POR QUE EU AMO O NATAL

Não preciso repetir pela enésima vez que adoro o natal e toa a aura que o envolve, mas ontem descobri que há uma parte desse sentimento que nasce quando ouço a vinheta de fim de ano da Globo.

Muita gente odeia a Rede Globo, chamando-a de manipuladora de ideias, de monopolizadora da opinião publica, mas temos que admitir que se assim o faz, o faz bem, por que não há nada mais emblemático para quem já passou dos 30 que ouvir a musica de fim de ano da Emissora.

Ontem vendo o Fantástico percebi  o quanto mexe comigo e me faz saudosista escutar o tema: “ Hoje é um novo dia, de um novo tempo, que começou...” e esse ano na voz de Roberto Carlos tudo ficou mais emocionante.

Revirando o baú do YOU TUBE achei um vídeo da emissora com a mensagem de natal de 1978. Era apenas uma criança, falante, mas ainda sem a percepção do mundo. Revi nesse vídeo personalidades mortas, que fizeram a cultura, a televisão o entretenimento do nosso país nesses 50 anos de TV. Dina Sfat, José Lewgoy, Zilka Salaberry e tantas outras pessoas que fazem falta na nossa telinha. Incrível ver a juventude estampada em cada artista, que desejava para as crianças do ano que se iniciava 1979 ( a mim também) que houvesse mais amor para o adulto do ano 2000.

O Natal começou ontem, ao ouvir pela primeira vez esse ano o tema da Globo.

Os vídeos que mencionei seguem abaixo.







Ótima semana a todos.

2 comentários:

Paulo Braccini - Bratz disse...

não curto mais nada relativo a festas de fim de ano ... acho tudo um saco ... mas não liga não ... isto é coisa de velho rabugento ... rs

bjão

Karina disse...

Eu também adoro o Natal e não vejo nenhum problema em gostar da música de final de ano da Globo. É o que você mencionou: independentemente das aspirações da Globo enquanto canal de comunicação, ela é muito competente no que faz. Mas acabou que com os vídeos postados você destacou, na verdade (para mim), o que costumo sentir no Natal: esperança por causa de Jesus e muita saudade dos queridos que já se foram ou que simplesmente não fazem mais parte da minha vida. Mas, diferentemente do que se pode esperar, não me sinto triste, apenas feliz por estar cercada dos que me querem bem... Bjs.