AHHHH OS VIZINHOS!!!

Vizinhos...o que seriamos sem vizinhos? Posso responder? 

- Seriamos mais felizes....rs rs rs. 

Ainda não atingi o patamar social/econômico de morar num prédio que o elevador sai direto na minha sala, por enquanto ainda divido o hall com outros 3 apartamentos, consequentemente com outras 3 pessoas, ou 3 famílias, ou 3 desajustados. Rs rs rs. 

Desde que me mudei para o prédio onde moro, diga-se passagem está bem localizado, a 4 minutos do trabalho, o que me possibilita um cochilo diário após o almoço que revigora toda a tarde, tive vários vizinhos. 

Quando a gente vai morar num lugar onde já existem pessoas estabelecidas respeitamos o povo e ficamos sempre sorridentes para quem cruza contigo no elevador. Mas digamos que não tive assim muitos motivos para mostrar a canjica branquinha em largos sorrisos... 


O hall do meu apartamento divide-se em: dois apartamentos de um lado, dois do outro, dois elevadores no meio e uma escada de emergência de fronte pra eles. Então divido toda uma parede de sala e quarto com o vizinho do lado. Quando me mudei havia um casal morando já. Tinham cara de casadinhos de novo, sabe aquele que espera seu apartamento comprado ficar pronto, e mora ali por que não aguentou esperar? Então eram esses. Nunca cumprimentavam mesmo se cruzássemos no elevador. A moça era morena, e o cara um gordinho de óculos com cara de programador de vídeo game. Não fazia diferença alguma, se a noite, ou de madrugada, a vaca não gritasse, urrasse, gemesse, nos infinitos coitos que tinham. No inicio achava engraçado, depois aquilo foi irritando ao ponto de quase pedir pra ela se controlar. O pior era ter que aguentar ele dizer: chacoalha, chacoalha. Bem, como não assistia as cenas de acasalamento, não consigo imaginar o porquê desses comentários. Enfim, mudaram-se após receber uma chamada do sindico. Não era apenas eu que estava incomodado. No lugar deles mudou-se uma medica que está até hoje. Parece um zumbi. Às vezes a vejo chegando altas horas da madrugada em silencio. Parece um balão de gás que perdeu um pouco o efeito e perambula pelo ambiente sem fazer barulho. Menos mal! 


No outro extremo morava um menino de Araçatuba. Um mestiço japonês, marombado, universitário que tinha uma namoradinha EMO. Aí o caso nem era se eles copulavam de forma estridente e sim as eternas brigas, onde ele abria a porta, jogava a guria pra fora e atirava os pertences dela. Isso aconteceu dezenas de vezes até ele ser preso por trafico de entorpecentes na faculdade. Ele traficava com os amigos. Deu pena dos pais quando vieram buscar os pertences dele. Gente de grana, pai advogado, bem sucedido. Dó mesmo! Nesse apartamento mudou-se uma lesbica casada que fez inseminação artificial com a companheira e tiveram um bebê lindo. Foram embora quando a menininha já dava os primeiros passos e acharam que uma casa seria melhor. Bons vizinhos. Agora há um casal gigante, digo eles devem ter próximo de 2.00 m cada um. Fumam maconha a qualquer hora do dia. Às vezes deixa a gente doido só de esperar o elevador. Não incomodam, mas se tocarem bob Marley eu piro. 


Ao lado deles quando mudei havia um homem, que nunca vi a cara. Certo dia chego e vejo um rabecão levando seu corpo. O cara morreu e nunca soube se era branco, negro, amarelo ou azul. Depois de um longo período fechado mudou-se uma professora horrorosa. Uma menina tão feia que dava dó. Muitas vezes a escutei chorando alto. Nem falo muito dela por que corta o coração. Saiu do apto por não conseguir pagar o aluguel. Aí veio uma velhinha surda que gritava no telefone e pintava quadros. Achava um ótimo passatempo para uma senhora de avançada idade que morava sozinha. Mas pintava mal. Pensa um quadro feio, a veia superava. Caiu, e os filhos a levaram embora. Por ultimo, desde janeiro esta uma universitária com nome de garota de programa. Uma gordinha branquela que se acha sexy. Mora com um amiguinho gay, e todos os dias se despede do namorado por longo tempo segurando a porta do elevador. Ela se acha tão sexy, que algumas vezes a vi apenas de blusinha curta e calcinha no hall. Se fosse uma gatona, beleza, mas o tanto de borda de catupiry e pernil de leitão que aquela menina tem o mínimo era sair de roupão no hall. 

