Jingle bell, Jingle bell, acabou o papel.....



Dia tipicamente abafado, céu com nuvens carregadas, muita umidade no ar e milhões de pessoas em volta. Esse foi o domingo “maravilhoso” que passei na 25 de março em SP.
Todas as grandes capitais contemplam o consumidor com feiras ou ruas de comércio informal, ou o chamado “lugar baratinho”. Sei que há uma feira de roupas em BH, o Saara no Rio e em São Paulo Rua José Paulino ( roupas), Brás ( roupas mais baratas) e rua 25 de março, centro das muambas chinesas e tudo o que se precisa para garantir um natal cheio de presentes.

Pra quem não conhece aquilo tudo é a visão do inferno. Asfalto imundo ( incrível como brasileiro é porco), pessoas se esbarrando na calçada, na rua e todos os cantos. Você divide o espaço com camelôs de meias, bijuterias, aparelhos de massagem, sutiãs que crescem o peito, maquinas de cortar cabelo, vendedores de água, côco, milho, e dezenas de moleques com uma maldita cornetinha que prendem na língua e imitam gato sendo espancado ou ficam gritando “mamãããããããeeeeeeee” sem parar. Em determinado momento quando se tenta atravessar a rua, você é barrado, por que alguém acabou de lançar um buscapé que rodopia no chão soltando uma nuvem de fumaça.
Ali você faz um natal por 50,00 e presenteia a família toda. Mas não é bem do comercio informal que a 25 de março é feita e vale a pena. Há shoppings, como todos sabem, comandados por chineses, onde corre solto o trafico de produtos eletrônicos que foram importados sem impostos. Lá sim é que se faz um bom natal. Compra-se bons perfumes, relógios da moda ( que ano que vem podem ser descartados), zilhões de “coisinhas” de mulher. Roupas, brinquedos, tênis, eletroeletrônico, cds, dvds, mp3, ipods...e mais mais mais mais mais mais.............ufa, tudo, ah e enfeites de natal.

O povo se entope de porcarias vendidas na rua. Come o que aparecer, e se protege quando os camelôs correm do “rapa”. Policiais municipais que insistem em acabar com a graça do povo. Muita criança tem um natal feliz, pelo presente que os pais conseguiram comprar na 25 de março e muitas outras com o dinheiro que o pai conseguiu vendendo suas bugigangas,

Um grande magazine vende produtos variados, do preservativo ao desentupidor de pia ( armarinhos Fernando). Lá compra-se tudo o que é necessário numa casa. Não entendo porque conseguem vender cuecas Zorba ( originais) pela metade do preço das lojas especializadas. É o mesmo produto, sem 1 milímetro de diferença. Para o um solteiro dono de casa, é o melhor lugar para fazer um chá de panela. Lá você descobre que na sua casa é preciso ter um espremedor de limão, abridor de latas, porta sabão e outras coisas, que na casa da mãe tem.


O bom que depois de andar muito, de suar todo o liquido que tem no corpo, pode-se comer uma ótima esfira de carne numa lanchonete libanesa ou caminhar um pouco mais e desfrutar das maravilhas do Mercado Municipal. Um oásis da arquitetura, da gastronomia.

São Paulo é terra de ninguém, é terra de todos nós. O maior contraste etnológico do país. Se alguém quer saber como se configura o povo brasileiro é só ir a capital paulista. O retrato do Brasil está ali, no povo, no modo de vida, na acolhida.

8 comentários:

Mike disse...

ADOOORO SÃO PAULO!

A 25 de Março é um caso a parte. Só vou lá quando é extremamente necessário e é incrível como encontramos de tudo! Não é só utensílios domésticos, eletroeletrônicos e presentes... para você ter uma idéia, eu recorro à 25 de Março quando tenho alguma apresentação de trabalho para fazer e preciso ambientar a sala, dar brindes ou mesmo MONTAR um produto novo, um mock up, para tangibilizar uma idéia. Tem tudo lá.

Sobre a Dona Perez... conforme fui lendo fui ficando emocionado. Minhas duas avós morreram, uma delas em estado avançado de Alzheimer. Na nossa família sempre se viu os mais velhos com idolatria, matriarcas e patriarcas, então nunca teve ping e pong na casa dos filhos. Minha avó materna continuou morando na casa dela e os filhos revezavam quem ia ficar com ela lá. Eu mesmo dormia numa cama de mãos dadas com ela quando era pequeno. Minha avó paterna também continuou na própria casa, só que minhas tias se mudaram para lá. Estavam com ela no momento que ela deu o último suspiro, estavam abraçadas com ela, morreu no ombro da minha tia.

Sei lá, no fim das contas a Dona Perez mostra que não é uma planta e que entende do mundo a sua volta. A atitude dela é a maior prova de que essas pessoas são PESSOAS. E mais do que isso, um dia limparam nossa bunda e trocaram nossa fralda e agora é a nossa vez de fazer por elas algo que não chega a ser 1% do que fizeram pela gente: nos transformaram em quem somos.

Beijos querido!

PH disse...

Ninguém tinha me falado da 25 de março assim, não conheço e nunca tve curiosidade. Agora fiquei curisoso, tem muito mais do que as pulceirinhas e os relógios que todos estão usando aqui em ctba, abraço.

FOXX disse...

aqui em natal temos o Alecrim...

=]

sidnei disse...

Definitivamente vc é um homem de coragem... 25 de Março a 15 dias do Natal é quase um suicídiooooo!!! Ah tá... cheguei aqui clicando ali, acolá... vc sabe como isso funciona...!!!
http://noitepassada.zip.net

Marcos disse...

O que eu gosto da 25.... é saber que lá sempre tem uma novidade, agora o que eu detesto é de como os chineses e coreanos são mal educados e sujos. Detesto ter que pechinchar... então se tivesse uma loja com os preços expostos, venderia bem mais do que os outros.... abçs Má

FOXX disse...

fui sim
saara
uruguaiana
centro...

tudim...

Canse de Tentar Ser Sexy disse...

Oi Rafael,

Visito sempre seu blog e gosto muito dele. Se puder passa no meu, acabei de abri-lo. Seria muito bom saber sua opinião.

Um abração,

Léo

Gustavo disse...

Não sei porque mas adoro andar na 25 de março.

Desde pirralho eu vou para lá, Mama acordavar eu e meu Brother bem cedo e iamos nós 3 para lá comprar jogo de videogame, coisas de escola, um bando de bugiganga que eu achava legal e implorava para ganhar hahaahah

Mas que é uma muvuca aquele lugar isso é certeza, mas como dito antes, ADOROOOOO!!!

E o mercadão então sem comentarios, virou moda em casa todo final de ano sair para comprar as coisas da ceia de natal no mercadão e almoçar o pão com Mortandélá hahahahha. Muito baum isso!!!

E isso ae é São Paulo genten, se joga, põe rosa e segura a piruca porque se deixar assaltam vc só para roubarem a piruca rsrs

Bjunda