SENTA AÍ, VOU DAR UM DEPOIMENTO.


Hoje vou dar um depoimento, do tipo daqueles de igreja evangélica onde a pessoa encontra Jesus, ergue os braços em êxtase com os olhos fechados e gritando palavras desconexas,  ou talvez de sessão de terapia em grupo que o fulano levanta e conta sua história.

Bem, há algum tempo vinha com certa dificuldade digestiva, não sei por que. Não era ulcera, nem nada que pudesse me deixar preocupado, mas que incomodava. Uma sensação ruim de refluxo, mas que na verdade não podia ser chamado assim, por que não regurgitava o que comia, apenas ficava um incomodo no esôfago. No final do ano passado acordei sufocado de madrugada com um engasgo que não passava. Isso me assustou. Fora que acordava rouco, por segundo explicações, o acido gástrico subia até as cordas vocais. Nem sei se procede, foi o que me explicaram.

Como sou homem, cético, preguiçoso e chato, não procurei um especialista. Notei que com o tempo tornou-se difícil à deglutição. O tempo todo em que comia, havia uma sensação incomoda de que iria engasgar. Associado a isso uma patologia de fígado proveniente de uma hepatite A que tive quando criança que deixou pequenos reflexos. Não sou um doente hepático, mas algumas comidas me fazem muito mal. Por isso o fato de não beber. Odeio passar mal, e bebida alcóolica pra um fígado rebelde não é bom.

Pois bem, há 45 dias um excelente médico ( aqueles que a divindade coloca entre nós, como anjos salvadores) me indicou uma combinação homeopática ( algo que acreditava desacreditando) que deveria ser ingerida a noite, em gotas, antes de dormir. O nome parece coisa do filme de Harry Potter...rs

Nos 3 primeiros dias não obtive resultado algum, mas confesso, ajoelhado no milho, que todo meu ceticismo em relação a homeopatia ruiu em terra. Após esse tempo todo o meu organismo se reorganizou. Tudo. E quando digo tudo, é tudo.

Acabaram as sensações ruins quando ingiro algo, os tais refluxos estranhos, e todo aquele mal que me acometia sabe-se lá , vindos de onde. Cheguei a suspeitar que estivesse com TAG ( transtorno geral de ansiedade) onde um dos sintomas é a dificuldade de engolir. Nada, não era isso não. O remédio acabou com esse problema e nesse final de semana tive a prova de que ele funciona e muito bem.

Com efeitos daquela hepatite, doces a base de creme de leite não são bem vindos, principalmente os tipos parecidos com torta holandesa, que são associados à manteiga e muito, muito creme de leite.

Me entupi de torta alemã e estrogonofe de morango no domingo, comi muito. Ambos têm na receita creme de leite e manteiga, além de chocolate. Em outros tempos, ainda estaria enjoado, com dor de cabeça ( todas as vezes que o fígado ataca, tenho enxaqueca) e a boca fica amarga. E sabe o que aconteceu? Nada, to bala, sem nenhum tipo de reação ao bendito creme de leite, antes abolido do meu cardápio.

Devo esse sossego e tranquilidade gastronômica a um excelente médico, que por motivos de descrição não darei o nome. Fico receoso de expor pessoas que não são previamente avisadas.

No meu depoimento de hoje eu digo: encontrei a cura, através da homeopatia. Aleluia irmãos, aleluia. Rs rs rs rs.

Abração a todos e boa quarta feira.

3 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

eu não sou assim como vc qto aos cuidados com a saúde ... qualquer coisinha corro para o médico e sigo à risca tudo o q é prescrito ... mas tem coisas q definitivamente eles resolvem ... por ser tb como vc super cético com relação aos tratamentos alternativos nunca os fiz ... para resolver uma sinusite infernal e crônica q me atacava a cada 02 meses, resolvi fazer um tratamento com acupuntura ... lá fui eu ... a profissional fez uma anamnese completa sobre tudo o q eu tinha e q me incomodava ... tudo mesmo e eu fui relando ... coisas chatas mas q a gente se acostuma ... [dormir mal, acordar muito durante a noite, levantar com dor no corpo, regime de engorda q não funciona, a angústia e a depressão por conta da perda de mamys, ansiedade, etc etc etc ...]. Ela me prescreveu 05 seções [uma por semana] e, depois, por uns 05 a 06 meses, uma por mês. Findo este ciclo uma seção a cada 03 meses. Hoje vou fazer a quinta seção do primeiro ciclo ... não tive sinusite este mês e era para ter tido segundo as minhas previsões ... o resto sumiu tudo como um passe de mágica ... até engordar um pouco eu engordei ... coincidentemente fiz meu controle sistemático de sangue, urina e fezes semana passada ... os resultados foram fantásticos ... inacreditáveis mesmo ... tudo melhorou de forma "assustadora" ... enfim, paguei para ver e já sou adepto e recomendo ...

bjão

Margot disse...

Esse médico seu deve ser o mesmo que me passou um questionário SÓ COM 278 PERGUNTAS(em inglês!!!!!). Tem dois meses que estou respondendo... até o fim do ano, acabo. rsrs. O nome do remédio não é estranho... já o vi noutros lugares.
Ele é mesmo bom.
Melhoras constantes e beijos Fael.

Cesinha disse...

Menino, em medicina (e homeopatia é uma forma de medicina, assim como acupuntura, ayurveda e outras) não se precisa acreditar, no sentido religioso da palavra. É preciso paciência, disciplina, confiança. E cada uma das formas terapêuticas é mais adequada ao tipo de instabilidade que nosso organismo sofre em determinado momento. Um exemplo extremo: para alguém que está em um processo agudo de infarto do miocárdio, de nada adiantará acupuntura ou homeopatia. Eu sempre digo que a medicina hegemônica (a que aprendemos nas escolas) é excelente para salvar vidas.

Quando há risco de morte, mesmo que saibamos que quem está “produzindo” esse terrível processo desestabilizador fatal é o próprio organismo, o melhor procedimento é “suspender” esse processo... dar um boot (kkkkk)... e procurar reinicializar tudo. E a medicina ocidental é muito boa nisso! No entanto, para instabilidades que persistem no tempo (e que chamamos doenças crônicas) essa mesma forma de terapêutica não é muito eficaz. Nesses casos o papel do médico é procurar fazer com que o próprio organismo reaprenda, crie novos caminhos que o afastem dos atuais que insistem nas instabilidades. E é nessa abordagem que muitas terapêuticas “complementares” (eu prefiro esse termo do que “alternativas”, que denota “exclusão”, tipo ou isso ou aquilo... quando, na verdade, podemos lançar mão de mais de uma alternativa ao mesmo tempo) se mostram muito mais eficazes.

Mas, não importa o que façamos, o mérito sempre é do próprio paciente, da sua disciplina, do seu cuidado, etc. O ato da cura é prerrogativa do próprio organismo. Médico sábio é aquele que entende isso. Ou como dizia Hipócrates, o pai da medicina ocidental, “O médico é um assistente da natureza, pois só ela é médica, só ela cura”.

Beijos.