DESMEMORIADOS !!!

Muitas pessoas passam pela vida sem guardar recordações de nada, simplesmente vivem o dia de hoje. Tenho exemplos próximos. Minha mãe é uma pessoa desse tipo, não se apega a memoria antiga, o que passou, passou, e tchau.

Eu já tenho um lado mais sentimentalista. Gosto de guardar recordações. Não que viva do passado, mas em alguns momentos curto abrir aquele bauzinho e retirar de lá suvenires de outras épocas. Musica, fotos, objetos, e outros itens nos remetem ao mundo onde  construímos a nossa história. Sempre que por algum motivo bate a melancolia (considero normal em qualquer ser humano) faço esse retrocesso e releio todo o processo evolutivo. Confesso que em determinadas épocas algumas fases do passado me incomodavam, mas a gente amadurece e tudo se transforma em boas lembranças.

Ontem passei boa parte do dia em casa, e achei algumas lembranças boas, de momentos felizes, mas também recordei, por exemplo, que hoje dia 17 de outubro completam 25 anos de morte da minha avó paterna, e pode parecer esquisito, mas a sensação ruim daquele dia (eu ainda era moleque) são tão claras como se acontecido há alguns meses.

Algumas pessoas viajam, frequentam grandes eventos, vão a locais disputados a tapa, deparam-se com monumentos históricos e apenas fotografam pra mostrar para os outros que ali estiveram, sem um mínimo de sentimento por aquela ocasião. Sabe aquele tipo que vai ao Museu do Louvre e fotografa o prédio, depois a Monalisa, a Torre Eiffel e coloca em destaque nos seus sites de relacionamento, aí você pergunta? E ai gostou, qual a sensação? A resposta é: ahhh, muito grande aquilo, precisava de dias para conhecer, e a Monalisa, nossa um quadrinho pequeno, chocho, a Torre Eiffel então, aquilo ali ta tudo enferrujado...

Aí eu pergunto: pra que viajar tão longe se todo o glamour, toda a beleza de uma cidade como Paris é confundida com uma barraquinha de caipirinha em Fortaleza (que esse tipo de pessoa aprecia com mais intensidade). Fica por aqui, não viaja, não queima o filme do Brasil no exterior. Pessoas que não se ligam a historia deviam ficar em casa, fazer churrasco com os amigos na laje e pronto. Não é difícil ter um pouco de cultura hoje em dia, a internet ta aí pra pesquisa. Informe-se, e vá com um mínimo de animo visitar locais históricos.

Nunca fui de correr a lugares de buchicho apenas para me fazer presente. Talvez até por isso tenha um problema com shows. Quando há muito alarde, empolgação eu meio que brocho. Me arrependo as vezes por ser assim. Queria ter visto Amy, e acabei deixando passar. Mas os shows que mais me marcam são aqueles que vou sem programação. Alguns anos em férias no Rio, vi por acaso Air Supply e só lá percebi o quanto os conhecia, e garanto, uma das noites mais emocionantes da minha breve história.

Não sou a favor de ficar preso ao passado, acredito que sirva sim de lição. Erros cometidos e esquecidos, são fadados a repetição. Mas manter guardadas as recordações é essencial para que haja o que passar adiante. É terrível conversar com pessoas que não tem história, que não sem lembram de nada, que não interagem com os outros. Não é preciso chegar a velhice para se acumular feitos, em qualquer momento da vida podemos ser um livro ambulante com passagens interessantes, basta apenas perceber os momentos, e guarda-los como memoria.

Abração a todos e ótima semana.

7 comentários:

Solange disse...

eu sou como vc...
e minha mãe, também é como a sua..haha..
boa semana!!

bjs.Sol

Dona Pimenta disse...

Bommm dia!!!
Hj o Baú está REALMENTE um Baú! rsrsrs
Sou suspeita, pois guardo tudo. Bilhetes, flores (eu seco, coloco data e guardo), folders, ingressos validados, canetas, etc, etc, etc. Tb tenho o "meu Baú" rs.
Estas lembranças valem muito mais que fotos, e nos faz sentir todas aquelas sensações de novo.
Nostalgia é bom também. Recordar é viver - Como dizem.
Bjsss e ótima semana.
D. Pimenta.

Luna Sanchez disse...

Nhaá...Gostosurinhas da memória!

Eu também guardo coisas especiais.

Beijo, Rafa.

Monykalves disse...

Passamos tanto tempo com as pessoas dizendo: quem vive de passado é museu. Que ate esqueci das coisas que guardo, pequenos detalhes que um dia jogarei fora, mas sempre tem um que vc não consegui, as vezes é bom relembra mesmo sendo comprovado que lembramos mais de coisas dolorosas do que realmente das felizes...

Bj...

Lua Nova disse...

Eu sempre guardei tudo... tive que me reeducar e aprender a desapegar. Hoje, guardo o que considero muito especial. A vida passa muito depressa e a memória acaba falhando. É bom pegar algo e dizer: caramba, não me lembrava mais disso!!! Que lega!!
Quer fazer a gentileza de LEMBRAR de ir lá no meu blog? Obrigadinha!
Beijokas e uma linda semana pra vc.

Claudia Cereser disse...

25 anos sem Dona Mocinha!!!Lembro-me do cabelo impecável dela, das missas de domingo, de algumas palavras que eu só tinha ouvido da Dona Mocinha, que era muito culta... bem, ...saudades de vocês!! beijoooo

Fernanda disse...

Legal esse post. Lembra da gente na faculdade, há 15 anos atras?? :-)