VELHINHOS MALCRIADOS


Sou o que mais respeita idosos entre meus amigos e familiares, por que sempre tive paciência com a terceira idade, mas ultimamente tenho cruzado com “velhos” tão arrogantes e chatos que minha vontade era sair no braço com eles.

Não acho que chegar a velhice é o mesmo que ganhar um cartão fidelidade da “verdade absoluta”. Aquele que da direito ao idoso de falar o que pensa, tomar a frente nos lugares públicos ou simplesmente achar que nós (mais novos) devamos simplesmente evaporar para que eles possam existir.

Não me conformo como os homens idosos tornam-se arrogantes. Eu sempre dou a frente nos locais onde não há filas para eles ou quando o acesso é complicado, mas não me venha bancar folgadão, por que ai faço o véio ficar em pé, esperando a vez dele. Tudo é uma questão de educação. Acredito que por estarem na idade avançada, tem a obrigação de serem cordiais ( o mesmo se aplica a gente feia. É feio, então tem a obrigação de ser legal, como já disse uma vez por aqui). E também não entendo por que se tornam agressivos. Hoje pela manhã um véio me fechou no transito e obviamente buzinei para que ele se atentasse de que estava fazendo cagada. Me xingou, me mandou pra aquele lugar. Quando emparelhei o carro, era um senhor minúsculo dentro do carro, daqueles que dirigem grudados no volante de bigode, aparentando ser da geração de Santos Dumont. Ia devolver os impropérios, mas resolvi ficar quieto e segui em frente. Não gostaria que alguém xingasse meu pai, mesmo ele errando.

Outro dia estava numa feira de artesanato aqui em Campinas (algo típico da cidade) onde há varias barracas de comidas caseiras, muito boas. Pois bem, estava parado na banca do pastel, já era tarde, a mocinha estava cansada, e uma velha cretina se metendo na frente de todo mundo (ela deveria por ordem de chegada ser a ultima da fila), mas sacou do seu cartão velhice e pôs-se a falar e criticar tudo. Meu, tem 10 barracas de pastel, vai comer em outra e para de ser chata. Quase me voltei pra ela e disse a frase do “Terça Insana”: Prefiro ter um filho viado, que um filho velha!!!!

Não gosto de pessoas arrogantes, sejam elas da idade que for. Adoro aqueles velhinhos engraçados, fanfarrões que sempre tem uma palavra de amizade, e um belo e largo sorriso no rosto, esses me cativam, e sou capaz de passar horas conversando com eles. Sou dos que gostam de velhos e crianças (que na minha cabeça são iguais, e merecem todo meu respeito).

Não pouso de bom samaritano dizendo essas coisas, por que quando me afrontam, xingo de forma até preconceituosa. Claro que jamais repetiria em voz alto e aqui em publico, mas minha paciência ( apesar de ser a minha maior virtude) também tem limites. E não é apenas com estranhos, por que quando pai e mãe passam do ponto, levam broncas como criança pequena.

Sempre que passava por uma avenida movimentada daqui de Campinas, via uma velhinha sentada a meio fio vendendo rosas. Aquela imagem me destroçava. Não havia uma única vez que a visse e a garganta se fechava com um nó. Onde estavam familiares, filhos que deixavam aquela senhora ali, tão velhinha exposta ao sol do dia inteiro? Sempre tive a sensação de que um dia iria tira-la dali, mas acho que não deu tempo, de uns anos pra cá ela não fica mais por lá. Penso que alguém possa ter feito por ela aquilo que eu não fiz.

Isso me perturba, apesar de não ter medo de envelhecer. Será que um dia alguém vai me olhar com pena? Não gostaria. Quereria eu olhar para os jovens e dizer, tenho pena de sua ignorância.

Boa semana a todos. Abraços.

VAMOS TER UM POUCO DE BOM SENSO!!!!


Tenhamos bom senso para falar de assuntos do nosso país, principalmente quando se tenta jogar nas costas de outros a culpa pelo desleixo de alguns setores do nosso tão amado Brasil.

Agora pela manhã vi a foto abaixo estampada por varias pessoas dentro do meu facebook. Nela há uma clara indicação de que a Rede Globo é culpada pela alienação em relação a greve de professores, que já dura muitos meses. Sejamos honestos: quererem atacar a emissora? Beleza!!! Mas arrumem outro assunto ao qual ela deixa a desejar para reclamarem e não dizer que a novela das nove mascara problemas da sociedade.

Pois bem, então analisemos a situação. Greve é um direito que cada cidadão desse país tem por viverem numa democracia e podem exercê-lo quando e como quiserem. Por isso não tiro dos professores o direito a esse recurso, que muitas vezes é o único meio de chamar atenção. Tá, ok, uma greve de uma semana, duas, pode ajudar a conquistar melhores salários condições de trabalho e assim não prejudicar a vida letiva de um aluno de ensino fundamental, por exemplo. Mas convenhamos que estar no centésimo decimo dia dessa mesma greve já não é mais brigar pelos seus direitos, é simplesmente esquecer que existem alunos, crianças que dependem da escola, da merenda, do tempo que ficam ali e não estão soltas em casa a ver navios, a mercê de muita coisa ruim.

Há necessidade sim de encarar isso com bom senso, uma greve de mais de 3 meses é prejudicial aquele que depende da instituição. Não tiro os direitos dos professores, mas nesse caso eles estão abandonando os que precisam deles. Não sou a favor de permanecer em greve tanto tempo. Sei por que vivi na pele na minha época de estudante, tanto no ensino fundamental, quanto acadêmico universitário, os problemas de reposição de aulas (que na verdade nunca aconteceram), provas e conteúdo que fizeram diferença em anos subsequentes. No frigir dos ovos, os únicos que se ferraram de verde e amarelo foram os alunos.

