AS TECNOLOGIAS DO AMOR

Lembro quando criança que existiam revistas com classificados amorosos no fim das paginas, ou até mesmo algumas especializadas nesse assunto. Muitas mulheres e homens da geração dos meus pais se utilizaram desse recurso (que era o que tinha pro momento) para encontrar sua cara metade.

Minha memória ainda guardar lances desses subterfúgios românticos. Era um tiro no escuro. Os anúncios vinham com endereço de correspondência, sempre caixa postal, para onde os interessados enviavam suas descrições pessoais e se interessasse, então passavam a trocar cartas. Há dezenas, centenas de casais que se conheceram assim. A prima de uma amiga, já beirando os 40 anos, solteira, após um ano de trocas intensas de correspondências com um italiano, o conheceu no Brasil, se apaixonou ainda mais, casou-se e é feliz há muitos anos com ele na Itália.

Entre o fim da década de 80 e inicio de 90 surgiu o conhecido “disque amizade”, uma forma mais simples e direta de se encontrar um par romântico. Pessoas passavam horas em salas que eram divididas em até 20 canais. Ali as pessoas se encontravam, trocavam números de telefone e mais tarde acabavam por se conhecer pessoalmente. Certeza que os trintões lembram...rs

Claro que isso sempre foi uma coisa a margem a sociedade. Mulheres que pregavam a moral e o bom costume, achavam que encontrar um pretendente através de anúncios, por telefone que fosse, era algo inadmissível pela exposição direta. Garanto que muitas mulheres ficaram sozinhas por conta disso.

Com o advento da internet vieram às salas de bate papo, os “chats” que proporcionaram o primeiro boom da história dos relacionamentos amorosos. Em meados de 1997, 98 os chats eram basicamente usados para esse fim. Conhecer, papear e depois namorar foi uma forma mais fácil de busca o que ajudou demais pessoas tímidas.

Mas como tudo acaba se corrompendo, as salas de bate papo hoje são um misto de putaria, esconderijo para pessoas retraídas, pedofilia, etc. Pequena parte dos freqüentadores está ali com a finalidade de encontrar um par romântico. O bom é que há uma certa organização nos sites, existem salas destinadas a cada tipo de interesse.

Vasculhando o “uol” para poder escrever esse texto, fui a um tópico onde tinham salas abertas por assinantes, e confesso que ri dos títulos propostos como: “casadas querem negros já”, ou “crentes dão tudo”, “Heteros de calcinha”...rs rs rs. Um tanto quanto infame.

Mas o teor desse post é o seguinte: O amor nasce em lugares inexplicáveis, desde que o coração permita.

Minha idéia de romance via internet era bem deturpada e achava que isso jamais renderia boas histórias de amor. Acreditava que os encontros baseavam-se em sexo e tchau. Uma forma simples de relacionamento sem compromisso. Mas hoje tenho a certeza de estar enganado.

Claro que há sim, a facilidade do encontro casual, que gera sexo e esse tchau até nunca mais. Mas tem também as almas que se encontram que se amam, e eternizam isso em belos relacionamentos coroados de filhos.

A internet é o “bailinho, a “matinê dançante” do domingo do século 21, que eram locais onde se podia encontrar um par, paquerar e quem sabe arrumar alguém para namorar. Hoje há a possibilidade de se ver a pessoa, através de fotos, câmera e tudo mais que facilite a escolha daquele(a) que preenche suas expectativa pelas inúmeras coisas em comum. Não há mais encontros às cegas. Quem o faz, é por conta e risco. A sensação de receber uma carta do pretendente é tão emocionante quanto abrir a caixa postal de e-mail e ver que escreveram pra você.


O amor digital tem feito muitas pessoas felizes. Mulheres e homens tímidos se encontram dentro de seus mundos e personalidades em comum. Isso é o bonito. Não há casamentos arranjados, não há famílias escolhendo pretendentes para os filhos. Pelo menos não em nossa cultura ocidental.

Já existe a geração dos filhos do relacionamento virtual. Caras metades que se encontraram numa telinha, se apaixonaram e vivem felizes, graças a tecnologia.

Nas décadas passadas um rapaz gay se trancava dentro de uma redoma e de lá saia para casar com alguma menina que a mãe achou interessante. A coragem de se declarar ficava presa na garganta. Muitos casamentos infelizes, com homens sucumbindo à vontade de se relacionar com outro homem, já com filhos grandes, netos, e uma pseudo vida estável povoaram as cidades das gerações passadas.

