E os filhos crescem

Quando se reúne a família, e primos, tios, sobrinhos se reencontram, é dificil assimilar que as crianças cresceram. Ontem mesmo eram bebês, e as festinhas eram embaladas ao som de Xuxa. Hoje estão casados, e logo também terão seus bebês.


Isso me fez lembrar esse poema que escutei há alguns anos. É um resumo de nós filhos, e de nossos filhos, sobrinhos...e tudo mais.


Os filhos crescem.
Aquela coisa mais querida do mundo de repente tem opinião.
Derrama por querer a sopa toda,
não pára de chorar, de pura raiva.

Os filhos crescem.
Querem entrar no grupo que não os quer,
pedem briga, dão gritos pela rua
a clamar "eu sou" por não saber quem são.

Os filhos crescem
e ficam diante de si,
como num ringue.
Vão se bater até beijar a lona?
Se duvidarem, vão.

Os filhos crescem.
Desenha-se a existência em cada um.
Os pais ficam olhando, que fazer?
E mesmo quando acertam,
que é que muda?

Os filhos crescem
e não adianta querer dar tudo,
nem mesmo a alma.
Eles desejam outras almas, são outros.

Os filhos crescem.
Sem ler nossos romances para eles,
se metem em capítulos inéditos.
Já não são nós, se sentem vitoriosos.
E continuamos eles...
Os filhos crescem -
Paulo Hecker Filho


O pior é que os sobrinhos também crescem, já não basta ficar pra titio, eles ainda tem que crescer?...rs

boa semana a todos


Um comentário:

Homossexual e Pai disse...

lindo poema! não conhecia! mnha criança já nãoé mais criança, que um laptop, não corre mais me abraçar!
as coisas mudam e agente tem que mudar junto!