalidade extrovertida dela. Um beijo, Karina.

Tathiana disse...

Não sou do tipo tiete. Não acho artistas (ainda mais globais) seres superiores. Sempre achei a dupla Sandy e Junior muito artificial (especialmente a Sandy. Júnior parece ter um pouco mais de personalidade).
Bjs.

Renato Orlandi disse...

Eu também, ficaria verde de medo, já fico qdo choram perto, imagina se fizerem escandalo ahsuhaushau, a menos que fosse Madonna ou Xtina eu não faria escandalo ahsuhaushasu... abraço!

Lobo Cinzento disse...

São pessoas. Pessoas como qualquer outras. Com um trabalho. Assim como qualquer outra.

Porque idolatrar?

Abração Rafa!

Luciano disse...

Idolatria pode acabar virando uma doença perigosa.
Abraço,
**

Andrea Pagano disse...

Oi Rafa,
Também nunca fui de gritar ou ficar sendo esmagada para ver um artista ou cantor.
Quando tinha por volta dos 18, fui ao show da Xuxa e tirei uma foto com ela em seu camarim, mas na boa, pois foi no Olímpia e o acesso estava tranquilo.

Visitei alguns atores no camarim como o Nanine, Marieta Severo e sua filha, Fábio Assunção, Rita Lee, mas não para pedir autógramos, mas para parabeniza-los ao final de uma peça ou show...Mas não tinha ninguem, nem fila, tudo ligth, sem seguranças ou histerias.

Acho que vc chegar perto para parabenizar ou agradecer pelo trabalho é bacana e incentivador, independente do sucesso ou da beleza, mas o respeito e admiração não precisa necessariamente ser expressados com gritos ou desmaios.

Bjs,

Lord V. disse...

cada louco com sua mania.
eu tb nao vejo nada dmais em celebridades. algumas sim me deixam de boca aberta, mas nada q me faça perder a cabeça se a visse.

abraços
voy

Antonio de Castro disse...

o rio vive cheio de artistas. a gte acaba se acostumando.

mas acho q a questão não é de simpatia ou antipatia. é uma questão de idade talvez.

essas pessoas q choram, esperneiam, se estapeiam... elas têm 13 anos.

cm 13 anos eu fazia td isso justamente cm Sandy e Junior.

mas não fui ver o filme, hein... essa época eu já tinha superado.

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Bom dia, Rafael.

Com certeza, eu faço parte do seu clube! Também nunca fui de ficar aos berros e desesperos por causa de celebridade nenhuma. É claro que às vezes, num show, a gente acaba por se emocionar em algum momento e vem aquele arrepio seguido de lágrimas rolando pelos olhos, como seria o caso de ouvir o Fred cantando Love of My Life. Mas isso se dá pela emoção no momento, não pela adoração descabida da imagem que fazemos de alguém - quase sempre errada.
Também não me importo se cruzar com alguém famoso, não... como eu sempre - e grosseiramente, admito - digo: grande coisa... cagam tão fedido quanto eu...

kkkkkkkkkkkkk

Obrigada por sempre deixar palavras tão doces e ser tão simpático quando passa pelo meu blog.

Beijo grande!

railer disse...

acho que tudo tem um limite. não se deve é deixar a coisa tomar conta como uma doença.

conhece a história do #putafaltadesacanagem no twitter? é por aí...