A Rede Globo é sim manipuladora de opiniões, não discuto, mas deixam-se atingir os acéfalos, aqueles que são levados pelas ondas, de acordo com sua conveniência. Pelo amor de Deus, dizer que a novela camufla os problemas e desvia atenção é nos chamar a todos de ignorantes. Não existe apenas a Rede Globo como meio de comunicação nesse país e se é pra culpar alguém então elenquemos outras produções que também estão fazendo sucesso. Nicole Bahls e Viviane Araújo em A Fazenda  são comentadas diariamente em tudo o que canto. O Jornal do Boris na Band ( dentro do programa Pânico),  a novela Carrossel ( SBT) e também Raí e Zeca Camargo que viraram noticia nas ultimas semanas, ahhh, sem deixar de culpar também o atirador do Colorado, que lá nos EUA matou 14 e feriu 55 para desviar atenção da greve dos professores no Brasil.

É tão ridículo, patético e sem conteúdo transformarem uma novela em bode expiatório para os problemas do país que fica claro e visível que os pseudointelectuais que se acham acima da inteligência nacional, e ficam com seus oclinhos na ponta do nariz lendo filosofia grega e apontando quem é ou não capaz de discernir os valores da sociedade que na verdade, sem perceber,  estão entrando na lista dos que acham que a culpa de tudo é da Rita.

Por favor, menos...muito menos.

Quem sabe a culpa não é do povo que elege uma cambada de cretinos para representa-los no governo? Será que alguém já pensou nisso ou a Rita vai ter que gritar: Vota certo Vadia!!!!


Boa quinta feira a todos.

AS PSICOPATAS DO MOMENTO


Tenho falado menos de televisão nos últimos tempos por que percebo pelos comentários quando o faço que algumas pessoas que me visitam dizem não ver tais programas comentados, e por respeito acabo me privando de falar da minha paixão nacional: novelas.

Hoje pela manhã passei pelo blog do meu amigo Mr. TV(http://bandeirada-bandeirada.blogspot.com.br/), que falava sobre Avenida Brasil, e senti vontade de também discursar sobre.

Não sou apegado a culturas de massa e modismos. Sabe aquela massificação de algo, então, isso me incomoda um pouco. Mas com TV e os sucessos de algumas novelas eu me rendo. Nasci e cresci vendo e analisando os folhetins. Acho tão hipócrita as pessoas dizerem que não assistem novela por que são produtos que induzem você a burrice, mas aí sentam em frente as suas TVs a Cabo e passam horas com seriados americanos, ingerindo, digerindo e vomitando cultura norte americana. Veja bem, tudo tem um limite, eu também assisto seriados, americanos e brasileiros, na dose certa. As mesmas pessoas que escracham as novelas, assistem Chaves ( que pra mim é uma idiotice sem precedentes) mas opinião é igual a orelha, cada um tem a sua, umas deformadas, outras bonitinhas.

João Emanuel Carneiro é tão bom quanto foi Janete Claire e seu marido Dias Gomes. Quando se fala em bons temas e ótimas atuações voltamos lá pra década de 80 onde o Boni tomava conta do “padrão Globo de produções” e questionava tudo, até a marcação de um ator em cena. Pois bem, não sei se há outro Boni criado na Globo, mas as produções estão brilhantes. Cenários, luzes, direção. Tudo com cuidado cinematográfico. Podemos ver isso em Gabriela. Se a história não está agradando por que infelizmente Walcyr Carrasco pegou a doença de Agnaldo Silva e tornou-se soberbo, a nova adaptação de Jorge Amado está valendo pela belíssima construção de cena, com a ambientação e maquiagem bem característicos da década de 30. Praticamente uma película de cinema.

Dia desses conversava com a escritora Ana Beatriz Barbosa e Silva, a medica e autora do Livro “Mentes perigosas”, pelo twitter. Sim, Ana Beatriz é uma pessoa ( celebridade) que conversa conosco. Ela dá atenção educadamente. Não fica ali como faz Preta Gil e outros falando do seu próprio umbigo e literalmente “cagando”( perdoem a expressão) para o resto do mundo.

Ana Beatriz me respondeu quando questionei se Carminha era uma psicopata ou se Nina também o era. Ambas podem se tornar, mas Carminha, por um passado ainda obscuro teria mais chances de se enquadrar as características psicóticas e assassinas. Mas Nina não ficava atrás, por que seu desejo de Justiça, nada mais era do que uma vingança desenfreada, e poderia sim, matar por isso e tornar-se uma psicopata. Minha conversa com Ana Beatriz foi longa, mas no fim das contas, o que fica claro é que as redes sociais estão ajudando a alavancar o sucesso de Avenida Brasil. Personagens bem construídos, que vão de um humor às vezes patético e pobre ( dentro do contexto dramático) até uma cena terrivelmente tensa, como foi a de Nina enterrada viva. Pra quem assistiu vê-la acordar com uma formiga passando pelo seu rosto é de se levantar da poltrona e aplaudir. Quentin Tarantino faria isso com Uma Thurman em seu próximo filme, alias Carminha e Nina são personagem Tarantianos.

João Emanuel não só está de parabéns por resgatar nesses meses as conversas e as reuniões que discutem novela, algo perdido há muito tempo, como pela dinâmica com que joga as novidades na tela. Fina Estampa, não canso de dizer, é um dos maiores fracassos da TV Globo, mesmo que números indiquem o contrario. Uma novela de quase oito meses onde só um personagem gay foi o destaque. Em Avenida Brasil temos um elenco inteiro, onde por mais que nos exercitamos, não conseguimos dizer: fulano não está bem.

