CERTO? NÃO, ERRADO!

A definição de certo e errado em muitos casos é subjetivo. Verdades e mentiras são necessárias, mas digamos que o conceito do que seja “verdade” em muitos momentos também é algo profundamente subjetivo. Como já mencionei em vários posts, a verdade de um nem sempre comunga com a verdade de outros.

Mas existem determinadas situações onde não se tem meio termo. Um uma pessoa corrompida, só está nessa situação por que há um corruptor. Um policial (como no caso do atropelamento de Rafael Mascarenhas) só se torna subornado desde que a quem ele tentou extorquir corroborou com o seu crime, e aceitou a permuta. Ambos são criminosos, ambos devem ser julgados.



Um casamento é dividido em 50% para cada um dos cônjuges. Quando esse relacionamento acaba, ambos tiveram o peso igual. Claro que existem exceções, mas na maioria das vezes, o termino se dá única e exclusivamente por culpa dos dois, mesmo que entre eles existam fatores externos, outras pessoas. Um relacionamento só pode ser chamado assim, quando existe a divisão de sentimentos. Quando um só gosta, esse peso desigual na balança não pode ser chamado de relacionamento.

Cometer um crime usando um comparsa ou contratando alguém para fazê-lo é tão imbecil que a pessoa não se dá conta de que mais cedo que se pensa alguém dará com a língua nos dentes. O goleiro Bruno, mandante do assassinato da ex-amante é um exemplo disso. Por mais fiel que alguém lhe seja, quando a água encosta na bunda todo e qualquer ser humano abre o bico. Seja lá qual o grau da infração, dividir ou livrar-se da culpa é humano. Já dizia Homer Simpson “A culpa é minha, eu coloco em quem eu quiser”.

É uma lei universal que para cada ação existe uma reação. Se você ofende alguém, da o direito do outro de revidar, se você agride alguém, faça com a noção que haverá volta. Se achar dono do mundo, intocável, inatingível é uma dos pensamentos mais tolos que alguém pode ter. Nada e ninguém estão livre de um julgamento, seja social, pela justiça dos homens ou divina. E o pior, quem provoca o mal de outros, que torça para que o pior dos julgamentos não o atinja, a consciência.



Beber implica em perda de parte de suas funções criticas por isso se for fraco ou não tiver moral, pense bem antes de se expor ao ridículo. Alguns atos se perpetuam na memória dos outros eternamente.

Ser dissimulado exige muita perspicácia, portanto aquela pessoa que curte falar mal dos outros, criar intrigas, seja esperta, por que assim como se espalha armadilhas por onde anda, uma hora numa das voltas da vida, você cai na própria teia que criou, o famoso “beber do próprio veneno”. Isso é fato.

Aquele que deixa o namorado(a) sem explicações para determinados atos, atitudes, vazios e falta de companheirismo, está inevitavelmente empurrando-o (a) para outros que o querem. Por isso seja na idade que for, criar um vácuo dentro de uma relação é perigoso e suicida e se o desprezado(a) resolver cair na tentação o culpado deve ser digno de dizer “ perdoe-me por me traíres” conforme titulo de uma obra de Nelson Rodrigues.

É tão fácil viver, o difícil e conviver.

Abração e boa semana a todos.

6 comentários:

Antonio de Castro disse...

nossa

foram tnts fragmentos.

a gente tá cheio de tomar atitudes q são certas e erradas ao mesmo tpo, depende do ponto de vista.

e qd vc fala q beber faz a gte perder a consciencia, eu fiquei realemente em duvida se vc tava falando do transito ou de noitadas exageradas...

depois essa história de ter motivo pra uma traição...

ficou estranho...

Renato Orlandi disse...

Uau, texto com elementos atuais e argumentos bem discutidos para chegar onde? onde? no vácuo que levamos todos os dia..ok, falo por mim. Concordo, nada acontece por acaso e quando se esta numa relação a culpa sempre é dos dois! Boa semana rapaz!

Lobo Cinzento disse...

Eu acho que são coisas separadas, ser bom, mal e ser criminoso ou não... O ser bom ou mal é subjetivo, mas se criminosos não... ai que você pode ter pessoas que cometem crimes por uma causa "maior", ou crimes puramente egoistas... bons? Maus? Quem sabe... mas criminosos com certeza!

Mas de resto, só posso dizer que tudo é relativo... mesmo! Tem gente que vive imerso nos maiores vórtices emocionais e se sentem bem assim... XD

Abração Rafa!

Dama de Cinzas disse...

É uma grande verdade! Fala-se tanto das mulheres que vivem dando golpe da barriga em jogadores, casando por dinheiro e tal, mas se existe isso é porque tem homens que gostam de ter esse tipo de mulher ao lado.

Acho que o que você quis dizer é que nada existe de forma solitária, sempre tem uma outra pessoa que alimenta aquele comportamento. Com algumas exceções, claro, em tudo há exceções...

É do ser humano sempre ver a culpa no outro e nunca enxerga sua parcela de culpa também...

Beijocas

Tathiana disse...

Conviver bem é uma arte que poucos dominam...
Adorei o texto (e não pude deixar de rir com a citação do Holmer Simpson).
Bjs.

Marcos disse...

Tenho certeza que existem 2 vertices nesse texto mas a essência é a mesma.

O pior é o criminoso passar por vitima, como vimos no caso do corrompidor.

O pior é os 50% de um ser transposto para o outro!

O pior são cobranças criadas na cilada.

Muito bom o texto.