DROPS DE TV, CINEMA E AFINS

Hoje vou falar de TV, cinema, teatro e música.

Esses dias dei uma conferida na programação de TV. Como fiquei por aqui no feriadão, acabei tendo oportunidade de dar uma sapeada e saber o que se passa no canal aberto, já que os seriados da TV paga terminaram suas temporadas.
Começando pelo irmão mais pobrinho do Big Brother e bem mais rico que Casa dos Artistas, o reality “A Fazenda” da Rede Record. Não precisa acompanhar muito pra pegar o fio da meada. Em dois ou três dias, já sei tudo o que aconteceu, já entendi a dinâmica do jogo, quem ta indo bem e quem ta mal. Ontem dançando com o controle remoto, peguei a eliminação da Babi Xavier. Puta nega chata!!! É notório que na escolha dos participantes prevaleceram aqueles que têm contrato na casa. O tal Theo Becker é visivelmente perturbado. Não sei se ele ta com alguma síndrome de abstinência ou se ele é estúpido daquele jeito mesmo. O cara tem a capacidade de dizer pra “mulher Samambaia” ( que acha ruim qdo a tratam assim, pq parece que a diminuem...bem, isso comento depois) que ela é uma vencedora de ter voltado da eliminação, mas que já é uma vencedora anteriormente, por que entre milhões de espermatozóides ela venceu...PQP, colocarem um ser desses num programa que boa parte dos diálogos são ao vivo, é mancada da Record. O neguinho é surtado. Quanto aos outros participantes com o tempo, se tiver paciência de acompanhar comento. O resumo do programa é que quanto mais “famoso”, mais barraqueiro é povo.
O novo quadro da Regina Casé no Fantástico é simplesmente espetacular. Quando ela volta a veia cômica do “TV Pirata” é garantia de que brilha. Os temas abordados semana passada e essa semana, foram hilários. Ontem ri muito com a história das comidas que são tendência e as que não fazem mais a cabeça do povo. A massificação do Salmão e o abandono do cajuzinho foram sensacionais, sem deixar de mencionar o curso para enólogos emergentes.

O cinema nacional está cada vez mais forte e criativo. Os escritores brasileiros estão sendo adaptados para o cinema e sendo muito bem produzidos. Para quem ainda não teve oportunidade de conferir “Divã” fica a sugestão. O filme é leve, divertido, dramático e nos faz refletir sobre diversos aspectos da nossa vida. Lilia Cabral da um show, como só ela consegue. Rouba a cena até dela mesma. Tem momentos que a gente se pergunta, será que isso é texto, ou ela encaixou aí para fazer uma graça? É uma pena que não temos um prêmio com a mesma proporção do Oscar para recompensar o talento desses atores.

Marília Pêra está em cartaz em São Paulo com uma peça que deve ser um show. Engraçado que calhou de falar sobre um tema que se aproxima muito do mito da internet Susan Boyle. O texto é sobre uma mulher feia, que achava que cantava. Baseado num personagem real Florence Foster Jenkins, ela mostra mais uma vez o porque de ser uma das melhores atrizes do país. A diferença entre Susan Boyle e Florence, é que a segunda era bilionária, e por isso as pessoas a respeitavam mais. “Gloriosa”, está em cartaz no teatro Procópio Ferreira em SP.


Uma coisa que eu não entendo são certas mancadas que a Globo dá. Ontem no programa chato do Faustão colocaram um coreógrafo velho e insuportável para julgar os casais que dançam ( gosto desse quadro do programa, acho bem produzido). Pô todo mundo ta vendo que o pessoal não tem jeito para isso. São artistas que se prestam a esse papel por ter contrato com a Globo e muitas vezes não conseguir dizer não. Jovens com contratos flutuantes não podem desagradar a casa por que acham um mico participarem do Faustão. Até aí acho que todos entendem. Ontem tiveram que apresentar uma coreografia de dança Indiana. Em minha opinião deram um show, mas o velho imbecil que não sei o nome, não entrou no espírito da brincadeira e deu nota 6,0 para a maioria. Porra deixe esse velho em casa. Certas pessoas não têm espírito esportivo, não entendem o que é TV.


Estou começando a gostar da voz de Danni Carlos. Ela tem alguma coisa interessante na voz que ainda não descobri.

É isso...falei bastante hoje. Boa semana a todos.

abração


3 comentários:

Gustavo disse...

Adooooooooooro Divã!
Assisti neste final de semana, chorei e dei inumeras risadas de doer o maxilar.

DEMAIS!!!

Recomendo também A Mulher invisivel, ADOOOOOORO Selton Melo e em papel d egente louca, ele tira de letra HAHAHAHAHA!!!!

Bjunda

Vitor Kesyt disse...

Cara eu ou louco pra ver divã
aiiiii Tou desisperado procurando dinheiro de onde nao tem..
pra ver o filme!
valeu cara !

JuNiNhU disse...

A tv aberta é mesmo uma porcaria. Raramente tem algo bom, e realmente o cinema brasileiro está inovando um pouco, até que enfim saíndo das favelas do Rio de Janeiro,mas parece que as relações incestuosas no cinema tbm. estão em alta.

A festa da menina morta, do começo ao fim, e alguns outros.

Vai entender...

Abraços e aparece.