COMPLEXO DE SANDY

A psiquiatria, a psicologia explicam os vários complexos que existem por aí, o de Peter Pan, de Cinderela, de Édipo, etc. Eu sofro de complexo de Sandy.

Desde pequeno as pessoas (mais as mulheres) me veem com aquele olhar que se resume numa expressão tosca “ahhh cute cute”...Quando pequeno, era bochechinha, e depois Rafinha e bla bla bla, sempre diminutivos. Quando fiquei adolescente o complexo de Sandy continuou a me perseguir. Mas deixa explicar o que isso significa, se é quem já não entenderam:

Complexo de Sandy no meu ponto de vista se resume naquele individuo 100% correto, indelével, irrepreensível, intocável, moralmente construído por uma educação sem direito a erros. No meu caso, vários aspectos culminam para que as pessoas me achem um bom moço. Uma disputa no passado por um lugar ao sol na família, em embates com a figura de um irmão mais velho “perfeito” aos olhos dos pais, a educação religiosa (católica) e outros fatores que decidiram para o mundo que sou um cara “certinho”.
PRIMEIRA COMUNHÃO. DEPOIS DISSO, ME ACHARAM SANTO!!!

Um dia escutei da mãe de uma amiga de faculdade: ahhh, você é um príncipe, o genro que toda mãe quer!!! Tive o ímpeto de dizer: Dona, príncipe o caralho, meu nome agora é Ze Pequeno...Não que eu queira ser considerado um marginal, canalha, amoral. Apenas me enxerguem como um cara que erra. Assim não criam expectativas e não me odeiam quando não as alcanço.

Escrevo esse post por que ao falar sobre como agiria caso fosse mulher num texto da semana passada, algumas pessoas comentaram que sou muito bonzinho, que ser uma periguete não era verossímil. Rs, gente...também quero ser um devasso, pô!!!!

Vou fazer comercial de cerveja semi nu, vou dar entrevistas bombásticas na playboy, vou fazer calendário em poses eróticas...rs rs rs...quem sabe assim me achem mais “normal”.

O problema de ser considerado um cara “perfeito”, e não sou nem um pouco, se me conhecessem melhor, obriga a manter sempre uma postura reta, preocupado com o que pensam e acham a meu respeito. Com uma personalidade critica como a minha ( autocritica a mil ) ter essa preocupação é estressante. O bom que pelos menos depois de certa idade a autoestima impera, por que se dependesse da opinião alheia viveria numa caixa de papelão vendo o mundo por uma fresta. Ao mesmo tempo em que as pessoas te olham com olhares meigos, te colocam lá no fiofó do tatu com comentários jocosos. E hoje não ligo a mínima para o que pensam, mas até um passado recente isso me torturava.

Erro como todo mundo, falo muito palavrão, tenho defeitos, mas a única coisa que não abro mão, é de ser gentil com os outros, e talvez isso passe a imagem de “bom moço”, por que sigo a premissa de não fazer para o outro o que não quero pra mim. Educação e cordialidade devia ser obrigatório na conduta de todo ser humano, e não ser visto como algo abjeto, transformando quem o tem em “ET” da sociedade.

Um dia faço um post com tantos palavrões e termos chulos, que provocarei náusea em quem ler...rs rs rs rs...Até parece!!!

Abração e boa quarta a todos.

15 comentários:

Dona Pimenta disse...

Bem legal vc ter escrito um post falando mais sobre vc. Assim, a gente pode te conhecer um pouco mais. Mas é assim mesmo. Para sociedade, ou vc tá "in" ou "out". Rótulos nós ganhamos se somos "bonzinhos", "mauzinhos", devassos, santinhos, sempre teremos um. O importante é sermos felizes, e fazermos o que tivermos vontade. Por muito tempo "tive" que me enquadrar em um padrão que não me fazia feliz. Sempre temos que agradar alguém. Até para rir, tinha que ser comedida - e olha que isso é o mais difícil, pq minhas gargalhadas são potentes kkkkkk
Agora, é assim: K-RAKA "foda-se", to nem aí. Não gostou, "rala" daqui. rsrsrs
Bjs, Gi

Luna Sanchez disse...

Oi, Rafa, que saudades de vir aqui!

Fiquei sensibilizada com o teu problema, viu? :p

Não sei se tu usa o Facebook mas poderia ser uma forma de "chocar", dizer lá que fica 5 dias sem tomar banho, que não troca de cueca, que ultrapassa sinal vermelho, que maltrata cachorrinhos, que toma um porre por semana, que picha muros e não separa o lixo seco do orgânico podem ser jeitos eficientes de te afastar da imagem Sandy...rs

Beijo grande!

SELFBOY disse...

Vou avaliar se você fala com as mãos, se fizer isso: Sandy!

Ahuahuahuahua

Ótimo... Adorei!

Edu disse...

Adorei "não separa lixo seco do orgânico", rsrs... Mais bad boy, só se me mandar as fotos do calendário-de-borracharia! :-)

Paulo Braccini - Bratz disse...

Desculpe a ausência, estive viajando ...

Caraca, mais uma forte identidade entre nós ... fui lendo o eu texto e a minha vida foi sendo rebobinada ... sei bem o q é isto ... querido ... vamos ficar pelados na paulista??? rs

RAFAEL disse...

