CIGARRO TE INCOMODA?

Não é segredo para ninguém que todo jovem há mais de um século quando atinge a adolescência experimenta muitas coisas, incluindo o habito de fumar.

O cinema idolatrou o fumo como forma de virilidade para os homens e de charme e independência para as mulheres. E nos anos subseqüentes vimos grandes astros morrerem de câncer no pulmão, como Bette Davis, John Wayne, e tantos outros. Grandes obras primas do cinema incluíam o cigarro como coadjuvante em muitas de suas produções, talvez como um cacoete para que o ator de sentisse bem em cena.

Hoje dou graças às leis antifumo no país. Sou filho de fumantes. Meus pais durante minha infância e adolescência fumaram. No inicio tinham o cuidado de não fazê-lo dentro de casa, respeitando os pulmões de seus filhos, mas como ocorre com todo fumante, em determinada época se achavam no direito de poluir todos os cantos por onde passavam, como se a sua fumaça fosse natural.

O saldo disso foi um pai com 7 safenas, claro por conta de ter fumado 40 anos, e uma mãe medrosa que ao ver o marido operado no hospital, nunca mais chegou perto de um cigarro, jogando abaixo todo o misticismo de que é difícil parar de fumar. Ambos, do dia pra noite deixaram o vicio, e posso garantir, sem sofrimentos. Minha mãe anos antes fizera promessa que deixaria de fumar caso alcançasse a graça. Teve que conversar com um padre e pedir perdão por não cumpri-la.

Dos três filhos nenhum desenvolveu o habito. Creio que todos devam em segredo ter experimentado, mas não quisemos levar adiante. Vivo muito bem sem vícios.
Não me importo com quem fuma, acho que os adultos têm sapiência suficiente para saberem que o treco faz mal. Tantas químicas misturadas e inaladas, ingeridas, tragadas ao mesmo tempo não podem trazem beneficies ao corpo humano, portanto não é por ignorância que se faz o uso do cigarro.

Me incomoda a fumaça enquanto estou comendo, se estou descansando, se há crianças por perto. Fora isso não há razão para dar pauladas num fumante. Claro que incomodava muito estar em ambientes onde o cigarro imperava como bares e baladas. Mas estava lá consciente de que o lugar era infestado de fumaça.

Mesmo com tanta propaganda contra, não percebo que o vicio do cigarro tenha baixado. Tantos jovens fumam, e posso afirmar, mais entre mulheres. Como fomos criados com grandes propagandas num passado recente é difícil esquecer o fascínio que o cigarro trás ao jovem. Muitos meninos se matam em academias para terem seus corpos esculpidos exibindo toda a “saúde” da sua juventude, e quando saem dali fumam absurdamente. É algo que não compreendo.

Como disse acima, não sou uma pessoa que critica as atitudes pessoais de cada um. Não vejo necessidade, por exemplo, de alguém se viciar em cocaína, mas se o fazem que seja longe de mim. Drogas mais pesadas, incluindo as sintéticas vendidas em festas e boates fogem um pouco da minha compreensão também. Alegar que ajuda a perder a timidez é conversa fiada. Já vi imagens de jovens drogados em baladas onde ele nem sabe o que se passa em sua volta. A mente humana é uma caixa de surpresa, e cutucá-la com vara curta é perigosíssimo.

Nunca tomei um porre na minha vida. Nunca achei necessário, nunca passei do limite da torpe, e, portanto nunca sofri os efeitos retardados da bebida. Se não o fiz na adolescência que era à hora para isso, hoje tenho certeza que não o farei mais. E garanto, não há arrependimento.

Sempre tive a consciência de manter a “consciência” intacta, por isso grandes bebedeiras que nos levam a amnésia não aconteceram. E convenhamos, não há nada mais chato que alguém bêbado quando você ta sóbrio e quer se divertir. Se for fraco para a bebida, não beba.

