COMPLEXO DE APOLO ?

O que é um padrão de beleza?

Gostaria que me respondessem isso. Porque há determinados “tipos” que são considerados perfeitos?

Sei que na antiguidade grega cultuava-se a beleza como forma de divindade e de lá pra cá transformaram esses dogmas num estilo irrefutável do que deve ser “belo”. Até aí, tudo bem, mas quem define o que é bonito ou não, se beleza é algo subjetivo.

Os jovens de hoje, mais do que libertos, estão buscando um ideal que na minha época de adolescente não fazia diferença alguma, pra dizer a verdade, nem me dava conta que existia, a chamada “cultura do corpo”.

Vejo meninos de 12, 13 anos em academias, exercitando seus corpos ainda em formação. Vai-se mais cedo pra a esteira, para os aparelhos de musculação. Acho saudável a atividade física. Mas acredito que um esporte coletivo seria muito mais adequado do que o solitário dia a dia de um menino com seu i-pod numa academia repleta de marombados, com 0% de gordura. Cria-se na mente desse jovem com personalidade em formação que aquilo é o certo. Não tenho nada contra corpos definidos, visto que também freqüento academia. Mas o que está em questão é a mente desses jovens, e o que se passa nela.

O que percebo são jovens, de ambos os sexos, perdendo boa parte de sua adolescência com preocupações estéticas inúteis. Querem ser adultos mais cedo, tudo bem, por que sempre foi assim, mas o que me espanta é essa dependência do chamado “corpo perfeito”.

A segregação entre jovens aumenta a cada dia. Os grupinhos dos meninos sarados não dão espaço aquele amigo de infância que cresceu gordinho. Os mais tímidos continuam se isolando e o que vemos são arroubos de violência, tanto no Brasil, como fora daqui.

Os “fortinhos” se vêem no direito de espancar o magricelinho, os Pit boys se acham acima da justiça e batem em prostitutas na rua. Sei que esse assunto é batido, mas não deveria ser esquecido.

Há um lado sombrio entre os garotos das gerações de hoje e que tende a piorar amanhã. O culto da beleza está matando, uma vez pela discriminação, outra pela anorexia nervosa. Meninos estão se deixando acometer por essa terrível doença psíquica. Sabe-se que em São Paulo morrem mais jovens na faixa dos 15 aos 24 anos por violência urbana, mas não se fala de jovens internados, esquálidos, que se negam a aceitar que precisam de ajuda.

Famílias, pais e mães vêem seus filhos inseridos na sociedade, mas não os enxergam. Esse circulo vicioso de mães chorosas nos noticiários se descabelando por que o filho foi assassinado sem razão alguma é sinal que tudo está errado, e não se faz nada pra mudar. Pais deveriam “olhar” mais para filhos, tentar equilibrar a liberdade. É difícil segurar um jovem dentro de casa, mas é fácil manter um diálogo, e enxergar pelos olhos deles. Saber como deve se comportar um idoso não sabemos, ainda não chegamos lá, mas saber como conduzir um jovem deveria ser fácil, por que todos um dia fomos, é só puxar pela memória.

7 comentários:

Ricardo disse...

Oi, meu lindo!

Realmente essa cultura ao corpo é algo que deve preocupar mesmo, tanto aos pais quanto aos educadores!

Se preocupa muito hoje em dia em passar conhecimento, mas não se liga mais para os valores.

Vivemos uma era de descaso... o que é um apena...

Beijão, querido!

PS: Se me disser que os caras da foto são o mesmo, vou surtar!!

:O

Trintinha disse...

Gatoooo! blz? Vc acertou em cheio neste post!
Adorei o que escreveu, vc foi certinho! Beijos!

BHY disse...

Tempos hedonistas ao extremo. É sempre bom não deixar de prestar atenção nos jovens, nas famílias. Lembro do Tom Zé comentando uma pesquisa feita entre jovens, que assumiram não ligar pra questão alguma, a não ser o culto ao corpo e adquirir status. Uma lástima.
;-)

Anderson Kbção ® disse...

é meu querido... eu vejo isso diariamente na academia que frequento...
sabe que, eu prefiro o horario da manha pra ir na academia, as vezes as 6:30, as vezes as 7, ams tem vezes que vou as 19 hs e tem um menino que deve ter no maximo 15 anos, que "puxa ferro" feito um louco e certa vez perguntei o porque daquilo e a resposta foi que ele quer ter o corpo mais bonito dos meninos da sala....
da pra acreditar??? sim, eu sei que da...
foi bem o que o Ricardo disse "Se preocupa muito hoje em dia em passar conhecimento, mas não se liga mais para os valores."... é a mais pura verdade...
Bom, me auto defendo, vou na academia pelo menos 3 vezes por semana, mas é mais pra uma "manutenção" que pra ficar saradérrimo!
Agradeço imensamente pelo comentario Rafael... fiquei bastante lisonjeado :D
mas sabe, comecei o blog pensando em dividir apenas com um site, uma pagina o que eu sentia, ai foram chegando pessoas e mais pessoas e hj, faço alem de por mim, por vcs que curtem minha historia e acompanham de forma que sequer tem como agradecer...
um grande abraço e ótimo fim de semana!
ah, minha avó nao ta muito legal nao... cheguei ha pouco, cancelei o fim de semana na chacara... ela teve o segundo derrame dela, na verdade, dessa vez foi um inicio, mas ja deixa muito preocupado... mas, é isso ai, o ciclo da vida se concretiza cada dia mais e mais e pra todos, como é de se esperar mas, jamais de se aceitar...
té mais meu querido!

Mirko Heineken disse...

O Corpo está ganhando da Mente, o que é um absurdo! Todos sabemos que ter um corpo legal é bacana, porém e o resto? Aquela idéia, aquela conversa bacana? Mais cedo os conceitos estão mudando, geração esquisita. rs

Alberto Pereira Jr. disse...

concordo com vc sobre a exarcerbação das preocupações estéticas em relação ao corpo, principalmente nos muito jovens.. acho o cúmulo permitirem crianças de menos de 18 anos frequentarem a musculação.. postura que pode atrapalhar o desenvolvimento físico, ao invés de melhorá-lo...

não se pensa nem um pouco na saúde, e a busca por resultados rápidos pode ser um caminho sem volta...

existe algo muito errado em nossa sociedade que mais do que nunca usa o físico e o subjetivo conceito de beleza para forjar relações...

Guilherme.Silva disse...

O conceito de beleza da galera, decididamente, não inclui elegância nem naturalidade.
É muita gente manipulando o próprio rosto (e corpo) e se caricaturando sem autopiedade. São os tempos modernos.
Ou, das cavernas.