Coloquemos a autoria e a produção de Avenida no rol das melhores obras já realizadas. Não me arrisco em dizer que posso pagar a língua e ver João Emanuel perder a mão e não saber finalizar seu texto. Não, ele é como Janete Claire, seus ideais estão acima da vontade do publico, e se no final ele matar um personagem como Jorginho, mesmo assim o publico o aplaudirá, por que haverá contexto para isso.

Walcyr, Agnaldo, Gilberto Braga, Carlos Lombardi, Benedito Ruy Barbosa, recomendo que os senhores se sentem as vinte uma horas todos os dias e reaprendam a escrever. E outra, deixem os seus orgulhos idiotas de lado, e prestigiem um jovem autor que mudou a dinâmica de se contar uma história. João Emanuel, só lhes trouxe mais trabalho. Quero ver vocês o superarem: velhas!!!!

Abração e ótima quarta feira a todos.

MEU MESTRES NO ENSINO


A idade nos trás muito mais do que expressões faciais cansadas, nos trás uma visão tão clara daquilo que já foi vivido, que muitas vezes fica até pedante de ser falado.

Não fui uma criança de jardim de infância (apesar de ser virtualmente amigo do Bratz desde então) e fiquei boa parte da minha infância brincando em casa aos cuidados da mãe professora, que alfabetizou os três filhos antes de ingressarem na escola. Meus primeiros dias no pré-primário foram terríveis. Uma ruptura tão dolorosa, mas tão sofrida que me lembro de tudo, mesmo passados 33 anos. Mas lá havia uma professora, Dona Luiza, que me acolheu e deu atenção até conseguir superar a ausência da mãe. Foi minha primeira mestra, a quem tenho um carinho de filho, e creio eu não esteja mais viva, por que ja era uma senhorinha quando a conheci.

Estudei num colégio estadual, que naquela época ( década de 80) ainda eram considerados o melhor ensino do país. Minha escola era ótima. Corria a boca miúda que só os mais “burrinhos” iam para o ensino particular, por que lá permitiam tudo. Como os tempos mudaram!!!!

Nos anos subsequentes tive outras professoras, Dona Ruth, Clercy, e algumas que me “educaram” no mais profundo significado da palavra. Quando ingressei na quinta série veio à mudança. Não era mais a “tia” e sim os “professores”. Sete no total. Mas me dei bem, por que tinha medo de ser indicado a classe de uma megera, professora de português chamada Mafalda. No ano anterior minha irmã havia abandonado a escola por ser agredida por essa senhora verbalmente. Como tinha e tem um gênio de cão, parou os estudos por causa dela, causando um sério problema na escola. Para minha felicidade foi designado para outras classes, onde essa senhora não era professora. Sorte minha, por que foi um deleite. Dona Cidinha que foi titular na quinta e sexta serie era uma pessoa de bondade infinita. Usava casco de vison no frio...rs rs rs.

Mas não nego traumas nessa época. Matemática sempre foi um problema na minha vida. A primeira professora me fez muito mal, por que bloqueou toda a capacidade de raciocínio logico que poderia obter nesses anos. Era um garoto tímido e o fato dela dar broncas em classe, me deixava cada vez mais introspectivo em suas aulas, não tirando duvidas e nem participando ativamente. Foi à única matéria que tive recuperação em toda minha vida acadêmica, até a faculdade, onde a única disciplina que fiz DP era o que? Matemática. Por isso digo como um professor pode alterar a vida de uma pessoa lá no inicio de tudo. Encontro essa senhora sempre que vou almoçar aqui perto do trabalho. Um dia tenho vontade de para-la e comentar sobre isso, o que não adiantaria de nada, rs.
Só pra constar, não sou da época do bonde ok...rs rs rs

Mas português sempre foi minha paixão, e minha professora de sétima e oitava séries ( que tenho a honra de ter entre amigos no Facebook), me abriu a mente para algo que adoro: escrever. Era obrigado a fazer redações semanais, o que na época odiava, mas que tenho certeza absoluta me ajudou na clareza de expressão e mais uma vez no vestibular, onde minha nota foi 10. O mérito é dela, por que instigou um lado meu na adolescência : o de provar que também podia ser tão bom quanto meu irmão, a quem a professora tinha um apresso declarado. Muitas vezes me chamou pelo nome dele, algo que detestava, por que sentia a comparação. Não fui um aluno brilhante de notas excelentes, mas exercia minha criatividade num trabalho bimestral que era um jornal feito por alunos. Confesso que meu grupo fazia mega produções. O gosto pela leitura e escrita advém disso, graças a ela.

Quando vejo noticiários sobre professores que maltratam alunos, vejo o quanto fui feliz no meu ensino fundamental, por que mesmo os pequenos traumas, não impediram que me tornasse um adulto que gosta de estudar.

As dezenas de mestres que tive na vida, meu muito obrigado.

Abração e ótima semana a todos.

PAIS PERMISSIVOS = FILHOS DESORIENTADOS


Dia desses acompanhando um amigo ao aeroporto de Campinas pra retirar uma carga ( peixes enviados por um cliente) conversávamos sobre a adolescência, algo recorrente nos meus assuntos, por que ainda não consigo entender as pessoas que dizem: deixo o garoto fazer as burradas, é jovem ainda, vai aprender.

Posso dizer? O cacete que vai aprender!!!

Não acho que ser permissivo com um adolescente seja certo. É justamente nesse período da vida que os pais devem acompanhar o desenvolvimento moral de cada um. Já falei sobre isso aqui, mas vou me repetir para dar um exemplo que escutei desse meu amigo.

Ele trabalha numa mega empresa fundada por Mórmons, os quais conheço pouco sobre os preceitos da sua religião, mas escutando ele contar sobre a forma como educam os filhos e a preocupação com a família, concluo que são um seleto grupo que conseguem criar filhos dentro de um universo como o nosso, cheio de perversidades, com honra e caráter sem tirar dos jovens a beleza da vida.

