Então é Natal......

Desde que tenho consciência da vida que gosto do Natal. Apesar de que em muitos dezembros da infância, da adolescência, eu não tivesse muita razão para comemorar Natal. Não que a família estivesse desunida, ou com problemas financeiros, mas para outros motivos, que uma hora tento postar, não como página de um diário, mas talvez de uma forma engraçada, por que hoje, os dramas do passado, viraram piada.
Não me lembro de sentar e escrever cartas para papai Noel. Essa foi uma pratica totalmente excluída da minha infância. Como sou o caçula de três filhos, e com diferença grande para o mais velho e cruel dos irmãos...rs rs rs, muito cedo já fui informado que PAPAI NOEL NÃO EXISTE, IDIOTA, É O PAI QUE COMPRA OS BRINQUEDOS.
Uma desilusão que nem tem raízes, por que quando se é pequeno e inocente, essas frustrações acabam se desmanchando com o tempo. Mas o incrível que esse mesmo irmão que acabou com a minha ilusão a mantém nos seus filhos, que com 11 e 7 anos, esperam ansiosos a noite de natal, e um Papai Noel que deixa brinquedos sob a arvore, enquanto dormem. O mesmo acontece com o coelho da Páscoa, e a fadinha dos dentes...rs.
Mas pensando bem, não sei se é por que nunca acreditei, acho a imagem de papai Noel um tanto bizarra. Hoje é difícil encontrar um velhinho com cara simpática. O cabide de empregos que o Natal traz, acaba dando as crianças papais Noéis um tanto assustadores. Andar no centro da cidade nesse período e ver o velhinho pela rua, da pânico. Em cada esquina há um mais medonho que o outro.

A fantasia está aí para quem quer acreditar. Se a Xuxa vê duendes, Maria Bethânia conversa com Sereias, por que uma criança não pode acreditar num velho que mora DENTRO DA MONTANHA CHAMADA "KORVATUNTURI" AO NORTE DO CÍRCULO POLAR ÁRTICO, perto de Helsinque, na Finlândia , e na noite de natal ele sai com seu trenó voador puxado por renas (onde a chefe delas é gay...lembrem-se de Rudolf...a rena do nariz vermelho...bichinha...rs rs rs, explorada e vitima de preconceito), é um senhor obeso, por que deve passar o ano todo só comendo, escraviza gnomos, que são os que fabricam os brinquedos, não toma banho, não faz a barba, e em Dezembro atravessa o mundo jogando presentes pelas chaminés. O Brasil como é um país tropical e lareiras são dispensáveis, a criançada fica aí, tendo que mandar cartinhas pelo correio. Tá na hora de mudar esse personagem!!! Temos um presidente com perfil bem parecido com o bom velhinho. Quem sabe ano que vem quando ele não estiver mais em Brasília, podemos mandar cartas pedindo ao Papai Lula um carrinho de controle remoto, uma piscina de plástico e tantos outros sonhos que as crianças têm. Ele pode não morar na Finlândia, mas deve ter uma conta bancaria por lá, onde provavelmente os “companheiros” gnomos poderão sacar grandes quantias e comprar os presentes, ao invés de fabricá-los...row row row.


Abraços natalinos a todos.

5 comentários:

Mark disse...

Não posso dizer que amo o Natal, nem que odeio... mas pra mim é sagrado estar com a família nesse dia.

Semana que vem, viajo pro Sul para cumprir o dever familiar =)

Abraço!

Renato Fierce disse...

olá, eu simplesmente não curto o Natal de forma alguma, tem sempre alguem querendo unir a familia toda, é tanta falsidade, porque acaba o dia todos desaparecem de novo, sem contar que meu avô trabalha de papai noel em toooodo natal, eu sempre soube do que havia por tras disse então, chegava a noite e o papai noel chegava em casa com dor nas pernas pedindo sopa e chá, tirava o sapato com chulé e era rude com todos... enfim, parei de despejar minhas frustracoes natalinas rsrsrs... dizem também que nesta época do ano aumenta o índice de depressão justamente por essas unioes familiares, mas diminui os índices de suicídio, por que estão todos juntos, e ninguem se suicida em público. Bom, vou ter trabalho. Sem contar também que é documentado e foi provado o nascimento de Jesus em março, mas por algumas convenções foi decidido dezembro... enfim de novo, bom NATAL!

::M. disse...

O gente...
É sério que a montanha tem esse nome? Tô chock (na montanha, aliás). O nome do habitat por si só já daria uma certa paúra, enfim. Vai que ele mora junto com o grinch...
Sabe que eu nunca acreditei nele? Deveria, filha única, mamis e papis aaaall over, mas nunca... acho que sempre fui bem espertinha... rá!
Beijo, mo bem.

Maldito disse...

Poxam eu acreditava no bom velhinho, mas nao dava mesmo grau de importancia que dava aos vampiros, lobisomens e sacis, na minha infancia,..rsrs
foda sua escrita,..muito excelente

D. Martins disse...

hahahaha

ai ai ai, coisas de rafael!!

raxo de rir!
hahahahahahahah e como vc sabia do nome da montanha? Isso foi google ou vc acredita mesmo no Natal?..rs

beijão, meu querido!