E A FARRA DOS COLLOR ESTÁ DE VOLTA


Nasci numa época em que a ditadura militar no Brasil já agonizante, tentava violentamente calar os opositores, ou comunistas, como gostavam de chamar os milicos do poder. Não sou de uma família de militantes, por isso resguardado no meu santo lar, ao lado de familiares cresci e vi a transição meia boca feita pelo ultimo presidente da era militar para o nosso hoje democrático Brasil.

Engraçado que desde cedo sempre achei teatral demais essas tentativas de fazer o povo crer que políticos lutam por eles. Sempre enxerguei a politica no Brasil como um grande banco, onde os eleitos tem a disposição bilhões de nosso dinheiro para utilizaram da forma que querem. Em 30 anos de democracia, não deveríamos mais ter tantos escândalos de corrupção assolando a nação. Já deveriam ter criado leis para impedi-los. Mas por que a raposa colocará arame farpado no galinheiro, para obstruir sua própria passagem?

Um novo capitulo constrangedor da nossa história foi escrito ontem numa entrevista absurda, sem conteúdo e meramente politiqueira feita por Renata Ceribelli com a ex-primeira dama Rosane Collor. Já amadurecida após os 20 anos do impeachment do Presidente, Rosane vem à mídia conclamar seus direitos. Direitos esses que não existem, já que seu ex marido Fernando Collor os perdeu quando mostrou ao Brasil sua incompetência para comandar o pais.

Evangélica, clamando a Jesus o tempo todo, contou-nos histórias que não fazem diferença para nós brasileiros do século XXI. Dizer que havia rituais de magia negra da casa da Dinda, e que a há uma maldição Collor pairando no ar é tão infantil quanto ela achar que merece reconhecimento nacional por ter sido primeira dama. Essa senhora obtusa, que não agregou nada a nós brasileiros, se compararmos a Ruth Cardoso, devia ficar na sua igreja orando pela sua salvação, por que corrupção também é crime, e por elas muitos morrem de fome e a mingua em hospitais. Roubar é pecado!

O Brasil parece um grande gibi de comédia. Não dá pra levar em consideração o nosso país num perídio de quase uma década, entre a morte de Tancredo Neves e a eleição do salvo guarda da nossa economia Fernando Henrique. Nesse meio tempo tivemos um Sarney Marimbondo de fogo que não continha a inflação de 85 % ao mês, algo bizarro de se imaginar hoje, um caçador de marajás que se mostrou mais marajá do que os que ele atacava. Um presidente metido a gostosão de saco roxo e com discursos inflamados, muito parecidos aos de Adolf Hitler (analisem e comparem a entonação de ambos), rodeado de corruptos e ineptos. E para finalizar a balburdia no palácio do planalto deixaram um Itamar Franco assumir a presidência e desfilar com modelos sem calcinha sobre palanques. É de se envergonhar disso. A mesma  Rede Globo que conclamou os caras pintadas apoiando-os em seus telejornais, hoje trás de volta a marionete sem graça e inócua (acredita ela) Rosane Collor.

Disseram após a entrevista que o agora senador ( ohhh leis frágeis que temos aqui, um corrupto ainda pode se eleger) Fernando Collor não iria comentar o que foi dito. Claro, nem eu o faria. No frigir dos ovos o que ficou latente foi a dor de cotovelo de uma ex mulher que recebe uma pensão a qual acha ser uma miséria. O que essa senhora precisa entender é que 95% do país vive com muito, muito menos do que os R$ 18.000,00 pagos por ele, e se tem necessidades superiores, trabalhe. Dona Rosane Collor tem que levantar a mão aos céus e agradecer ao Jesus que ela encontrou de não sermos um pais do Oriente Médio, da Ásia, onde a corrupção é castigada com penas de morte. Hoje ambos poderiam estar desfilando manetas por aí se tivéssemos leis rígidas para ladrões.

Cara Dona Rosane Collor, aqui é um brasileiro que assistiu o seu apogeu e a sua queda, e a única coisa que posso lhe dizer é: vai lavar um tanque de roupas pra saber o que é ser brasileiro.

Boa semana a todos.

5 comentários:

Mr. TV disse...

Falamos sobre o mesmo assunto, vc aqui, eu lá no Mr. Cara, é isso! Vc descreveu todo o meu sentimento por esses Collor. Se mais.

Margot disse...

A semana começou nervosa..rsr... mas concordo com vc Fael... em tudo. Entrevista ridícula... nem me dei ao trabalho de assistir...e pelo visto não perdi nada.
Beijos

Albuq disse...

Oi Rafael!

Eu não assisti, mas vou te contar, pelo que você escreveu, já vi que fiz bem não ter assistido. Como a pessoa é sem noção desse jeito? O Brasil cheio de problemas, de desigualdades, de fome, de miséria e a mulher vem abir a boca prá contar coisas que não resolvem em nada o problema do Brasil.
Ainda bem que não vi, me poupei dessa raiva.

Adorei o texto!
bjs e ótima semana

Palavras Vagabundas disse...

Disse tudo! É o fim, vai lacar roupa Dona Roseane.
abs
Jussara

Ma disse...

O pior de tudo que entrevistas como essas tem hoje apenas a intenção de ser espetacular, pouco se importando com a característica jornalística do mesmo

Afim, adorei o texto, e obrigado por postar lá no Umwelt ^^

abs