QUANTO PESA A PAIXÃO?

Por que as pessoas falam tanto em paixão? Dão explicações poéticas sobre o que é se apaixonar, sobre o furor, borboletas no estomago, calafrios intensos. E esquecem que a onda, o tsunami da paixão quando vem, inevitavelmente devasta.

Paixões duram segundos, dias, meses, e podem acabar da mesma forma que começaram. Por isso sempre tive pra mim que amar uma pessoa aos poucos é mais fácil e duradouro do que procurar paixões.

Paixões cegam. Defeitos e desvios de personalidade se camuflam sob a paixão. Quando vem a tona, desmoronam o castelo criado sobre a pessoa e muitas vezes as tornam odiadas. A decepção de quem está apaixonado é muito mais cruel.

Quando se ama aos poucos, se enxerga defeitos, se entende as fraquezas e intensifica o “gostar” de uma forma mais madura, menos visceral. Assim o respeito caminha lado a lado com o descobrir-se. Entender o ser humano é mais fascinante do que vendar os olhos e achar que tudo é perfeito, simplesmente porque o frio na barriga tirou-lhe o folego diante do ser desejado(a).

Mesmo assim acredito que a paixão tem que brotar em cada um de nós, pelo menos uma vez na vida. O mesmo que andar de montanha russa, um dia você tem que experimentar pra saber como é, ter a sensação, mesmo morrendo de medo. Passar pela vida sem provar o doce veneno da paixão, é o mesmo que nunca provar de uma barra de chocolate. Mas achar que relacionamentos são feitos apenas de paixão, e correr atrás disso consecutivamente, é uma ânsia nunca superada e um vicio que faz de solitários ambulantes buscadores de “algo” nunca alcançado. Quanto mais se santifica a paixão, menos se acha o que procura.

Amor é consequência da paixão? Em alguns casos (poucos) sim, para aquelas pessoas pacientes que entendem o ser humano sem ideologias. Pra esses o amor nasceu de uma paixão. Mas digo que conhecer alguém aos poucos e desfrutar da descoberta diária é muito mais certeiro, um alvo mais atingível do que esperar por uma avassaladora paixão atirando flechas no escuro.

Não sou um descrente das paixões. De forma alguma! Até acredito que seja o combustível que move a humanidade, mas fugaz como é, faz sofrer muito mais aos que se permitem amar. Isso é um ponto de vista que jovens não entendem. Explicar para um(a) adolescente que a paixão é passageira no meio de um sofrimento mortal é gritar no vazio. Não há ninguém para ouvi-lo.

Sofre-se por paixão, idealiza-se demais. Na maioria das vezes sobram cacos, decepções e amargura. Sugiro amarem mais, do que se apaixonarem. Algumas pessoas me compreenderão, outras dirão que isso é frustração.  Nada disso. Apenas a visão racional daquilo que todo e qualquer individuo, seja da idade, crença, sexo, apologia, procura.

Quem ama não mata. Quem se apaixona sim.

Abração a todos...ótima terça feira.

7 comentários:

Mr. TV disse...

disse tudo meu amigo...

sem mais.

Edu disse...

Absolutamente perfeito! Absolutamente tirou cada vírgula dos meus dedos (ou palavras da minha boca).

Giselle Kleinke disse...

Concordo! Tudo o que vem no ímpeto, vai no ímpeto. Tudo o que é construído aos poucos, com base sólida, realmente persiste. Bjsss.

Luna Sanchez disse...

Um ser apaixonado fica dopado de tantos "hormônios da alegria" que seu cérebro produz.

Eu sei disso mas adoro estar apaixonadinha...A vida fica mais bonita...ahahahaha

Beijocas!

*Nã* disse...

"Quanto mais se santifica a paixão, menos se acha o que procura."

Na minha opinião, esse tal "tsunami da paixão" não passa de mais um dos inúmeros requisitos buscados em nome da COMPLETA E EUFÓRICA FELICIDADE... felicidade essa baseada em idealizações desmedidas e praticamente inalcançáveis, o que só aumenta a sensação de incompletude das pessoas. Parece que sempre falta um gelo percorrendo a espinha, ou suspiros, ou loucuras... E, na ânsia de encontrar e sentir tudo isso, as pessoas acabam se esquecendo de valorizar sentimentos e relações mais equilibradas e menos efêmeras.

Adorei o post!

*Nã* disse...

Separar aqueles que não me agregam e os que sugam minha energia: item número 1 na minha listinha de urgências!! Pelo que vc disse, isso é possível, né? Obrigada pelo comentário! ;)
Bjoo

Renata Avila Giovannoni disse...

Seu blog é muito interessante, não só pelo título e designer, mas pela expressiva opinião que você coloca em seus textos.Com certeza meu retorno aqui esta garantido.