MINHA RELAÇÃO COM A FAMA...

Hoje li a coluna do jornalista Joaquim Ferreira dos Santos no GLOBO sobre o dia que ele conheceu algumas celebridades e me deu vontade de falar o mesmo, não plagiando sua escrita, mas trazendo a memória o dia que também conheci alguns famosos.

Não sei datar quando e nem terei ordem cronológica para citar meus encontros casuais  com algumas pessoas da mídia...rs.

faz a tatoo e nasce um olho de peixe na cara do seu idolo


No inicio da década de 90 estávamos em São Paulo, num transito miserável acompanhando meu pai que se internaria para uma cirurgia de safena na Beneficência Portuguesa. O clima era tenso. Quando paramos num congestionamento horrível achávamos que o dia havia acabado, por que aquilo não andava. Olhando para o carro do lado vimos um conhecido da mídia, Jorge Lafont ( ainda não era Vera Verão), apenas um negro alto, engraçado, ator de novela que havia desfilado nu num carro alegórico. Minha mãe abriu o vidro e começou a papear com ele, que foi de uma educação de Lorde. Rimos, alias gargalhamos com ele no meio do transito caótico de São Paulo. Amenizou e muito o momento trágico que passávamos.

a Xuxa deve odiar os fãs que a tatuam...rs rs rs

Estava sentado trabalhando normalmente como fazia todos os dias naquele laboratório de informática que desenhava a cenografia de um filme brasileiro prestes a entrar em produção. Estava encarregado do cenário onde gravariam um vídeo clipe e aquilo me deixava doido, por que ao mesmo tempo em que adorava o que estava fazendo, detestava dedicar horas e horas a algo que não sabíamos se realmente seria usado. Senti uma mão no ombro e olhei pra cima. Era Junior que espiava o meu trabalho. Do outro lado Sandy, com um perfume delicioso, que se duvidar ainda posso sentir. Os dois em pé, cada um de um lado eram da mesma estatura de mim sentado.

Estava na coxia de um teatro enorme daqui de Campinas, olhando os camarins, e ouvi um senhor que andava com certa dificuldade perguntar se precisava de algo, de alguma informação. Era Paulo Autran que chegava naquele exato momento para se preparar para peça que exibiria dentro de algumas horas. Simpático, amável, conversou por uns instantes e sumiu dentro daquele cômodo, mas antes desejou um bom espetáculo e pediu, caso não gostasse, que dissesse depois pra ele. Uma ousadia que jamais teria coragem de fazer, até por que o espetáculo foi excelente.
a Britney também

Andava pela areia de Ipanema fazendo caminhada com uma amiga, quando ela para do nada e diz a uma moça deitada se bronzeando de bruços: Meu amigo aqui é teu fã viu. Monique Evans levanta-se parcialmente segurando seu topless, e diz naquele carioca arrastadíssimo dela: Obrigada. Vocês não são do Riooooooooo? Eu nem disse nada, fiquei apenas olhando...rs.

Eu não peço autografo, não fico tietando famosos, por que acho isso ridículo. Encontrei outros tantos por aí. Já quase fui atropelado pelo Victor Fasano que corria na orla do Rio, já trombei com a Zezé Barbosa sem perceber que era ela no teatro. Sentei para um papo de horas com um dos maiores cenógrafos do Brasil, Gianni Ratto ( já falecido pobrezinho).Já recebi uma flor de Eva Wilma num espetáculo aqui em Campinas que estava acompanhado da minha mãe. Fui convidado pelo próprio Ney Matogrosso pra assistir seu show junto com amigos de faculdade, e algumas outras pessoas que não me recordo no momento, mas não  coleciono nada de ninguém e não tenho ídolos, apenas admiro e gosto de alguns artistas num grau maior do que as batatas do The Fifties...rs rs rs.

Alias, detesto subcelebridades, ou mesmo os famosos que se matam pra ficar na mídia. Nada como ser discreto, atencioso e amável.

Boa semana a todos. Abraços

3 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

vc não citou a mais importante de todas ... EUZINHO!!! E vc não teve nenhum constrangimento de tietar e me deu até um presente autografado ... kkkkkkkkkk

Dama de Cinzas disse...

Morando no Rio já vi muito artistas, nunca tietei, mas cheguei a falar com alguns assim normalmente. Recentemente puxei um papinho com a Juliana Alves, num samba que eu estava e ela também. O Jorge Lafont eu também conversei com ele, numa boate gay, láááá na minha época de gay, ainda num corpo de hominho... rsrs

Beijocas

Margot disse...

Se contar ponto para alguma coisa eu tô mal.... nunca vi ninguém famoso fora das telas de TV ou cinema.
Também não faz diferença para mim.... são pessoas comuns trabalhando..como nós mesmos.... famosos anônimos.
Beijão fael