FILHOS ESPECIAIS


Sei que é muito difícil para os pais admitirem que os filhos possam ter problemas mentais. Todo e qualquer casal quando determina a hora certa de reproduzirem esperam que seus rebentos sejam saudáveis, inteligentes, e que o mundo se orgulhe deles. Mas nem sempre é assim, não sei a porcentagem, mas há uma grande parcela de crianças que nascem com problemas, muitas vezes imperceptíveis por toda a vida, ou outras que a ignorância dos pais acentua em todo o desenvolvimento dos pequenos.


Conheço inúmeros casos de negligencia de pais em relação aos problemas apresentados pelas crianças na infância. Um dos casos conhecidos foi a total apatia de uma mãe, que mesmo sabendo que a criança sofreu falta de oxigenação no parto, fez questão de bater no peito dizendo ser ele um garoto “normal”. Isso ele era mesmo, não lhe faltava nenhum membro, mas sim a capacidade de se desenvolver como uma criança da sua díade. O Resultado é um adulto com sérios problemas comportamentais  e um retardamento acentuado.

Outro ser ignorante, se recusou acreditar no exame do pezinho quando diagnosticado alteração em seu bebê. Aí eu pergunto: para que fazer o exame se os pais não acreditam no resultado? A conclusão de que havia algo foi diagnosticado na segunda coleta de sangue do pé, com resultado igual, e mais uma vez a abominável mãe negou-se acreditar. Nesse momento também pergunto: onde estão às pessoas de bom senso para dar um chacoalhão nesse individuo? A consequência disso é um adulto com limitações de inteligência, ou como diziam antigamente, um “simprão”. O garoto é atrasado, visivelmente carrega característica de alguma síndrome ignorada na infância. No fim das contas o único a sofrer com isso é pobrezinho, que serve de chacota por onde passa.

O terceiro caso também é de uma mãe cretina, que tendo problemas por ser “prima” do marido negou-se a acreditar que a filha tinha um coagulo congênito na cabeça, o qual carregou por toda uma vida. Já na fase adulta, apresentou problemas de aprendizado, de relacionamento, e assim sendo foi vitima de uma mãe obcecada em provar pro mundo que a menina era “normal”, fazendo-a passar por humilhações e situações constrangedoras. No fim das contas, o coagulo rompe-se deixando-a com sequelas gravíssimas de um AVC. Assim mesmo a ignorância da mãe (de família de posses) mascarou tudo e continuou acreditando que a menina não tinha nada, mas escondeu da família, dos amigos. Mesmo estando imóvel, sem articular um dedinho da mão ouvia-se a mãe dizer que não tinha nada, apenas uma depressão. Morreu sem ajuda medica, sem ter direito a escolher o que queria pra sua vida, por que desde cedo foi castrada, amordaçada por uma mãe louca.

Penso que é complicado assumir para a sociedade um filho com síndromes ou doenças mentais, mas é necessário que os pais enfrentem isso, pelo bem da criança, para que não vivam a margem de tudo. Interagir é necessário, para que se dê aos pequenos uma vida digna.

Não sei como agiria se tivesse um filho com problemas especiais, apenas que não o esconderia, jamais.

Abraço a todos e ótima semana com feriado.

3 comentários:

Dona Pimenta disse...

Bom dia!
Realmente é muito bom colocarmos este assunto em pauta.
Qualquer tipo de deficiência, deve ser identificada, ACEITA e devem ser tomadas todas as providências para garantir o bem-viver e a integração à sociedade, pois apesar de qualquer que seja a deficiência, é um ser humano e deve ser feliz. E estas pessoas "especiais" - tem uma capacidade de transmitir um amor imensurável às pessoas à sua volta.
Eu tive o prazer de conviver com algumas crianças realmente "especiais" e digo que foi a experiência mais incrível da minha vida. Aprendi demais. Desarmei-me totalmente, e aprendi a valorizar cada pequeno gesto ao meu redor.
A discriminação tb tem que acabar.
Afinal, tantas pessoas tem diversas outras deficiências, que são muito piores, e fazem mal à sociedade, como exemplo: deficiência de caráter, de escrúpulos, de humildade, e ninguém discrimina, não é?
Bjsss, Fael, excelente texto.

Paulo Braccini - Bratz disse...

eles são simplesmente adoráveis ... tenho dois filhos de primas nestas condições ...

Jack disse...

ola tudo bem na minha família tem casos assim, um primo com deficiência mental, e uma prima com síndrome porem meus tios segundo minha mãe não queriam acreditar e não cuidaram como deveria, hoje minha prima é bem cuidada uma pessoa inteligente o único problema que minha tia começou a te-la como frágil demais e ela poderia ter desenvolvido bem mais, e o meu primo infelizmente é usado por causa da aposentadoria só pra isso e deixam ele comer demais não tem nenhum cuidado com ele usam apenas o dinheiro que era para ser usado para ele. ate mais.