Há tantos casais gays que se uniram, graças à internet.


Não sei o que o futuro reserva para que o ser humano consiga encontrar sua cara metade, mas uma coisa eu sei, está muito mais fácil, muito mais tranqüilo, desde que se proponham a achar a pessoa certa. A internet é uma ferramenta de corte duplo, tanto pode te trazer felicidade, como grandes decepções.

É só se cuidar. Não se expor demais, e quando achar que deve deixar o coração aberto a novas paixões.

Felicidades aos casais, aos namorados que um dia foram virtuais.

Pra quem não está namorando...corre que ainda da tempo. Sabadão ta chegando!!
Abraço a todos.

19 comentários:

Lua Nova disse...

A tecnologia evolui, mas as necessidades humanas continuam as mesmas... cada salto evolutivo traz seus ganhos e perdas. Cabe a nós usarmos as facilidades em nosso benefício e não como um complicador. Os resultados que a internet proporciona tem telação direta com o caráter de quem faz a busca: se busca amor, encontrará... se busca sexo, encontrará também. Como em tudo que fazemos, há que se ter responsabilidade, critérios e consciência.
Beijos.

Rodrigo Rocha disse...

Foi o q aconteceu comigo! Eu q considerava a coisa mais maluca do mundo se envolver com alguém de uma sala de bate-papo, com tanta gente ao redor pra conhecer pessoalmente, acabei encontrando o amor da minha vida à 3 Estados de distância de mim... Com ele pude aprender e sentir mais coisas do que já senti ao lado de alguém. E mesmo em estados diferentes, ele conquistou um respeito pela minha mãe e irmãs, q nenhum cara q apresentei pessoalmente teve. Hj estamos juntos! = )
Áh, minha antiga chefe e uma outra colega, tb conheceram seus esposos numa sala de bate-papo. O casamento? Mais sólido do q muito relacionamente 'tradicional' por ai.

Como vc disse: "O amor nasce... desde q o coração permita." E é um caminho de mão dupla... acho q é melhor dizer duas pistas, q seguem na mesma direção (nada de contra-mão). Os dois têm de permitir.

Amei o post. Viva o hj!
E o amanhã, se DEUS quiser, com fé e a esperança de agora.

= )

Dama de Cinzas disse...

Casei com um cara que conheci na net, vivi 5 anos com ele e mesmo assim continuo não acreditando em conhecer gente na net pra relacionamento amoroso. Deve ser por conta das minhas outras experiências traumáticas na internet...

Bjks

Vanessa disse...

Rafael, estou há 4 anos casada com filho e tudo o mais em um namoro que começou em uma conversa de 15 minutos no já extinto mirc. :-) E estamos aí.

cantinho she disse...

Queridooooooo amei o seu post, muito bom! Sensacional a forma que vc fez desde o início, na época de nossos pais, até os dias de hoje... ficou show! E preciso confessar que ri gostosamente qdo li sobre aqueles encontros do disque amizade (kkkkkk) isso era uma febre, ai, ai, muito bom! Ah tudo é experiência, divertido e no mínimo vira somente mais uma estória pra se divertir lembrando depois.
Bem, qto ao relacionamento que começa pela internet, nunca vivi essa experiência, mas se for gostoso e verdadeiro por que não? É somente mais um canal de possibilidades.
O seu texto casou um pouco com o meu de hoje sobre a impontualidade do amor...
Beijo, beijo!

Rafa disse...

Internet é um meio, com características próprias é verdade, mas um meio, onde existe todo tipo de gente. Eu sempre penso se eu estou "lá" e posso me interessar de verdade por alguém... porque a recíproca não seria verdadeira? Abç!

Atitude: substantivo feminino. disse...

O amor nasce em qualquer lugar!
Concordo plenamente.
Internet, supermercado, enterro, festa..
Concordei muito quando vc disse que a net substituiu os bailinhos (rsrs)...é verdade..o menino não precisa mais tirar a menina para dançar..basta chamá-la do msn! Acho que ajudou os tímidos.

Parabéns pelo post!
B-jou

Ruy disse...

Por 20 anos vivi numa casa de número 145, o que me obrigou a conviver com o apelido disque amizade.

Bullying, isso se chama bullying!

Andrea Pagano disse...

Rafa, adorei seu post!
Fiz referencia no meu texto sobre ele!
Acredito sim que se possa encontrar o amor pela net, porque encontrei o Carlos há 8 anos lá...numa salinha da Uol...

Não podemos desistir nunca!