Não faço apologia a religiões, sabem disso, mas respeito aquelas a qual enxergo uma boa vontade, amparada na verdade. Por que de paninhos milagrosos estamos cheios por aí. Mas esse post é para comentar um fato que meu amigo contou.

A filha de um dos companheiros de trabalho, em plena flor da idade, como dizia minha avó, prepara-se para um longo período de estudos nos EUA. Qualquer pai ficaria em desespero sabendo que sua filha vai deixar o ninho para se aventurar por alguns anos fora de casa. Passa tudo que é tipo de tragédias na cabeça. Principalmente levando em consideração a imagem que as Universidades americanas são apresentadas ao mundo. Farra, perversidade e pouco estudo. E pra isso tenho exemplos. Gente que saiu daqui e passou um tempo lá. Voltou com uma carga enorme de aprendizado: em bebedeira, festinhas e pouco estudo.

Mas a garota está indo estudar em Salt Lake City, um lugar fundado por Mórmons, e que mantem a tradição da religião entre os moradores. Tudo bem, então poderíamos dizer que é um lugar só para quem é da religião? Não, é uma capital que oferece oportunidades para todos que querem de forma honesta e concisa concluir estudos universitários ou qualquer outro tipo de formação sem que haja aquele apelo sexual que vemos nos filmes do gênero. Claro que não generalizo as universidades americanas, mas digo que eu ficaria apreensivo de deixar meu  filho ir sozinho pra la. Mas em Salt Lake eu gostaria que fosse. Lá os jovens vivem, festejam, trabalham, mas estudam. Nada de farra desavergonhada e pileques no fim do dia.

Aí pergunto: O jovem pode ser jovem sem cair na gandaia, sem fazer besteiras que algumas vezes os marcam por toda vida? Sim, existem locais como SL que a molecada pode ser adolescente, mas com as responsabilidades de alguém que começa uma vida. Erram os pais permissivos que acreditam que passada a adolescência o jovem cria juízo. Como, se ao iniciar o processo ele desvia o caminho? Não concordo com bebedeiras, com noitadas, sexo por sexo. Tudo isso pode sim ser descoberto com o passar dos tempos. Nunca fiquei bêbado, nem por isso sou um ET vivendo entre humanos. Passei minha adolescência preocupado com o meu futuro e nem por isso deixei de viver, ou  fui alguém fora da realidade. Me instrui, como fazem os jovens que vão para Salt Lake. Não precisei fumar, me drogar, beber até cair, e passar madrugadas fora de casa pra saber o que era a vida. Errado isso, muito errado quem passa essa imagem para um filho, de que ser “direitinho” é coisa de idiota.

Não me julgo nem de longe o senhor da verdade, mas acredito que merecíamos uma Salt Lake no Brasil, fundada por pessoas distintas, religiosas, que não são fanáticas e acreditam que só eles são a religião conclamada por Deus. Desse tipo estamos fartos.  Por que para nós é tão difícil enxergar que existem formas honestas de se crescer? Será que o “jeitinho” do brasileiro vai perpetuar por quantos séculos ainda? Estamos no apogeu da ciência, da tecnologia, e ainda encontramos jovens que passam os dias sentados trabalhando, e almejando o fim da jornada para encherem a cara de cerveja em algum boteco. Desculpem os que acreditam que isso é viver. Daqui uns anos quando a filha desse rapaz que está indo estudar fora voltar comparemos algum jovem da mesma idade que compartilha da ideia de que tem que “viver” intensamente, para vermos a evolução de cada um.

Respeito, honestidade, caráter, moral, bom senso, ideologia, inteligência, se conquistam com estudo, por que cultura não ocupa espaço, e a família que tem isso por base associada a religiões integras, criarão filhos que farão a diferença nesse mundo.

Abração a todos, e ótimo fim de semana.

OI OI OI....


Há muito tempo não existiam mobilizações por uma novela. Avenida Brasil, vem aos poucos marcando a teledramaturgia nacional com inúmeros  argumentos que fazem com que as rodas de conversa em todos os cantos falem dela. Pode ser bem ou mal, mas hoje se fala muito na novela.

O centésimo capítulo chega como se ontem mesmo tivéssemos visto Rita correr atrás de Max ao ser abandonada no lixão. Como em todo folhetim, uma barriga foi criada para encher linguiça. No ultimo mês a novela não saiu do mesmo ponto, mas como João Emanuel Carneiro é ótimo, essa barriga é lisa, pequena, e sarada, por isso a partir de hoje começa uma nova etapa na trama.

Minha admiração a quem tem a capacidade de fazer com que milhões de pessoas discutam o seu tema. Como disse, podem existir pessoas no país que ache que falar de Avenida Brasil é perda de tempo, mas me perdoe essas pessoas, vivemos num país “democrático”, ao mesmo tempo que idolatra um seriado mexicano da década de 70, pode muito bem se curvar perante uma boa produção nacional.

Os que comungam da opinião de Bruno Mazzeo que acha que o twitter e outras redes sociais são apenas coisa de gente burra, pega sua malinha e vai pra Croácia, lá o povo quem sabe é mais culto.

Em homenagem a Carminha e Nina, hoje to congelado.

Abração e ótima quinta feira a todos.

E A FARRA DOS COLLOR ESTÁ DE VOLTA


Nasci numa época em que a ditadura militar no Brasil já agonizante, tentava violentamente calar os opositores, ou comunistas, como gostavam de chamar os milicos do poder. Não sou de uma família de militantes, por isso resguardado no meu santo lar, ao lado de familiares cresci e vi a transição meia boca feita pelo ultimo presidente da era militar para o nosso hoje democrático Brasil.

