NÃO SOU UM PRÍNCIPE...

Eu infelizmente (ou felizmente sei lá), sempre fui aquele rapaz com cara de bonzinho que as mães querem como genro. Não estou me gabando por isso, nem falando que sou o máximo, mas apenas relatando um fato que me incomodou a vida toda.

Sabe por que do incomodo, por que os cafajestes sempre mexem com a libido de todo mundo e são os que mais se dão bem na vida. O fato de ser o bonzinho te acarreta uma dor de cabeça chamada, falta de amor próprio. Por toda uma existência o bonzinho preza pelo bem estar alheio e acaba engolindo sapos enormes.

Hoje não sou mais esse bonzinho, sou o super sincero. Falo um monte de coisas que antes deixava travado na garganta. Entre a família criei  certo receio ou medo nas pessoas, sei la. Já ouvi dizerem que contam as coisas por ultimo pra não terem que ouvir meus xingamentos...rs rs rs. Imagina ainda tenho “alma” de bom moço.

Mas a questão de sempre parecer o bonzinho nunca atraiu ( na adolescência e começo de vida adulta) as gostosas do pedaço. Pelo contrario, sabe Beth a feia, aquela menina que todo mundo tira sarro, que acha brega, que tem um quarto cheio de toalhinhas de crochê sobre os móveis, então, essas se apaixonavam por mim, e me enchiam a paciência.

Quando estava na faculdade uma criatura que demos o nome de “tia véia” me pegou pra Cristo. Controlava minhas faltas, e todo dia vinha com seu cardigand  ( tive que pesquisar por que não sabia escrever isso, rs rs rs) rosa bebê saltitando como Doroth na estrada de tijolos de ouro, ao meu encontro. Putz, aquilo me matava de vergonha, queria me afundar no chão. Era tão chata que na festa de aniversario na casa dela os amigos a trancaram na dispensa por que estava atrapalhando a diversão. Um dia a mãe dela me abordou e disse: nossa você é um príncipe!!! Foi a pior ofensa que já me fizeram. Eu querendo ser um canalha, e nunca conseguindo, e a mulher me chama de príncipe. Me senti o próprio Charles, orelhudo e em formato absorvente feminino...

Não, não sou um príncipe. Sou um cara educado, que respeita a opinião alheia. Ou como dizem por aqui, sou um cara criado pela avó...rs rs rs. Não sei se quem me lê compreende esse termo. Aquele cara vestido todo bonitinho, com cabelo bem penteado, meias brancas até o joelho e que é respeitoso com as pessoas. Esse fui eu. Agora xingo mesmo, e falo o que vem a cabeça. Acho que é o inicio da esclerose!!!

Meu trauma com barangas vem desde a infância. No primário as professoras me colocavam pra dançar quadrilha com as meninas mais feias da classe. Hoje me sinto lisonjeado e até agradecido por um ano em que ninguém quis dançar com uma garota que tinha um problema de locomoção. Havia tido pólio quando bebê e uma das pernas era mais curta. Não me lembro de ter sido consultado, apenas a professora veio e disse, você dançará com a fulana. Percebo que foi o único ano de primário que ela teve um parceiro de dança, por que nos outros anos que não estávamos na mesma classe, não me lembro de tê-la visto na quadrilha. Talvez tenha feito um bem a essa garota. Mas que levei um monte de pontapés , isso levei. Certas memorias da infância nunca apagam, inclusive alguns tombos no ensaio. Era fraquinho aos 8 anos...rs.

Hoje não me importo mais se acham que sou cafajeste ou bonzinho. Depois dos 30, muita coisa deixa de ser prioridade na vida, relegamos coisas sem importância para uma gaveta a qual não mexemos mais. Continuo educado, mas não bobo.

To vendo que daqui uns anos estarei como a Dercy. Mandando tomo mundo pra aquele lugar, e sentando de pernas abertas onde estiver...rs rs rs rs..

Bom fim de semana a todos, porra!!!!


7 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Mas meu Deus do Céu! mais uma afinidade com este guri q conheço desde o jardim de infância ... Como te entendo nesta questão do moço bonzinho mas q no fundo sempre quis mesmo era ser o "cafajeste" ... putz! paguei um preço enorme na vida por isto mas, felizmente, hoje, se não sou um perfeito "cafajeste", também não sou mais aquele moço bonzinho q todos montam e aproveitam ... hoje sou franco, transparente, direto, não ligo para o q as pessoas pensam ou dizem. Não abro mão dos meu SER e dos meus Direitos, seja com quem for, qdo for e onde for!
Qto à questão das minas, sempre fui um cara "abençoado" pela vida ... rs ... sempre fui alvo de cobiça e encantamento das minas q me circundam ... queria ter um décimo da sorte q dava com elas mas com relação aos bofes, aos machos, aos boys ... rs ... e o pior, é que as minas q apaixonavam e davam de cima ainda traziam a tira-colo as mães e as avós q me olhavam e logo iam dizendo ... agora sim ... agora vc arrumou um rapaz pra casar ... kkkkkkkk ... bem, esto aqui casado a 38 anos [quase] e, em que pese a rabugice e a caduquice da marida, sou um cara feliz ... feliz mesmo sem ter conseguido ser um "cafajeste" mas feliz por ter conseguido deixar de ser o eterno moço bom ...

bjão querido ...

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

ah esqueci! mais uma semana no meu ritmo e eu já vou estar q nem a Dercy ... assentado ou deitado de pernas abertas ... a idade eu já tenho ... kkkkkk

Edu ardo disse...

Tamo junto, irmão: eu aqui na privada, segurando o cocô enquanto nego escova os dentes lá fora, enquanto o cara do reservado ao lado peida e "metralha" a louça branca (maior barulhão!)...

Freddie Butterman disse...

Seu post foi bem pertinente! Eu também me classifico nesse padrão de bom moço, e pior, ainda não consigo me desfazer dele, ainda não consegui ligar o botão 'foda-se', mas com o tempo espero encontrar uma forma.

Abração!

Marcos disse...

Menino, menino menino!!! Ai ai ai... voce cafajeste eu pagava pra ver... mas que a dercy tá mais perto aaaaaa isso tá kkkkkkk!

To menino já passou por isso, eu tb já paguei muito mico e sempre as feia e gordinhas vinham na minha cola.

Enfim, faiz parti!!

Cores da Crise de meia idade! disse...

Caro Príncipe,

Sinto em dizer que uma vez realeza, sempre realeza!
Pode falar PQP, etc..... lá no fundo o menino de cabelos penteados e meias brancas vai continuar esboçando um sorriso verdadeiro, mesmo que as pessoas para quem esse sorriso se dirija não sejam "muito merecedoras" desse sorriso!
Não sou tia feia , nem Ugly Beth ( pergunte para os dois moços aí de cima...rsrs) , mas vc é um príncipe, tal como eu e Edu Ardo e o Paulo!
Provavelmente (assim espero) você não vai se tornar a Dercy, mas vai começar a "reinar" com mais sabedoria!..
Viva a NOBREZA......... de ALMA!
bjs

Cesinha disse...

Ah, não... não tem aquela “máxima”?... como é mesmo?... todos curtem um cafajeste, mas querem mesmo é se casar com um príncipe!... é isso? (kkkkkk) Tá certo que príncipes “bonzinhos” não estão com nada... mas os inteligentes, educados, carinhosos... aí todo mundo quer!

Beijos.