Mas não há como dosar o jovem. Então os deixemos fumar, beber, mas não abusem de drogas, o efeito disso será daqui alguns anos, quando estiverem caretas, dentro de casa com filhos pequenos.

Muitos dos que passam aqui estão na fase de inicio de vida adulta, então pergunto, qual seu vicio? Sem que haja constrangimento para responder, afinal cada um é dono do seu próprio nariz. E a questão também estende a nós adultos, já passados da fase de “experimentos”.

Boa semana a todos. Se cuidem.

19 comentários:

Marcos disse...

Eu tive esse péssimo habito por conta disso creio até que meu problema com as cordas vocais tenham vindo fruto do fumo.

Eu parei da noite para o dia e não me arrependo em nada...

Meu primeiro post aqui no blog foi sobre o cigarro e a lei... que proibe o fumo em locais publicos...

Mas eu achei interessante um comediante que disse porque das placas que é lei proibindo fumar... e as outras leis.. são menos importantes e não tem plaquetas.. por exemplo, probido matar - roubar - ser estelionatário... mas para o fumo tem placa... veja como é sério essa "contravenção"...

Poderia escrever horas sobre o cigarro.... e seus males... mas cada um no seu quadrado...

abçs

Dama de Cinzas disse...

Bem... Já fumei dois maço de cigarros por dia e parei de um dia pro outro, não foi difícil pra mim...

Já fui viciada em drogas e parei de um dia pro outro, foi terrível a abstinência...

Já bebi muito e hoje bebo bem menos, mais ainda tomo meus pileques...

Mas o pior de todos os meus vícios, porque ele consegue me vencer e não consigo largar, porque me faz muita falta, é o café... rs... Esse eu já tentei parar e não consegui, talvez porque não tenha prejudicado de verdade a minha vida... sei lá... rs

Beijocas

Antonio de Castro disse...

hoje eu evitei o primeiro pedaço de pizza.

viciado em glúten sofre mais que viciado em cigarro, vai por mim!

.•*♥*•.¸¸.• Sanzinha •.¸¸.•*♥*•. disse...

Eu tenho dois vícios: chocolate e coca-cola! rs
Nada de álcool, muito menos cigarro.
Odeio, tenho nojo. Simplesmente não suporto.
Gostei do post, Rafael!

Beijos!

Caju disse...

Detesto cheiro de cigarro. Mas tenho uma coincidência com sua história: minha mãe também parou de fumar quando meu pai enfartou.

abs

Karina disse...

Meu vício: chocolate! Tenho que me controlar muito, porque realmente é complicado. De resto, posso afirmar que nunca tive curiosidade de experimentar cigarros ou outras drogas e nunca tomei um porre, porque quando eu começo a me sentir meio que levitando a bebida perde a graça para mim. Em suma: o máximo que já consegui chegar foram três taças de vinho ou espumante. Também não suporto cigarros, mas não faço campanha anti-fumo, porque cada um sabe do seu nariz. Bjs, Karina.

Renato Orlandi disse...

É realmente muito triste esse vício, mas me colocou a pensar em qual seria o meu, volto quando pensar em alguma coisa. Abraço!

Luna Sanchez disse...

Qual meu vício?

Pergunta complicadamente simples de responder...não fumo (mas também não condeno quem o faz), já tomei três porres homéricos (sei que não perturbei a vida de ninguém, ao menos isso) e nunca provei as tais drogas de balada.

Se eu achar uma resposta satisfatória e menos bobinha do que as que me ocorrem agora para a questão, volto e conto.

Beijo, Rafa.

ℓυηα

Três Egos disse...

Oi Rafael, gostei do post, no mínimo instigante. Eu, como bem deve saber, dou umas escapadas por aí. Do álcool eu não fujo, já bebi muitas vezes, já até tive esta tal de amnésia, já dei trabalho para meus amigos, mas nada que eles não me dessem também. Não acredito que eu seja viciado ou algo assim, bebo, algumas vezes até passo um pouco da conta. Mas beber de cair no chão e tal é bem difícil, depois de algum tempo a gente bem sabe se controlar... rsrsrs.