Engraçado que desde cedo sempre achei teatral demais essas tentativas de fazer o povo crer que políticos lutam por eles. Sempre enxerguei a politica no Brasil como um grande banco, onde os eleitos tem a disposição bilhões de nosso dinheiro para utilizaram da forma que querem. Em 30 anos de democracia, não deveríamos mais ter tantos escândalos de corrupção assolando a nação. Já deveriam ter criado leis para impedi-los. Mas por que a raposa colocará arame farpado no galinheiro, para obstruir sua própria passagem?

Um novo capitulo constrangedor da nossa história foi escrito ontem numa entrevista absurda, sem conteúdo e meramente politiqueira feita por Renata Ceribelli com a ex-primeira dama Rosane Collor. Já amadurecida após os 20 anos do impeachment do Presidente, Rosane vem à mídia conclamar seus direitos. Direitos esses que não existem, já que seu ex marido Fernando Collor os perdeu quando mostrou ao Brasil sua incompetência para comandar o pais.

Evangélica, clamando a Jesus o tempo todo, contou-nos histórias que não fazem diferença para nós brasileiros do século XXI. Dizer que havia rituais de magia negra da casa da Dinda, e que a há uma maldição Collor pairando no ar é tão infantil quanto ela achar que merece reconhecimento nacional por ter sido primeira dama. Essa senhora obtusa, que não agregou nada a nós brasileiros, se compararmos a Ruth Cardoso, devia ficar na sua igreja orando pela sua salvação, por que corrupção também é crime, e por elas muitos morrem de fome e a mingua em hospitais. Roubar é pecado!

O Brasil parece um grande gibi de comédia. Não dá pra levar em consideração o nosso país num perídio de quase uma década, entre a morte de Tancredo Neves e a eleição do salvo guarda da nossa economia Fernando Henrique. Nesse meio tempo tivemos um Sarney Marimbondo de fogo que não continha a inflação de 85 % ao mês, algo bizarro de se imaginar hoje, um caçador de marajás que se mostrou mais marajá do que os que ele atacava. Um presidente metido a gostosão de saco roxo e com discursos inflamados, muito parecidos aos de Adolf Hitler (analisem e comparem a entonação de ambos), rodeado de corruptos e ineptos. E para finalizar a balburdia no palácio do planalto deixaram um Itamar Franco assumir a presidência e desfilar com modelos sem calcinha sobre palanques. É de se envergonhar disso. A mesma  Rede Globo que conclamou os caras pintadas apoiando-os em seus telejornais, hoje trás de volta a marionete sem graça e inócua (acredita ela) Rosane Collor.

Disseram após a entrevista que o agora senador ( ohhh leis frágeis que temos aqui, um corrupto ainda pode se eleger) Fernando Collor não iria comentar o que foi dito. Claro, nem eu o faria. No frigir dos ovos o que ficou latente foi a dor de cotovelo de uma ex mulher que recebe uma pensão a qual acha ser uma miséria. O que essa senhora precisa entender é que 95% do país vive com muito, muito menos do que os R$ 18.000,00 pagos por ele, e se tem necessidades superiores, trabalhe. Dona Rosane Collor tem que levantar a mão aos céus e agradecer ao Jesus que ela encontrou de não sermos um pais do Oriente Médio, da Ásia, onde a corrupção é castigada com penas de morte. Hoje ambos poderiam estar desfilando manetas por aí se tivéssemos leis rígidas para ladrões.

Cara Dona Rosane Collor, aqui é um brasileiro que assistiu o seu apogeu e a sua queda, e a única coisa que posso lhe dizer é: vai lavar um tanque de roupas pra saber o que é ser brasileiro.

Boa semana a todos.

PROTEÇÃO


Gostei muito dessa foto que vi postada no Facebook ontem. Há tanto simbolismo nela que se torna tocante analisa-la. O que mais precisamos desde que somos pequeninos é essa sensação de segurança que as asas da mãe nos dão. Lamento por pessoas que crescem sem essa proteção materna, que não tem asas para se esconder embaixo. Sei que é um diferencial na vida.

Mesmo crescidos, a noção de que há um lugar onde no momento da dor você pode correr e se aninhar é que nos dá impressão de conforto. Mas não é bem assim. Acredito que após a maturidade dos filhos, quando um a um saem de casa pra viverem suas próprias vidas e construírem suas próprias famílias os pais passam a ter outro papel na nossa história. O de alento e alegria, apenas. Não sou favorável de filhos que levam problemas sérios para a casas dos pais depois de terem construído seus próprios lares.

É da natureza social que cada um de nós crie sua independência financeira e sentimental ao longo dos anos, e também é de bom tom que saibamos resolver os nossos próprios problemas sem que sejam despejados nas costas de nossos progenitores, já anciãos e fragilizados. Não acho justo que eles após uma trajetória ( muitas vezes sofrida) no inverno de suas vidas tenham que quebrar a cabeça com problemas que não lhes dizem respeito. Claro que, se pensarmos, as únicas pessoas que podemos contar nessa vida são os pais, por que o amor incondicional faz com que fechem os olhos e se tornem novamente leões em defesa de suas crias. Mas não é justo que eles trabalhem, percam o sono, se estressem por situações que os filhos buscam.