Ih Paulo, dois homens correndo pelados na Paulista? Vão fazer fila pra bater de lampada na gente....melhor correr pelado em outro canto...rs

abração...

Dama de Cinzas disse...

Eu acho que devo ter sido a primeiro a dizer que tu não tinha cara de piriguete, e continuo afirmando que não tem... rs.

Já que você sente que tem esse lado bad boy, deixe ele fluir um pouco. Caso contrário as pessoas continuarão a de ver de forma guti guti. "Somos" o que passamos para as pessoas.

Eu já passo o contrário, que sou uma devassa, amante de homem casado dentre outras coisas. E estou longe de ser tudo isso. Mas muitas pessoas conseguem ver a menina assustada que habita em mim. Pense se você tá mandando as mensagens que deseja, se você está dizendo coisas que façam oa outros perceberem seu outro lado.

Nunca esqueço de algo que me disse, que tu nunca tomou um porre. Não que eu ache que as pessoas devam tomar porres, encher a cara de tal. Mas quando você diz algo assim, tu tá mandando a mensagem. Eu não me permito perder o controle. Aí pessoas como eu, não conseguem te ver como uma piriguete, caso tu fosse mulher, porque como homem, a impressão que passa pelo blog, é de alguém que não se permite pagar micos, fazer besteiras e tal.

E para finalizar, acho que já te disse isso uma vez e vou dizer novamente, se permita ser um pouco bad boy, porque quanto mais velho você ficar, mais sentira falta das loucuras que não comenteu.

Não sei se me fiz entender, mas qualquer dúvida você tira comigo... rs

Beijocas

Lua Nova disse...

Escuta Sandy... ops, quer dizer, Rafa... rsrsrrsrsr Achei formidável seu post e vc tem absoluta razão. Não tem coisa pior do que se sentir escravo das expectativas que os outros têm de nós. Tem razão também quando diz que educação e cordialidade deveriam ser obrigátorias no comportamento de todos. O problema é que, das três uma: gente educada e cordial ou é esquisita, antiguada ou "certinha". Pode??? Mas não ligue. Vc é cut cut mesmo, fazer o que? Vc pode fazer como a Sandy que fala de sexo pra parecer bad... rsrsr. De qq modo, vc pode fazer o tal post, esse que dará náuseas... vou morrer de rir... mas te dou o maiorrapoio!
Achei a estória do lixo orgânico uma boa e se vc e o Paulo forem ficar pelados na Paulista, me avisem que eu tiro as fotos... afinal, se não aparecer foto no facebook, NÃO ACONTECEU!
Vê se vai lá no Chocolate, querido.
Beijokas.

o Humberto disse...

Nossa, meu amigo, mais uma vez faço minhas as suas palavras. Compreendo demais o seu drama. Tem um vídeo o panda que eu vou por no blog, justamente pra falar disso.

O pior de ser tachado de bonzinho é que as pessoas criam uma imagem (surreal) de você, desenvolvem expectativas inalcançáveis (quem é 100% bonzinho? só um chato completo) e quando vc discorda ou fala um tom mais alto você automaticamente se torna o pior monstro do mundo. A pessoa cria um "bonzinho-ideal" e quando você demonstra ser apenas uma pessoa normal aí ela passa a te considerar o maior escroto da Terra. Vai entender.

Seja você mesmo e só, Rafa. Deixe as expectativas e os problemas que elas acarretam pra quem as criar. E, ó, sai dessa de Sandy porque já viu né?, hoje em dia não pega bem mais não, rs.

Abração!

Sandes disse...

iiiiiiiiiii Rafael, somos dois Sandys, então. Também sofro com isso, pois fui educado para não errar e isso "me" aprisiona. Mas já ando bem mais leve, bem melhor... Escuta, Rafa, vamos montar uma dupla? Os Sandys! auhuahuahuahuhu Abraço!

Sandes disse...

Rafa, publiquei um comentário com o nome de minha esposa Jéu. Por engano, lógico. Daí eu postei novamente como Sandes. Aceita o segundo, viu? rsrsr iii que engraçado. Sou sandes, que sofre de complexo de Sandy huahuahuauh que gozado!

Marcia disse...

Repito, tu anda inspirado pacas =)
Quer saber? Não mude sua natureza boa, pois em terra de cego quem tem um olho é rei ou no seu caso um príncipe. E ter natureza boa = ter coração bom, no mundo cão que vivemos você é exceção, pois essas são qualidades em extinção e que acabam se sobrepondo a outros defeitos, ainda que graves.
Eu acho você nota dez, e que se danem os seus defeitos, eu valorizo as suas qualidades, uma delas, a boa escrita!
Beijos!

Eder Fabricio disse...

Obrigado pela visita e comentário lá no meu blog. Gostei bastante desse primeiro texto que li.
Com certeza voltarei mais vez e conhecerei teu blog inteiro.
Abração.

Fernando disse...

Hahahah... Esse não é um bom complexo de seter... ainda mais agora que ela disse: "SIM... é possível ter prazer anal.." eheheeh
Brincadeira rapaz...
Parabéns pelo blog, muito bom!
Abs

Mr. TV disse...

ninguém é totalmente bonzinho, e ninguém é todo o sempre mau. relaxa queridão, faça as coisas sem esperar críticas ou elogios, acredite, por mais legal que você seja as críticas também virão. abraço...