O PODER DE UM SORRISO

Ontem assisti um filme lançado em 2011 o qual não vi passando em cinema, nem sendo anunciado. Chama-se “Inquietos” – Restless no original e tem a seguinte sinopse: 

Doente em fase terminal, Annabel (Mia Wasikowska) se apaixona por um garoto (Henry Hopper) que tem uma mania estranha: gosta de frequentar funerais. Juntos, eles têm encontros sobrenaturais com o fantasma de um piloto kamikaze da Segunda Guerra Mundial. 

Clichês, adolescentes + primeiro amor + perdas. Enredo repetido à exaustão para arrancar lagrimas dos espectadores. Mas neste caso, a atriz Mia Wasikowska, nos surpreende com uma aura tão linda, tão cheia de paz que torna a história leve, e aquela morbidez típica de filmes assim, se esvai em seus sorrisos constantes. 

Isso me impressionou demais, por que mesmo doente, e condenada, a personagem Annabel sorria, sempre, a cada momento que encontrava alguém, nas mais diversas situações. Num determinado momento, acamada no hospital, ao ver seu amor ela abre um sorriso tão sincero e cativante que me fez pensar no poder que há por trás de um sorriso. 

Sorriem aqueles que a vida machuca, exige, maltrata. Pessoas que passam por dificuldades, doenças sabem o significado de cada minuto de vida, e compartilham com o mundo a vontade de viver. Os sãos choramingam, e maldizem tudo a sua volta. 

Não há entre nós aquele que diga: nunca sofri! Como também não há aquele que é feliz o tempo todo. Alias felicidade demais numa pessoa suscita falsidade. Estar bem não necessariamente é querer gritar pra todo mundo que a vida lhe presenteia. Acordar pela manhã, olhar-se no espelho e perceber o quanto perfeito é, deveria ser um exercício diário, e assim que se ver, simplesmente sorrir. O sorriso é o espelho da alma. O coração pode estar chorando, mas a face não precisa demonstrar, por que piedade alheia nos afunda, não nos salva, como se prega por aí. 

Adoro os sorrisos, de criança, de velhos, de pessoas leves. Sorrir é necessário, é uma troca. Se alguém lhe recebe com um largo sorriso de satisfação não há como permanecer ileso e não retribuir. Assim se constroem amizades, relacionamentos sinceros. 

Podemos entrar em uma dezena de lojas, e sermos atendidos pela mesma dezena de vendedores. Garanto que aquele(a) que te receber com um sorriso o manterá no estabelecimento, e provavelmente efetuará a venda. Mas não pode ser aquele sorriso forçado, apenas pra engrupir o cliente. Tem que ser aquele sorriso de alma, que pessoa carrega dentro de si a vida toda. Treinar sorrisos é pior do que manter a cara sisuda. 

Sorriam, por que não há nada melhor para o mundo do que uma pessoa leve. 

Boa quarta a todos.

3 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Gente! Amiguinho em #faseadolescente2? rs ...

bjão

Dama de Cinzas disse...

Eu me considero uma pessoa mais triste do que alegre, mais realista do que otimista, quando estou eu comigo mesma. Mas quando me junto com outras pessoas normalmente sou daquelas que parecem bem felizes, sem excessos claro. Concordo contigo que pessoas felizes demais parece de mentira... rsrs.

Eu gosto de fazer os outros rirem e gosto que me façam rir. Acho que esses momentos é que fazem a diferença na nossa vida.

Beijocas

Katien09 Erin disse...

Piedade alheia nos afunda... sábias palavras.
Os seus textos são muito bem elaborados. Nos passa a sensação de que você é alguém autêntico, que não precisa ficar fazendo média e simplesmente diz o que tem que ser dito.
Paz e bem a você!