Ser ou não Ser


Há alguns dias que estou para postar algo sobre esse tema. Em conversa recente com “Mike”, do blog Mike 4th Season, discutimos a respeito dos motivos que levam alguém a setir inveja de outros.

O dicionário Aurélio diz: “Desgosto ou pesar pelo bem ou pela felicidade de outrem. Desejo violento de possuir o bem alheio.”

“ Inveja é o desejo por atributos, posses, status, habilidades de outra pessoa gerando um sentimento tão grande de egocentrismo que renegue as virtudes alheias, somente acentuando os defeitos. Não é necessariamente associada à um objeto: sua característica mais típica é a comparação desfavorável do status de uma pessoa em relação à outra.”


O sentimento da inveja é torpe e dificilmente é eliminado da alma humana. No meu entender a pessoa invejosa não se torna assim durante a vida, ela nasce. Prova disso, é que numa família de 5 irmãos, por exemplo, todos criados da mesma forma, com as mesmas posses, entre eles haverá um ou mais que sentirá ciúme por algum motivo, algo que é muito confundido com inveja. Muitas vezes entre amigos e irmãos há esse sentimento de inferioridade. Achar que os pais dão atenção maior a outro irmão ou coisas do gênero, mas observando esse individuo em sua vida social, perceberá que na verdade ele sente inveja dos demais. É aquela pessoa maldosa, que fala mal de todos, que regozija-se com a desgraça alheia.


“ A inveja é assim tão magra e pálida porque morde e não come.”


Há pessoas que se colocam como cães de guarda, sempre alertas ao menor ruído. Basta alguém se destacar em alguma área, por mais ínfima que seja e lá estará o invejoso, pronto para apontar o dedo e tentar minimizar o feito de seu próximo. Uma roupa diferente, um calçado da moda ou mesmo um brinco ou pulseira bem colocados, já torna-se motivo para elogios, nem sempre sinceros. As mulheres, que me perdoem as mulheres, elas são pródigas nesse tipo de expediente.


“ Há poucos homens capazes de prestar homenagem ao sucesso de um amigo, sem qualquer inveja.”

Ninguém está livre de sentir inveja em determinado momento da vida, ou situação. Mas o problema é saber lidar com isso. O invejoso sofre. Ele rumina e se destrói em mirabolantes planos para aniquilar o seu alvo de inveja. Há casos de pessoas casadas, onde a competitividade entre os cônjuges existe por inveja de um deles. Maridos que não se conformam com o sucesso profissional da esposa, e vice-versa.

“ Não grite sua felicidade, a inveja tem sono leve.”

Sejamos honestos conosco e analisemos o quanto o brilho do amigo nos ofusca. Melhores amigos também podem sentir inveja, e assim tentar com certa artimanha desmistificar o sucesso do outro. Palavras, gestos, citações a um amigo que desponta, muitas vezes pode bloquear um futuro promissor. Somos todos inseguros, dentro do nosso mundo. Ninguém é 100% convicto das verdades, a dúvida ataca a todo momento, o que nos difere é a coragem de investir e dominar os medos. O invejoso muitas vezes vive a sombra de alguém, sobrevivendo das migalhas que sobram do sucesso alheio.

Há exemplos históricos da inveja e do poder de destruição dela. Caim matou Abel por inveja, Salieri destruí Mozart por não aceitar que um jovem fosse mais talentoso que ele. Em “ O Primo Basílio”, Juliana (empregada), subjugada por uma situação de vida medíocre, solteirona, bastarda, pobre e feia, ao descobrir uma fraqueza da patroa que odeia, por ser o símbolo de tudo o que desejava, a martiriza, quase a morte. Sentimentos esses muito atuais, e visto em qualquer circulo social.

Não existe essa tão falada “inveja branca”. Inveja é inveja. O que difere do sentimento destrutivo, é a sua capacidade de não absorver isso no ponto de virar uma doença. Já desejamos o carro do amigo, a namorada (o), jóias ou sucesso profissional. Mas se transformarmos isso em alguma coisa doentia, desculpe, mas não é ciúme, e muito menos inveja branca....é inveja, no sentido do pecado capital.


Pensemos e analisemos isso.

5 comentários:

BRUNO LEONARDO disse...

Jamail
Adorei seu post e os pensamrtos sobre a inveja,que para mim é o pior dos sentimentos.
" Não grite sua felicidade, a inveja tem sono leve.” ,é ótimo!

Estou visitando todos os meus amigos que me deram Força nestas horas tristes que tenho passado e deixei uma mensagem a todos no meu Blog.
FELIZ NATAL!
MIL BEIJOS!

Mike disse...

Na relação entre dois amigos tenho a seguinte filosofia:

Ao mesmo tempo que você inveja o sucesso do seu amigo (e todo mundo sente inveja desse tipo, não adianta fugir), você pode sentir felicidade por ele. O que determina se você pode ser caracterizado como invejoso ou não é a proporção entre essas duas coisas.

Se você consegue sentir-se feliz e comemorar honestamente o sucesso alheio, apesar daquela vontadezinha que bate momentâneamente de que tudo aquilo estivesse ocorrendo com você, parabéns, você não é invejoso. Além disso, pessoas não invejosas esquecem logo esse sentimento, passado alguns dias da conquista do outro.

Agora, se já passaram meses e você ainda está se remoendo, achando injusto a conquista do outro e, mesmo com inconscientemente, desejando que ele caia... você tem que se preocupar. E ficar bem longe de mim.

Ricardo disse...

Meninoooo! Gostei muuuuito dessa última foto! Ela me remeteu a uma abertura de novela que eu não perdia!!! hauhauahuaha! Eu não lembro direito o nome dela... mas o refrão da música era "pelado, pelado, nu com a mão no bolso"
HAauahauhauahauhauahuahauahau1

Bom, eu li um livro sobre inveja e nele o autor traça uma diferença interessante entre ciúme, cobiça e inveja! Nunca me esqueci! O livro é da séria Pecados Capitais.

Ciúme é o sentimento de posso sobre algo que se tem.

Cobiça é querer o que o outro tem!

Inveja é não querer que o outro tenha!

inclusive ele conta, no livro, a história de um judeu e um árabe, perdidos no deserto. De repente aparece um anjo e diz que vai deixar um deles fazer um pedido, mas que o outro que não pedir, vai receber o dobro do que o primeiro receber.

Depois de muito pensarem, o judeu decide pedir.
"Me fure um olho."

Essa coisa de morder e não comer me lembrou essas coisas!!!

Saudades de vc!!!

Beijão!

Gustavo disse...

Meu que post foi esse?
Entrei em conflito comigo mesmo agora...

Mas sei lá inveja é uma coisa que poucas vezes vem na minha mente, pelo menos de minha parte, agora das pessoas não sei como funciona elas perante a mim.

Mas sei lá eu sou tão "bobinho" que acabo deixando tudo passar despercebido, sei lá, sempre encorajo as pessoas aih nem fico pensando "mas como asssim ele(a) tem e eu não", não estou dizendo que nunca invejei alguém, mas hoje em dia eu cago e ando rsrs

Dorei mesmo o post, quer dizer, adoro todos seus posts, me fazem ficar pensando, pensand, pensando...

Vou passar a ler seu blog com um mantra ou Enya tocando no pc, sei lá, para relaxar a cabeça e deixar as suas ideias e palavras irem fluindo na minha mente , serio mesmo.

Bjunda

Alberto Pereira Jr. disse...

de tudo oq vc falou só não concordei com o início do post.. acho que inveja é uma coisa e ciúmes é outra... é claro que existe muita confusão sobre esses dois sentimentos, mas os considero distintos..