Vitimas infantis

Li esses dias que blog é um ferramenta de comunicação nos dias de hoje, mais ágil que jornais, isto é, pessoas acessam blogs diariamente, e se informam sobre acontecimentos, política, entretenimento, muito mais do que por jornais e revistas impressas.
Para quem circula pela internet não é preciso dizer que o conteúdo dos blogs vão desde pura informação e cultura, diários pessoais, até putarias sem precedentes. É o mundo globalizado.
Gosto do meu espaço. Acredito que o Baú do Jamal, é um blog diversificado, e até hoje me deu prazer em te-lo. Digo isso, por que vejo muitos espaços deixando de existir. Seus donos abandonando o barco, e deixando-os de lado, por falta de tempo, problemas pessoais e coisas que não vem ao caso.
Não sei se a maioria das pessoas que lêem meu blog concordam comigo, ou gostam do que vêem, mas o fato que muitas vezes uso o espaço como forma de protesto. Se há algo que me incomoda profundamente é ver, ouvir ou presenciar qualquer tipo de preconceito. Já disse isso milhares de vezes aqui.
Nesse fim de semana, vi e ouvi duas passagens que me deixaram revoltado.
Uma delas foi a matéria do “Domingo Espetacular” ( Record) que mostrou um jovem com uma limitação intelectual ( um pequeno retardamento), que teve todos os seus dentes arrancados por um cretino cirurgião, dentro de um hospital. O rapaz iria fazer a remoção de dois dentes posteriores e o cara arrancou 28 dentes do menino, deixando sem nada.
O garoto que não é de família tão humilde ( classe média típica brasileira) não sai mais de casa, não vai a escola ( especial, a qual freqüenta) e chora todas as vezes que se lembra do ocorrido.
Ok...a prefeitura da cidade, a policia todo mundo saiu a caça do médico, que foi demitido, e há a promessa de devolver os dentes do garoto. Beleza...mas e a dor, que sentiu após a extração, e a que sentirá para repor todos os dentes novamente, fora a dor psicológica de um adolescente que sente inferiorizado pela sociedade. A única coisa que me deixou feliz nisso tudo, é que dentro da instituição que freqüenta e estuda, há uma garota, que se diz namorada dele, e o ama, da forma como ele é. Ambos com limitações, mas muito mais dignos que qualquer ser intelectualmente capaz...diga-se médicos.
Outro momento, foi quando ouvi de uma amiga uma critica feita por sua cunhada, também “médica”, sobre casais homossexuais que dividem uma casa, vivem juntos e constroem uma vida a dois, como qualquer casal normal, com filhos, cachorro, e todos os problemas que envolvem o cotidiano de uma família.
Sobre crianças adotadas por casais gays, ela disse: Se meu filho tiver um amiguinho que é filho de dois homens, jamais deixarei que ele freqüente a casa deles. Não sei o que podem fazer com meu filho sozinho lá dentro.
Ok tia...deixa seu filho viver a vida dele, absorto do que acontece no mundo. No futuro você vai entender o mal que fez para ele. Não desejo que a criança tenha tendências homossexuais, por que isso não é algo que se deseje, não é uma doença que você simplesmente pragueja sobre outra pessoa. O fato de duas pessoas do mesmo sexo adotarem um filho, é muito mais digno do que casais heteros que os tem para criá-los arraigados a preconceitos, visões deturpadas sobre a sociedade. Tenho pena desse menino, por viver uma vida sobre os cuidados e a educação de uma mãe como essa.
Pra terminar, lembrei de outra cena que vi. Essa foi na casa da minha irmã. Minha sobrinha brincava com suas bonecas e bonecos, e sentei ao seu lado. Num canto tinham dois bonecos sentados ( versão masculina da Barbie, que nunca sei o nome), ambos carregavam umas bonequinhas no colo, uma parecida com as barbies e outra antiga, que era da minha irmã, chamada fofolete. Quando a inquiri sobre os dois estarem com essas pequenas bonecas no colo, ela respondeu:
- ah, esse aqui ta tomando conta da filha enquanto a mulher trabalha, e esse outro adotou a bonequinha que estava abandonada. Ninguém a queria, por que ela é diferente, e a roupa dela ta suja.
Minha sobrinha tem 6 anos.

Abraço a todos...e boa semana.

2 comentários:

HSLO disse...

O seu blog é ótimo Rafael..super interessante e importante para todos nós.
Gostei da história de filhos criados por gays. É puro preconceito de quem fala que as crianças possam ser mal cuidadas ou molestadas...é existem pessoas que infelizmente falam isso.
Eu sou gay...e penso sim em estruturar uma familía, adotar duas crianças...e da a melhor educação do mundo...até por que sou educador.

Gostei muito do seu post.


abraços

Hugo

Renato Fierce disse...

Nooossa, sua sobrinha está mto antenada (ou inserida) na realidade social de hoje rsrs, muito inteligente, o que comprova que terá mais maturidade para lidar com o fato de casamentos gays que sua amiga. É tudo uma questão de abrir os olhos, mas algumas pessoas preferem viver ainda em mundos que não existem, sob óticas decadentes há tempos.

Gosto daqui, creio que atinge sua meta, é um espaço com objetivo e alinhado as definições de um Blog, é um lugar muito bom, realmente diferenciado, então continue assim, usando como forma de protesto caso esteja em espírito de protesto, nisso concordo com vc.

Particularmente eu prefiro Blogs assim, mais parecidos com os seres humanos, um dia protestando, outros amando, outros indiferentes... soa mais natural que um Blog temático (caso não seja um serviço prestado ou trabalho).

Abraçoo!