De resto só, já experimentei o cigarro, mas não gosto. Se fumei uns 7 cigarros na minha vida inteira foi muito. Para o cheiro eu não ligo muito, afinal, também cresci em uma família de pai fumante. Só odeio quando fumam quando estou comendo, isto eu não suporto mesmo.

Quanto às drogas mais pesadas eu já experimentei 2 delas uma vez, nunca mais. Caí sim no risco de poder me viciar, cresci um ambiente em que dizer não às drogas é obrigação. Mas nada disto me impediu na hora.

Enfim, não me envergonho, mas também não me orgulho. Foi uma vivência que poderia ter deixado quieto, mas enfim a vida tem destas.

Abraço!!!

E eu jurando que vc nunca teve ressaca não por nunca ter bebido, mas por ser forte na queda... rsrsrs... brincadeira

Lobo Cinzento disse...

Acho que o único vício que eu tenho é com jogos eletrônicos. Perdia a linha fácil fácil... por conta da faculdade, acabei parando, mas era coisa que, se deixasse, ia até mais de 10h por dia...

Cigarro, eu não SUPORTO. Mesmo. Digo que não me incomodo quando pessoas conhecidas/amigas perguntam se podem fumar perto de mim, mas eu fico pra morrer. Acho que se a pessoa quer usar drogas, fique a vontade. Mas a partir do momento que isso prejudica as pessoas a sua volta, ai eu encrenco. Um conhecido desenvolveu cancêr de pulmão, por ser fumante passivo. Nunca pos um maço de cigarro na boca, mas o paizinho fumante deu um jeito nisso...

Quer morrer? Se mata sozinho.

Abração Rafa!

As férias? Uma montanha russa. Tem dia que quase morro de tédio. Tem dia que aparece tanta coisa pra fazer que quase não dou conta ahauahauahaua

Rê Ura disse...

Olha sempre tive um certo preconceito contra drogas..
Tenho pais fumantes também isso sempre me incomodou muito! Eu e minha irmã chegamos á esconder cerca de 50 maços de cigarro dos meus pais.. mas acabamos desistindo. Meu pai parou por conta própria, ele fumava desde os 13, minha mãe fuma até hoje. Eles se sempararam e após alguns problemas que passei na minha adolescência meio que tentava escapar bebendo... bebia até cair literalmente! O cigarro veio quando entrei no mundo adulto, não fumava para aparecer, pois fumava escondido de todos, mas fumava para exaltar minha rebeldia!

A gente cresce e vê as besteiras que fez... Hoje não fumo e bebo pouquíssimo.

Beijos e boa semana!

Ruy disse...

Sou fumante e concordo que tem ocasiões que o cigarro incomoda e muito, por isso mesmo acho que o fumante precisa ter consciência de que não dá pra fumar em todo e qualquer lugar.

Quantos aos riscos, todos nós sabemos quais são, não recomendo que pessoas fumem e aceitamos viver com isso. É f*da, mas é a realidade.

Abraços

D. Martins disse...

.rs Rafa, meu vicio de cigarro foi embora, quando percebi que fazia mais mal a Camila, que tem asma, do que tecnicamente a mim mesmo.

Parei da noite pro dia, me esforcei e hj já tem um boooooom tempo, pelo menos 1 ano que não fumo mais! E espero continuar assim por longos anos, não sinto mais vontade, acho que 'limpou'..rsrsrs

Abração. Excelente post!

Chiara disse...

Olá.. Adorei seu post.

Não fumo, nada contra quem o faz,
Cresci numa família q todos fumam o cheiro me incomodava, acho que por isso Felizmente não me entreguei ao cigarro.

