IGNORÂNCIA

"O pior da ignorância... é que... à medida que se prolonga, adquire confiança.”

Esse é basicamente o mal deste século, a ignorância. Mas não falo da ignorância de estudo, daquele que por problemas sociais, físicos ou mentais está impedido de se engrandecer culturalmente, e quando falo em cultura, não quero dizer “arte” e sim vivencia.

A ignorância que me refiro é a do fino trato, da forma como se interage dentro da sociedade. Falo dos ricos, dos inteligentes, mesmo dos mais miseráveis, daqueles que não tem tato, nem visão do próximo. Aquele que a ignorância está revestida de arrogância, aquele que se julga mais que o amigo ao seu lado. Falo dos que se intitulam “empresários”, e na verdade são carcamanos insensíveis e cegos. Falo também do político que subestima a inteligência de seu povo falando asneiras e prometendo fantasias, e do povo “astuto” que ludibria seu próximo e se deixa levar por promessas ocas.

A ignorância esta diretamente ligada à pobreza de espírito. Identificamos o individuo pobre de espírito facilmente. É aquele amigo que se julga “o bom”, é aquele chefe que não da valor ao suor de seu funcionário, desvalorizando suas ações, renegando o salário pago em detrimento de um acumulo de riquezas pessoais. Esses são os ignorantes de espírito. Os que humilham o funcionário, os que ainda vivem na era do “tirar vantagem”. Esses são os ignorantes doentes, o câncer da sociedade.

Pessoas desse tipo estão em desuso, mas não percebem. O mundo se renova a cada minuto. Mentes novas aparecem, idéias novas surgem, mas esses “ignorantes” não compreendem, por que estão preocupados com seus mundinhos, olhando diretamente seus umbigos, e amanhã quando finalmente resolvem olhar pra frente, se vêem num precipício, impedidos de alcançar aqueles que caminhavam a seu lado.

Falo também da ignorância dos que acreditam perfeitos, que discriminam o “diferente”, seja ele por sua opção sexual, sua condição financeira, sua incapacidade física, sua idade ou o que for. Falo desses indivíduos, que as pencas surgem em nossa trajetória. A esses o sentimento é de pena, por que a insensibilidade do preconceituoso o impede de enxergar ou se emocionar com o mais simples que a vida oferece.

O sentimento de que “fazendo sua parte o mundo um dia será melhor” as vezes desanima, por que olhar para a cara de um ignorante, que você sabe vai morrer assim, é desalentador. Mas como bons brasileiros que somos, por que temos a esperança inserida no DNA, viramos as costas, ou olhamos para o lado, e assim ao enxergar semelhantes, conseguimos seguir em frente, por que o fato inquestionável é que existem ainda muitas, mas muitas pessoas que fazem o mundo valer à pena.

Bom fim de semana a todos.

É uma judiação dizer que esse animal é o simbolo da ignorancia.

Um comentário:

Mike disse...

Ainda bem que você colocou uma legenda embaixo da foto da mula porque eu já ia xingar! Concordo que a mula é tudo, menos ignorante!

Não sei o que motivou você a escrever esse post, mas sei que você, de ignorante, passa longe...

Abraços, meu amigo!