Um casamento desfeito, uma divida ou situação financeira desastrosa são fáceis de contornar com a ajuda dos pais, mas que isso não se torne rotina. Deixar nossos velhinhos viverem o apogeu da sua vida, com tranquilidade e felicidade é o mínimo que possamos fazer para agradecer a boa criação que nos deram. Tenho sempre o cuidado de não expor para os meus pais problemas que sei não poderão solucionar, então pra que contraria-los, pra que levar uma situação que sei, perturbará a vida tranquila deles. Sendo breve no relato, meus pais ficaram sozinhos numa casa grande após o ultimo filho ( eu ) sair pra viver sua própria vida. Angustiados com uma solidão que rondava seus dias, venderam a casa  e se mudaram para um condomínio, com um apartamento menor, que seria o necessário pra um casal de idosos. No inicio me preocupou esse rompimento. Moramos na casa por 35 anos. Difícil para idosos recomeçarem uma vida diferente. Em 5 anos que estão lá,  não poderia estar mais sossegado. Reencontraram amigos da juventude, fizeram novos e vivem felizes, aos cuidados e olhos de centenas de vizinhos. Uma tranquilidade para nós filhos que não tem preço. Admiro a perseverança deles e a vontade de mudar. Hoje meu pai voltou ao oficio de alfaiate, que aprendeu quando jovem, e costura para toda a vizinhança. Algo desnecessário financeiramente, mas que ocupa o dia, e o faz estar sempre antenado, disposto,  e o melhor de tudo, sentindo-se útil. Com esse movimento todo, minha mãe também se ocupa e deixa o que antes era uma solidão anunciada para quem não tem o que fazer.

É difícil envelhecer, muito mais quando ainda há a preocupação com o futuro dos filhos. E que me perdoem os que lerem isso e se identificarem, não direciono a ninguém, apenas faço uma analise pela foto destacada. Não há explicação e desculpa para que joguemos nas costas dos nossos pais idosos os fracassos e derrotas das nossas vidas. Depois de um tempo enxergo isso como um conformismo e uma facilitação. Injusto e desleal fazer com que voltem ao passado, sem as mesmas forças e disposição para resolver problemas gerados pela má administração das nossas vidas.

Nisso não incluo apenas aqueles que já têm idade pra se envergonharem de manipular os pais idosos, falo também dos jovens, dos adolescentes, dos que perpetuam, prorrogam e se fazem de desentendidos, que a vida tá aí, pra ser batalhada. Se não nasceu filho do Eike Batista então, arregace as mangas e corra atrás, por que só politico nesse país fica rico ganhando na loteria.

Abração e ótima quinta feira a todos.




SENTA AÍ, VOU DAR UM DEPOIMENTO.


Hoje vou dar um depoimento, do tipo daqueles de igreja evangélica onde a pessoa encontra Jesus, ergue os braços em êxtase com os olhos fechados e gritando palavras desconexas,  ou talvez de sessão de terapia em grupo que o fulano levanta e conta sua história.

Bem, há algum tempo vinha com certa dificuldade digestiva, não sei por que. Não era ulcera, nem nada que pudesse me deixar preocupado, mas que incomodava. Uma sensação ruim de refluxo, mas que na verdade não podia ser chamado assim, por que não regurgitava o que comia, apenas ficava um incomodo no esôfago. No final do ano passado acordei sufocado de madrugada com um engasgo que não passava. Isso me assustou. Fora que acordava rouco, por segundo explicações, o acido gástrico subia até as cordas vocais. Nem sei se procede, foi o que me explicaram.

Como sou homem, cético, preguiçoso e chato, não procurei um especialista. Notei que com o tempo tornou-se difícil à deglutição. O tempo todo em que comia, havia uma sensação incomoda de que iria engasgar. Associado a isso uma patologia de fígado proveniente de uma hepatite A que tive quando criança que deixou pequenos reflexos. Não sou um doente hepático, mas algumas comidas me fazem muito mal. Por isso o fato de não beber. Odeio passar mal, e bebida alcóolica pra um fígado rebelde não é bom.

Pois bem, há 45 dias um excelente médico ( aqueles que a divindade coloca entre nós, como anjos salvadores) me indicou uma combinação homeopática ( algo que acreditava desacreditando) que deveria ser ingerida a noite, em gotas, antes de dormir. O nome parece coisa do filme de Harry Potter...rs

Nos 3 primeiros dias não obtive resultado algum, mas confesso, ajoelhado no milho, que todo meu ceticismo em relação a homeopatia ruiu em terra. Após esse tempo todo o meu organismo se reorganizou. Tudo. E quando digo tudo, é tudo.

Acabaram as sensações ruins quando ingiro algo, os tais refluxos estranhos, e todo aquele mal que me acometia sabe-se lá , vindos de onde. Cheguei a suspeitar que estivesse com TAG ( transtorno geral de ansiedade) onde um dos sintomas é a dificuldade de engolir. Nada, não era isso não. O remédio acabou com esse problema e nesse final de semana tive a prova de que ele funciona e muito bem.

Com efeitos daquela hepatite, doces a base de creme de leite não são bem vindos, principalmente os tipos parecidos com torta holandesa, que são associados à manteiga e muito, muito creme de leite.

Me entupi de torta alemã e estrogonofe de morango no domingo, comi muito. Ambos têm na receita creme de leite e manteiga, além de chocolate. Em outros tempos, ainda estaria enjoado, com dor de cabeça ( todas as vezes que o fígado ataca, tenho enxaqueca) e a boca fica amarga. E sabe o que aconteceu? Nada, to bala, sem nenhum tipo de reação ao bendito creme de leite, antes abolido do meu cardápio.

Devo esse sossego e tranquilidade gastronômica a um excelente médico, que por motivos de descrição não darei o nome. Fico receoso de expor pessoas que não são previamente avisadas.

No meu depoimento de hoje eu digo: encontrei a cura, através da homeopatia. Aleluia irmãos, aleluia. Rs rs rs rs.

Abração a todos e boa quarta feira.

OLHOS


Logo que aprendi a desenhar rostos, me encantava desenhar  olhos. Gostava de rabiscar bocas, como já escrevi uma vez, mas os olhos sempre foram um mistério pra mim, e continuam sendo, e dar expressão num desenho é a coisa mais difícil que se imagina.

Brinco dizendo que algumas pessoas não merecem os olhos azuis que ganharam quando entraram na fila antes de nascerem, mas na verdade essa ânsia toda em ter os claros, azuis no caso, é mero charme, por que estou feliz com os verdes que ganhei da genética dos meus pais.

