CAMPINAS, A CIDADE DOS LINEUS


A roupa que vestimos não mostra o que somos. O melhor carro é aquele que a gente pode pagar pra ter e a melhor casa sempre será a nossa, onde existem traços da nossa personalidade.

Tudo isso pra mostrar que não sou alguém que vê os outros pela posição social ou que analisa aquilo que outro tem de bens materiais, mas uma coisa me intriga e me deixa profundamente irritado aos fins de semana quando preciso transitar pelas ruas esburacadas de Campinas, a quantidade absurda (eu realmente não entendo por que) de carros do modelo Monza espalhados pela cidade.

Nesse ultimo fim de semana, nas poucas vezes que saí, fui quase atropelado, quase bati, quase enfartei, quase destruí um Monza a martelada, por que além de ser um carro fora de uso, antigo, os motoristas desses são o que existem de pior no transito da cidade. Velhos rabugentos que dirigem no mundo de OZ, onde pensam existirem apenas eles nos volantes.

O Monza pra mim ficou caracterizado como o carro do Lineu ( Marco Nanini – a Grande Família). É um carro de tio véio, daqueles que aprenderam a dirigir em ford 1940, com apenas 3 marchas. Sábado e domingo em Campinas são dias de esbarrar em Lineus pelas ruas. Estão nos semáforos, andando no meio das pistas ( coisa que me tira do sério), parados nas esquinas mais movimentadas com os capôs abertos e sempre o mesmo tipo: aquele cara desleixado ( véio na maioria das vezes) de bermuda, camisa aberta e cara de esponja de cachaça. Por que, pergunto, por que, nessas horas não tem um agente de transito pra tirar esse sujeito de circulação. Eles provocam acidentes, eles atrapalham o fluxo normal de veículos, nas grandes avenidas, eles incomodam!!!

Há varias dessas agentes em Campinas, que é outra coisa que não entendo. Por que tanta fanchona pra cuidar do transito. Elas olham para nós motoristas homens com ódio. As únicas multas que levei na vida vieram delas.

Não quero ser maldoso como os donos de monzas, mas pô, custa prestar atenção no transito. Não adianta nem buzinar, por que a maioria já nem audição tem mais, e também não enxergam. Fazem barbeiragens e continuam no seu mundinho. Temos uma desova aqui na cidade, todos os monzas que sobraram no país vieram pra cá. Impossível uma cidade ter tantos carros desse modelo, é algo que transcende a logica. E Campinas além de engolir esse sapo tem outros problemas mais graves.

Minha adorável cidade é um recanto do descuido, do abandono, e o celeiro dos mais hipócritas políticos da nossa nação. Parecemos um cartel de coronéis que ainda mandam nos colonos e impõe voto de cabresto. É nauseante assistir o horário eleitoral. Tentei uma única vez semana passada, e não aguentei 5 minutos sequer. Um bando de mentiroso que nem coram em prometer tantas barbaridades.

Cidades como a minha, com uma raça tão podre de políticos é que faz com que não acreditemos mais em nada. Sabemos que 99% são iguais a eles no restante do território nacional. Acabaram com toda e quaisquer ilusões que tínhamos de ser uma cidade modelo, um lugar de cultura e com infraestrutura básica para toda a população. Aqui não há acentuada desigualdade por que todo mundo se ferra, do rico ao pobre o campineiro só toma na cabeça. Andar pelas ruas é impossível com o asfalto vagabundo que ultimo prefeito caçado colocou por aqui. Devíamos ter uma lei para mandar embora do país sujeitos que brincam com dinheiro publico e enganam a população com sarjetas pintadas. E o pior, anular voto é corroborar para que um canalha acabe ganhando a eleição. Temos infelizmente uma fogueira de um lado e um precipício do outro. O que escolher para que a dor da morte doa menos, é o inevitável para essa próxima eleição.

Boa segunda feira a todos. Se tiver um Monza, deixe-o em casa nos finais de semana, por favor...rs.

5 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

engraçado, sempre achei q vc tinha cara de uma pessoa q tinha um MONZA ... kkkkkkkkkkkk

Albuq disse...

Oi Rafael!
Quando paguei "Teoria da História" na universidade, uma das professoras mais brilhantes que tive falava que tínhamos de ser otimistas, que acreditar nas mudanças e crer pelo lado positivo. Nesse mesmo dia pensei: tem como, se vivemos num país onde a desigualdade é cada vez maior e não temos esperança nenhuma de acordo com os nossos representantes? É realmente frustante!

AD disse...

Eu ri, mas Campinas faz parte do grande Brasil do voto de cabresto.

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

teve gente q disse q vc não devia usar óculos escuros ... assim vc esconde os seus olhos ... OMG!

Cesinha disse...

Você sabe que uma das coisas que mais me chamou a atenção esses últimos tempos foram os rolos com os prefeitos de Campinas. O interessante é que sempre me pareceu ser uma cidade bem politizada, com uma população de nível educacional mais elevado. Eu errei nesse julgamento?

Beijos.