A BURRICE EXISTE?


Às vezes me pergunto se existem pessoas burras, e concluo que sim, existem pessoas burras. É pejorativo chamar um individuo de burro, até por que coitadinho do animal o qual roubaram o nome de burro não tem nada, por que é o único que empaca quando vê perigo. Oras, por que se arriscar se é eminente o desastre.

Mas hoje tudo é proibido de se falar, criamos uma sociedade onde cada palavra dita tem que ser pensada. Talvez chamar alguém de  burro seja politicamente incorreto, então digamos que existem pessoas desprovida de inteligência. Assim fica melhor?

Mas que pessoas assim nos rodeiam isso é certeza. Como podem alguns ter uma mente tão pequena, tão retrograda, e mesmo explicando duramente os valores e as operações do dia-a-dia, elas não compreendem. Ah, mas é vitima de uma desigualdade social que impossibilitou de ter uma formação acadêmica e bla bla bla. Mentira!

A falta de estudo não gera burrice, isso vem da formação embrionária. Conheço pessoas que não tem estudos, e o que posso alegar é que elas têm ignorância em determinados assuntos. Ignorância nesse caso aplica-se ao fato de desconhecer o tema. Uma vez discutido, e explicado, essa pessoa da aula de capacidade intelectual. Portanto precisamos dividir bem o que é burrice do que é ignorância intelectual.

Vejo jovens alienados, totalmente a margem do que acontece a sua volta. Não interagir com o mundo é problemático. Não saber o que se passa no banco do lado no metro, no ônibus, no avião ou seja lá onde as pessoas ignóbeis circulam é o mesmo que criar uma geração de zumbis. É exatamente isso, briga-se pelo aborto ou não de anencefálos, e alguns pais não sabem que mesmo seus filhos tendo nascido perfeitos, a massa cinzenta deles é branca, ou seja, não há função ali. Esses crescem e fazem as cagadas homéricas que vemos por aí.

Um ótimo local pra se testar a burrice coletiva é o transito nas cidades grandes. É absurdo como os Detrans da vida dão habilitações a gente que mal consegue distinguir direita de esquerda. Vejo mulheres que dão seta para convergir a direita e viram para a esquerda, sem o mínimo de vergonha na cara e isso ainda é um pequeno exemplo. Não que mulheres sejam piores no transito, por que há homens vergonhosos ao volante, mas é o que me ocorre no momento.

Mas o que mais irrita são os burros metidos a intelectuais. Aqueles que ouvem algo que julgam ser importante e repetem como papagaios sem entender o conteúdo daquilo. Pseudo intelectuais que acabam em reality shows mostrando a bunda ou fazendo vídeos íntimos pra internet. Onde estão as pessoas com um bom português? Não se lê mais Iracema, Senhora, A Moreninha nos colégios? Aqueles textos repletos de vocábulos que ajudam qualquer ser humano a se comunicar de forma clara. Não sou um recrutador de RH, mas acredito que devam ver zumbis todos os dias, falando a língua do “véi” o tempo todo.

Não sou e nem quero bancar o intelectual, por que isso é chato. Admiro os Fernando Henriques da vida, pela capacidade de pensador, mas deixe eles lá, nos seus planos inatingíveis, mas também não quero conviver com pessoas que não conseguem pronunciar a letra “ L” e tudo vira chicrete na linguagem deles. Ser burro é uma condição que pode ser mudada, mas geralmente esses não acham que o são. Convivi muito tempo com alguém assim, só que toda a capacidade intelectual que poderia exercitar para  aprender, usava pro mal, fazendo fofocas, roubando dizimo de igreja, e fazendo os que o cercavam, infelizes.

Li um texto de Wagner Moura de 2008, criticando o programa Pânico, e mesmo gostando de parte do humor que fazem, concordar com o ele. Os artistas de lá, se fazem de burros, e assim atingem parte da população com seu humor agressivo, sua ingenuidade mascarada e a total falta de respeito pelo próximo, seja ele anônimo ou artista. Vide o caso do arroto na cara de Laura Cardoso, ainda um ato repudiado por 100% das pessoas que se lembram do fato.

A burrice é um perigo pra sociedade, por que delas se aproveitam os larápios, vendendo toalhinhas milagrosas, e outros artefatos que geram o fanatismo, e pra mim, fanatismo é o maior dos perigos, por que está associado a lavagem cerebral e depois disso, não preciso citar o que vem.

Abraço a todos e ótima quarta feira.

3 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Se eu tenho um preconceito forte e arraigado este é com a BURRICE e para com todos q a carregam em suas vidas ... muito triste e me irrita muito ... perco as estribeiras ...

Vinicius Valente disse...

Olá!!

Falou e disse! Eu acho que, hoje em dia, a burrice está tão corajosa e tem tantos adeptos, que está cada vez mais difícil de distinguir o burro, do ignorante, do hipócrita, do moralista e dos que não são nada, mas que vão na onda.

E é muito triste vivermos em uma sociedade assim, porque se analisarmos, apesar de estarmos em 2012, ano o qual, aparentemente, tudo está mais evoluído. Mas, não. As pessoas batem o pé, fazem questão de serem retrógradas e ainda acham isso bonito (e ainda param pra tirar foto).

Será que isso vai ter um fim? Isso daria assunto pra mais um post rs

Abração!!

AD disse...

eu li Iracema e Senhora. Moreninha, não.