Descobri dia desses que mais do que os olhos azuis, os olhos negros, são bem mais bonitos e acredito, raros. Não vemos muitas pessoas de olhos negros por aí, principalmente brasileiros com essa miscigenação toda que compõe nosso povo brado e retumbante. A mistura criou uma gama de castanhos enorme, mas negros mesmo, pouquíssimos.

Quando assisti a minissérie Desejo anos atrás me surpreendeu ver Vera Fisher, uma típica alemã com olhos negros encarnando a personagem que deflagra a guerra entre o soldado Dilermando e seu marido morto, Eça de Queiroz. Hoje pensando nisso, gostaria eu de ter olhos negros. Acho que com a pele branca que tenho seria um bom contraste, e chamaria mais atenção do que se tivesse olhos azuis. Oh eu de novo querendo mudar os olhos...rs.

Certa vez num almoço entre amigos, ouvi de uma senhora sobre o fato de ter ou não olhos claros e dizia ela: Não importa se a pessoa é gorda, baixinha, ou seja lá o que for, ela será sempre linda se tiver olhos azuis. Não concordo não...ela falou isso por que tem olhos claros, e confesso que ela não é nem um pouco bonita.

Mas independente da cor dos olhos, me encanta as expressões vindas dele, e sempre que falo com alguém gosto de olhar diretamente para eles. Pessoas que baixam o olhar quando estão diante de mim causam uma impressão de que não são confiáveis. Acredito, como todo mundo, que olhar diretamente nos olhos de alguém é dar a chance de ser decifrado, e que mal há nisso se você não tem nada a esconder?

E não me venham com lentes de contato coloridas. Putz, isso é o que há de mais ridículo, principalmente para homens. Não sei qual opinião as mulheres têm sobre um cara que aparece de olhos azuis, ensebados, opacos, mas na minha opinião, é medonho. Mulheres ainda disfarçam por conta da maquiagem e a gente demora um pouco a perceber, mas homem de lentes coloridas, não dá. Pior que isso, só aqueles que puxam cabelos da lateral da cabeça pra esconder calvice...rs

Querem minha confiança? Me olhem nos olhos, e como um felino ( ohhhh to me achando) ganharão fidelidade eterna, rs.

Boa semana a todos.

BOBAGENS...APENAS BOBAGENS!!!






Para nós paulistanos o fim de semana será prolongado. Pra quem não sabe, em 1932 o povo daqui desse estado glorioso e ungido (soou crente isso) lutou contra o governo de Getúlio Vargas para destitui-lo do cargo de presidente/ditador ( impeachment – palavra chique) não era usada na época. Quase 900 “paulista, mano” morreram nesses combates. Na verdade Getúlio Vargas num ato de covardia mandou matar muitos que eram inocentes. Enfim, sem aula de história, até por que o post de hoje nada tem de sério. Publico um apanhado de frases que coletei de um tempo pra cá. Umas ótimas, outras nem tanto, algumas absurdas.




- Rede Globo – quinta feira 05/07: : 6h Corinthians Rural; 7h Bom dia Corinthians; 9h Mais Corinthians; 15h Vale a Pena ver Corinthians; 21h Avenida Corinthians" 


- os fumantes estao cada vez mais jovens, daqui a pouco um maço de Marlboro virá com uma tatuagem do Ben 10 de brinde.(@morrequepassa) 

- Corinthians campeão da Libertadores 2012, agora só uma pergunta: É tiro ou rojão. 


- O mundo seria um lugar melhor se pessoas que nunca assistiram futebol, deixassem de comentar sobre. 

- Você elogia educadamente o bigode da pessoa e de repente a menina não é mais sua amiga. 

- meninas de 12 anos dizendo “não vou mais correr atrás” CORRER ATRÁS DE QUE AMG? SE PERDEU DA MÃE NO MERCADO? 

- Não é porque eu te adicionei no Facebook que eu quero conversar com você no chat. 

- Ouvir funk não te faz puta.. Ouvir Cone Crew não te faz maconheiro. Gosto musical não define caráter. Entendam. 

- Como é que se faz um monte de velhinhas gritar “Merda”? Resp: É só gritar “Bingo” 

- A maioria das pessoas se ajeita quando vê a palavra POSTURA. Poderiam fazer o mesmo ao ver caráter, honestidade e ética. 

- você é a favor do casamento gay? - AMIGO EU SOU A FAVOR DOS CASAMENTO QUE EU SO CONVIDADO E BEBO DE GRAÇA 

- Só porque nós temos o mesmo sobrenome não significa que temos que ser amigos no Facebook, mãe. 

- Três pratos de trigo para três tigres tristes. Agora me diga: Que tigres são esses que comem trigo? 

- A pergunta "o que você quer ser quando crescer", deveria ser substituída por "o que você quer ser quando tiver um carro". 

- Trauma de infância: "Na volta a gente compra." 

- Intimidade deveria ser igual virgindade, deu uma vez, acabou. 

- Ter um filho te transforma em um pai, ter dois te transforma em um juiz. 

- Curtir o comentário de uma pessoa é a mesma coisa que ficar balançando a cabeça pra cima e pra baixo enquanto escuta o que ela diz em um conversa. 

- "Quando uma porta se fecha, outra se abre." é um exemplo de uma construção de má qualidade. 

- Te beijo quando eu quiser, a imaginação é minha. 

- Eu não gritei o nome de outra durante o sexo, eu estava pensando em nomes para bebês, caso você ficasse grávida. 

- Viver é pra quem tem dinheiro e tempo, pobre só existe. 

- Toda vez que você joga forca, uma família de bonecos palito fica sem o pai. 

