POR ONDE ANDA O PRIMEIRO AMOR?

Conversava com um amigo dia desses sobre o porquê das mulheres que se separam alguns anos depois do casamento terem uma necessidade de rever  amores da adolescência. Conheço varias que engataram namoros e acabaram casando-se novamente com aquele primeiro amor, la do passado.

Já assisti varias vezes nesses programas de tipo “Gugu”, “Rodrigo faro”, mulheres que buscam aquele cara que se perdeu no mundo, e que nunca mais viram. O precursor disso talvez tenha sido Silvio Santos, com os seus programas de namoro. Na maioria das vezes o homem já construiu vida com outra mulher e a decepção é tão grande que a pretendente de acaba ali, cara a cara com então “homem da sua vida”.

Não entendo o porquê desses amores mal resolvidos. Por que o primeiro namorado é tão importante pra mulher? Geralmente o homem nem se lembra de sua primeira vez, com quem foi, se a namoradinha da adolescência está viva ou não. Mas mulheres mal casadas, infelizes tendem a correr atrás de um prejuízo que só existe na cabeça delas. Será que viveram uma vida toda ao lado de alguém questionando onde se encontrava o seu primeiro amor?

Se for assim até entendo o porquê do casamento não ter dado certo. Passar uma vida comparando o marido a ilusão daquele homem jovem que conheceu no passado, chega a ser uma covardia. O pior é as que nem casam, achando que o namoradinho da adolescência um dia surgirá de cavalo branco para busca-la e serem felizes para sempre.

Histórias mal resolvidas deixam um amargo gosto na boca por uma vida inteira. Existem pessoas que viram a pagina e esquecem o passado, mas a maioria sofre, revive, e se entristece na busca daquele amor inatingível, que o tempo fez questão de criar um hiato. É muito difícil que as pessoas depois de maduras consigam retomar um amor assim.

Ontem vendo a entrevista da esposa do Wando me veio a cabeça esse questionamento. Ela o conheceu ( foi seu primeiro namorado), terminaram, casou-se com outro, ficou viúva e retomou 10 anos depois um amor que achava estar esquecido. Por que não encarar a vida a dois num primeiro momento. Pra que protelar uma situação, um romance e só vive-lo tardiamente. Algumas mulheres ficam mais infelizes, por terem desperdiçado uma vida com um homem que só as fez sofrerem. Um dia, reencontra o amor da vida e nem um filho pode ter com ele, por que o tempo passou.

Amores adolescentes marcam tanto a mulher que posso afirmar que 8 em cada 10 pensa no seu príncipe do passado. Nem precisa ser o primeiro namorado, mas algum homem que na época a rejeitou ou por algum motivo familiar, não pode ir além do namoro.

Não vejo homens sofrendo por aquela mulher que amou um dia, e nem correrem atrás delas pelo mundo. Nesse caso, homem é pratico. Acredito que nem entre gays isso aconteça, não acho que um cara ou uma menina fiquem presos no passado pelo seu primeiro amor. Isso é quase exclusividade de donas de casa que odeiam suas vidas e acreditam que se tivessem tomado outro rumo seriam mais felizes. Nesse ponto afirmo que a felicidade não está no amor do passado, nem no atual, pode parecer clichê, mas a felicidade a gente sabe bem que ta dentro de cada um. Ponto.

Desejo que essas mulheres que necessitam desse revival pelo menos aproveitem e que a decepção seja bem pequena. Já vi grandes estragos com quem quis fuçar num baú velho e poeirento.

Abraço a todos e ótima semana.

4 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

meu primeiro amor foi aos 07/08 anos e foi pelo dono de um bar perto de minha casa ... ele devia ter uns 30 anos ... omg! sonhava com ele, imaginava não sei o q com ele ... mas suspirei por ele um bom tempo, talvez por um ano ...
meu segundo amor foi na faculdade de veterinária ... eu tinha 20 anos e cursava o segundo ano qdo me apaixonei por um colega de turma ... hétero e noivo ... os dois anos q ainda fiquei na faculdade foi de intenso amor platônico mas q sempre dava ares de ser correspondido mas ficou só nisto ... formamos cada um foi para o seu canto, ele casou e nunca mais vi ...
meu terceiro amor foi o concreto e definitivo ... eu tinha 24 anos e hoje com 61 continuamos juntos ... Te Amo DD! [Wanderley Elian]

bjão

::::FER:::: disse...

Eu lembro bem do meu primeiro beijo, de vez em quando vejo ela por ai, mas, não somos amigos. Meu primeiro amor me trouxe amarguras que com maturidade e passar dos anos consegui virar a página, mas ainda lembro., porém nunca antes havia sentido o que sinto no meu casamento, a sensação de que é para sempre, que não terei outro amor.

Cesinha disse...

Assim, não que eu viva à procura desse primeiro amor perdido... mas que eu lembro com um certo carinho (exagerado?!) isso eu lembro sim.

Você não lembra? Talvez essa "falta de lembrança" signifique que esse primeiro não foi assim tão especial... to errado?

Abraços

railer disse...

como você falou, a vida da gente são ciclos que têm início, meio e fim. assim, se um deles não se fecha, isso fica incomodando pra sempre. daí esses casos mal resolvidos de busca do primeiro amor. muitas vezes uma busca só pra comprovar que não teria dado certo mesmo.
acho que o melhor é sempre seguir em frente. cada história vivida nos ensina algo e precisamos aprender com os erros pra melhorar o que vem pela frente.