Agora beber ?? kkkkk..
Quando adolescente Já tomei meus porres sim... Hj a bebida já não me agrada.

Jovens e suas fazes...kkkkk

Atire a primeira pedra quem nunca tomou o primeiro porre !!!

Dil Santos disse...

Oi Rafael, tudo bem?
Eu tbm venho de uma família de fumantes, meu pai é , meus tios, somente minha mãe q ñ. Ainda bem que ñ obtive esse hábito, péssimo por sinal. Detesto cheiro de cigarro.
Abraços menino

Atitude: substantivo feminino. disse...

Vou fazer comentários aqui sobre os outros posts pois fui lendo na sequencia.
Verrugas - nunca tive mas tem gente que tem e poderia tirar. Tenho uma professora (bonita, sabe) loira, alta..só que cara ela tem uma daquelas verrugas bem no nariz e com cabelinhos?!!! Por que não tira? Por que não vai no dermatologista??? Eles tiram em 1 dia e pronto. Enfim..não tiro dúvidas com essa professora porque não consigo me concentrar se ela chegar muito perto de mim. Vc entende...
Cigarros - reparou como os lugares estão mais limpos? Ántes havia uma nuvem cinza nos shoppings..agora não há mais. No Rio a galera está respeitando muuuito..Tipo até em boates não pode mais.. Para mim, show de bola! Adoro essa lei! Quando estive no Sul vi que as pessoas não respeitavam..e fumavam nos bares...fiquei pasma porque nós cariocas somos bem mais sem educação e respeitamos.. e ai em Campinas? Respeitam? Aqui em BsAs só respeitam nos shoppings. Nos bares..necas..
Pânico - para mim, já deu o que tinha que dar. Nada que seja grosseiro, vulgar ou que gratuitamente maltrate alguém me agrada. Eles possuem bons humoristas mas erram demais na mão. Eu mudo o canal porque tenho vergonha de ver. Vergonha de mim mesma..(Tenho algum problema)

É isso, rafa!
Bjinhos

Autor disse...

Eu odeio cigarro, eu odeio cheiro de cigarro (principalmente cheiro de cigarro nas MINHAS roupas), eu ODEIO beijar uma boca com gosto de cigarro.
Eu acho que não namoraria um fumante.

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Ando por essas ruas sem fumaça pelo lado de dentro, só quando abro a janela e deixo notas desafinadas entrarem e bagunçarem meus sentimentos, mas é coisa rara, não sou adepto dos vícios – ou não sei ao certo se deveria: escrevo mais que a palavra e sucumbo diante de uma carreirinha de gente pra abraçar e deixar o céu mais azul...

Mas nesta minha volta à blogosfera, a saudade me impede de traçar mais comentário para além do necessário: o fumo [me] faz mal. Por outro lado, penso que também [nos] faz mal. Simples assim, ou deveria sê-lo.

Sabe que gosto. E porque gosto, apareço! Mais uma vez, simples. (rs)

Abraço em meio àquela carreirinha que te falei acima! (rs)

Assim, na boa, Rafael!

===

Andrea Pagano disse...

Rafa,
Estou atrasada nos meus comentários...rsrsrs
Bem eu fumei durante bastante tempo cigarro, adorava e achava que jamais conseguiria largar. Quando fiquei grávida da Pietra, larguei e voltei quando ela tinha 1 anos...Ai vi que para fumar escondido dela dava muito trabalho, então resolvi parar de vez! Foi a melhor coisa que fiz na vida! O cigarro sempre me fez muito mal...
Já fumei uns baseados, mas foi coisa de época, nem me lembro quantos anos faz a ultima vez que fumei...
Adoro vinho, acho que bebo todo final de semana, mas não considero vício, pois se não tem, beleza...Mas é algo que gosto muito...
Acho que vício mesmo eu tenho por pão, acho que eu não fico sem pão na minha vida...
Bjs e ótima semana para vc!!!