B-juuú!

Fernanda Huppert disse...

Oi Rafael

É muito complicado esta coisa de relacionamente pelo internet, vamos dizer que em porcentagem, dá certo uma grande minoria, isso já constatado em várias pesquisas feitas em sites de relacionamentos.Mas acho que cada um sabe que é melhor e o que é certo para ele.Eu , assumo que sou uma romancista, que ainda espero aquele "homem" que muitas de nós esperam, mas muitas não admitem[rs], que seja tão ou mais romântico.Acho que deve ser pelo que vi em meus pais, sei lá, nada mais gostoso do que ter ao lado, além de um namorado, ou marido, alguém que seja cúmplice e companheiro por toda vida."Mas isso é um sonho meu, coisa minha, porque nossa geração hoje tem toda esta tecnologia, fez perder um pouco de tudo isso que disse, pelo menos é o que sinto.

O importante mesmo, é ter amor, prazer em estar com o outro...e pra quem namora! "Um Grande Feliz Dia dos Namorados"!

É isso!

Abraços

Anita disse...

Corre pra que lado? uahuahuaha
Já entrei no chat da UOL.
MeO NÃO ACEITE WEB CAM!
Que susto!Uma vez e nunca mais.hahaha
No mais.. como vovó diz:
O que é seu vem em casa ;)
Também penso assim, o que é pra ser seu não adianta.. será, de qualquer forma.
Porque do mesmo jeito que tem gente que corre atrás através de todos os veículos de comunicação e não consegui nada.Tem gente que não move uma palha e encontra seu grande e verdadeiro amor.O negócio é não se deixar tomar pela ansiedade.E acreditar na sorte do seu futuro:)

Serginho Tavares disse...

eu sou MUITO reservado e não gosto de falar sobre mim na net mas quem sabe um dia eu conto (só pra você que me acompanha há muito tempo) como o amor surgiu e fincou raízes em meu coração!

e feliz dia dos namorados a todos

Lobo Cinzento disse...

Eu tenho vários exemplos de pessoas próximas que encontraram amores pela internet. Não que durem até hoje, mas pelo menos duraram o suficiente para uma pessoa completamente nada a ver fizesse parte da minha vida de tabela hauahauaahauhau.

É como o Rafa disse... na net, tem todo o tipo de gente. Se eu tenho boas intenções, porque outras pessoas em algum lugar não pode ter? Difícil só é achar XD.

Abração Rafael!

Edilson disse...

Maravilhosa a postagem hein.Voce realmente escreve de uma forma superestimulante.Já preparei um texto e postarei no meu blog amanhã ou sábado mesmo.Viva o amor e os blogs.Abraço querido.

Marcos disse...

Rafa, concordo que a internet é o meio mais atual de se conhecer uma pessoa...

Sei de muitas pessoas que se conheceram pela internet, chat etc algumas atpe se casaram, filhos e outros namoram...

No começo existia um certo preconceito, mas hoje a coisa ja caiu no uso...

Já falaram tudo ai acima....

abçs

*Nã* disse...

"Corre que ainda dá tempo" ???!!? To virando maratonista já e nada... hahhahahha Brincadeiras a parte, adorei o post! Bom fim de semana...!

ManDrag disse...

Acredito que aos tímidos seja mais fácil iniciar um contacto pessoal através de anúncio, internet ou outro modo indirecto de comunicação. Esses contactos muitas vezes acabam em grandes amizades ou mesmo em relacionamentos íntimos duradouros.

A felicidade não é a realização dum idílio mas a vivência atenta e desapaixonada do quotidiano.

Abraço

Três Egos disse...

Já conheci muita gente pela internet. Meu primeiro namorado foi pela internet, inclusive pelo bate-papo da uol... rs. Mas para falar a verdade não curto muito e não acredito muito neste negócio de arranjar alguém pela internet. Por masi que exista a cam e tudo mais eu ainda prefiro aquele contato olho no olho ao vivo na primeira vista.
Pela internet gosto de fazer amizades, conversar com pessoas de outros lugares, com outros pensamentos, isto é riqueza, experiência de vida. Muito bom.

Abraço!

Marcos Campos disse...

Fala Rafa!
Super legal o post, com certeza a internet uniu muita gente, eu mesmo conheço vários casais...com certeza abriu muitos novos caminhos e formou muitos casais improváveis, pois abriu a possibilidade de gente de lugares muito diferentes e distantes se conhecerem, que sem a internet, as pessoas nem se conheceriam...
Abraço!