- Eu geralmente não me importo com o que as pessoas falam, até elas começarem a cochichar. 

- Como descobrir se alguém está te olhando: boceje. Se a pessoa bocejar, ela estava te olhando. 

- Não me jugue. Se você está lendo isso você também não está trabalhando. 

- Sou tão caseiro que já me sinto parte da mobília. 

- Na frase "Ele até que é bonitinho", o sujeito tem um carro. 

- Mal posso esperar para ser velho o suficiente para fingir que não escuto. 

- Meu sonho é ir no zoológico e sair correndo no estacionamento gritando: "Salve-se quem puder, eles estão soltos!" 

- Na hora de estourar a bexiga de balas no aniversário não existe amizade, não existe irmão, não existe amor, não existe nada... É só matança! 

- É hétero até ver barata voando. 

- De todas as mentiras que eu conto, o "tô brincando" é a minha preferida. 



Bom fim de semana...abração


UMA VIDA EM BLOGSVILLE


Há exatos cinco anos estava eu construindo esse espaço que tanto me orgulha por existir. Meu blog nasceu no dia cinco de julho de 2007 e entrou no ar um mês depois, em sete de agosto. Eu não tinha certeza do que me esperava, nem se iria curtir esse lance de escrever pra um monte de gente que não conhecia.

Digo que não só me faz bem escrever como tenho um prazer enorme em compartilhar ideias com pessoas que conheci através dessa janela do mundo. Pessoas essas que fizeram e fazem a diferença em minha vida.

Conheci gente maluca, gente que não era quem era, mas encontrei almas belíssimas, que jamais teria a chance de ler se não fosse por esse caminho.
Infelizmente não conheço muitas dessas pessoas pessoalmente, o que não me impede de admira-las e querer um dia num tour nacional, visita-las uma a uma.

A todos vocês amigos de blogsville com o diz o Fred, esse espaço não é mais meu, e sim de todos vocês, caros amigos, que tem blogs ou simplesmente passam para ler as elucubrações de um quase quarentão.

Espero que tenham a paciência de me visitarem como fazem hoje nos próximos cinco anos...e por ai adiante.

Esse espaço é de vocês.

Abraço a todos aos trezentos e poucos seguidores do Baú,  e aqueles que passam sempre por aqui e não deixam comentários, mas sei que me leem.

Valeu Pessoal !!!


Minha musica preferida...diz tanta coisa!!!

EU CHORO, TU CHORAS, TODOS CHORAM!!!


Psicólogos e especialistas em comportamento humano poderiam explicar cientificamente, quem sabe, o assunto que abordo hoje. Não existe algo que me derrube tanto como ver alguém chorando.

Mas não são todos os choros que me comovem. Engraçado que às vezes me emociono com um artista em novela ou filme e me debulhado em lagrimas, mas um participante de reality, por exemplo, me causa raiva. Pra isso existe explicação obvia, esse povo é falso demais, e mesmo chorando suas mágoas em cadeia nacional, não me afeta nem um pouco. Caso de Gretchen e Viviane Araújo esgoelando sob um sol escaldante de biquíni. Não assisto A Fazenda, mas sei do que se passa através dos meios de comunicação. Vi um vídeo onde as duas choravam convulsivamente. Fiquei com nojo.

Homem chorando me deixa mais emocionado. Talvez pelo histórico social de que homem não pode chorar e ver um grandalhão de olhos marejados me comove, assim como idosos, que se vejo em lagrimas, simplesmente paro o que estou fazendo e choro junto. Lagrimas mexem comigo, meu ponto fraco, e muita gente já se aproveitou disso.

Mulheres apelam para as lagrimas facilmente, assim como mãe dramática e criança birrenta. Só consigo sentir alguma emoção com elas quando o choro é de dor. Pode ser a dor física ou psicológica. Exemplo disso, e alguns irão me xingar, foi o depoimento de Xuxa ao Fantástico. As lagrimas da loira me comoveram, e não precisou ser uma cachoeira, o tom de voz, associado ao choro mexeu comigo.

Sou dos emotivos que não choram em publico. Dificilmente alguém irá ver lagrimas minhas por qualquer razão. Claro que não sou uma pedra de gelo social. Algum dia sei que irei chorar, mas meu choro é feio. Não sou do tipo de pessoa que chora bonito, como artistas de TV. Me acho patético em lagrimas, mas isso não impede de expor emoções, vejam bem, apenas não consigo que lagrimas desçam.

Choro em filme, choro em novela, chorei com o comercial da Grazi Massafera no dia das mães. Choro de raiva, de decepção, por descascar cebolas (acidez me pega longe), mas não choro por problemas. Engraçado que crio uma barreira quando alguma coisa vai mal. Quando pessoas próximas ficaram gravemente doentes, não chorei. Quando morreram parentes que amava, não chorei. Mas um tempo depois, com a lembrança e a saudade, esgoelei. Quer saber um dia que choro, inevitavelmente, sem conseguir segurar? Dia 24 de dezembro. Sempre que me visto para uma ceia de natal, não consigo conter as lagrimas e são infelizmente, de tristeza.

Não sou do tipo de pessoa que alega que homens não choram. Isso é uma das coisas mais imbecis que os pais puderam inventar para a criação de meninos. Impõe uma falta de emoção tão grande numa criança, e a coloca numa posição de defesa que certamente abalará seu emocional pela vida toda. Onde já se viu, nós seres humanos, dotados de razão, termos a ignorância de reprimir uma emoção por condições sociais. O choro é o mais alto grau da emoção de alguém.

Só pra completar, não me coloque um cãozinho chorando do meu lado, por que sou capaz de sentar do lado dele e chorar junto. Não trabalho bem com sofrimento animal. Isso não só derruba como me arrasa.

Abração e ótima terça feira, com lagrimas de emoção...rs rs rs