Sou um vizinho ótimo, não coloco musica alta, não bato porta nem faço escândalos sexuais no apartamento...rs rs rs. Me adotem como vizinho...ok! Sou praticamento um Flanders. 


Boa sexta e ótimo fim de semana a todos. 

9 comentários:

Albuq disse...

Rafael nunca tinha parado prá pensar nos meus vizinhos, mas te lendo fui perceber o quanto de gente estranha tem no meu prédio. A diferença é que no meu os vizinhos não se mudam com frequência, as pessoas moram há dez anos + ou -, porém tem algumas loucuras. Não posso reclamar, não considero minha família normal e muito menos silenciosa. kkkkkk

bjs

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

odeio vizinhos! #fato

acho q só aceitaria e gostaria de ter como tal um tal de Fael Leoni ... rs

RAFAEL disse...

kkkkkkkk...opa, fico lisonjeado Paulo...rs

Cesinha disse...

Peraí... mas você não mora em um prédio... isso é um estúdio de cinema! E só tem filme de terror (kkkkkk). Eu moro num bairro em Sampa, famoso pela quantidade de aposentados por m2. No meu andar, os outros 3 apartamentos são de casais de aposentados. Um sossego atroz! Barulho? Só da minha respiração... gosta assim?

Beijos.

Margot disse...

Moro numa casa Rafa, e ao lado tem dois apartamentos bem no meu nível. Participo "por tabela" tanto das brigas quanto das festas. Terrível! De frente tenho vizinhos que gostam de sertanejo e forró, bem alto, no carro e na rua.
Quero ir pro prédio do César...rsrrs. Será que ele aluga quartos?

Rafa, gracias pelo comentário no blog do Fred. Como você,também tenho dificuldade para fazer a fila andar. Rsrs...
Abraços

J. M. disse...

Considero-me também um ótimo vizinho. Mas tem um diabo de um cachorro do vizinho do AP de cima, que me enlouquece literalmente. Vivo tendo sonhos maquiavélicos, onde me livro deste bendito. Mas enfim, você é o vizinho que todos pediram a Deus.

Cores da Crise de meia idade! disse...

Gosto do Ned!
Acho que um howdy, neighbour faz uma diferença lascada na qualidade de vida do prédio!
Pena que tá cheio de Homer pra atormentar!
Homer sem Marge , sem Maggie, sem Lisa......com boa sorte é Homer sem o Bart, mas pelo visto tá difícil!
Bjs

Edilson Cravo disse...

Rafael:

Morava num prédio antigo no Rio em Botafogo e quando era criança eu e meus primos aprontávamos dentro do apê. Teve um vizinho do andar de baixo que foi até meu apê pra bater boca com minha vó. Ele disse: "Mande seus netos pararem de pular na sala porque está balançando meu lustre, eles parecem uns bois". Minha vó no auge de sua sabedoria disse: "tudo bem seu Anisio, me lembrarei disso quando seus netos também estiverem na tua casa"...o que ele respondeu??? "Olha aqui a senhora vá pra PUTA QUE PARIU", a minha vó no auge de sua sabedoria retrucou: "Vá o senhor também e leve sua mulher aquela velha chata e mal humorada"...kkkkkkkkkkk. Precisava compartilhar com vc esta história.

Abraços, lindo fim de semana. Adorei a postagem.

railer disse...

nisso eu tenho sorte, sempre tive bons vizinhos.