SERÁ QUE A REDE GLOBO É MESMO BANDIDA?


Uma grande empresa precisa de profissionais competentes que analisem o mercado e o mundo em  volta, não no que concerne a atitudes de uma geração, e sim ao que se passa na cabeça e hábitos recentes do um determinado grupo.

Os chatonildos pseudointelectuais do nosso país descem a lenha na Rede Globo dizendo ser uma maquina de manipulação de opiniões. Deixa-se iludir ou ludibriar aquele que tem preguiça de pensar. Assisto Dexter, nem por isso sou um psicopata, vejo o desenho do sitio do pica pau amarelo e não me considero um velho bobo. Curto novelas como todos sabem e nem por isso sou alienado. Portanto deixa-se conduzir aquele que não sabe opinar sobre nada. É dever nosso como cidadão pesquisar, ler, interagir com outros e ter opinião própria, o que impossibilita o cabresto.

Enfim, esse discurso de candidato a  representante de classe de colégio é apenas para defender a emissora ( não ganho nada com isso) que resolveu colocar seus profissionais antenados para finalmente entrar no mundo moderno, e interagir com um publico que não suporta mais ser enganado e ludibriado com programas baratos e sem conteúdo. Exemplo disso é a baixa audiência de Salve Jorge, que insistindo numa formula batida, cansada, amarga criticas seríssimas em todos os cantos, e um péssimo ibope.

The Voice Brasil foi um sucesso. Uma escolha certeira e bem produzida, assim como o Canto da Sereia e por ultimo o seriado de Miguel Falabella, que estreou nessa ultima quinta feira e trouxe personagens incríveis, com potencial enorme para nos divertir. Alguns vícios do autor continuam presentes, mas no geral a ideia é agradável, com texto dinâmico e atuações memoráveis já no primeiro episódio. Tudo é surreal, desde uma babá morta/viva que fala as coisas do nada, até uma Marilia Pera impagável, ex-atual-alcoólatra, uma filha que ganha dinheiro tirando a roupa para tarados na internet e a vizinha maluca que tomou um copo de amaciante achando ser milk-shake. O ponto baixo é o ator Daniel Torres, que ainda tem o mesmo timbre de Toma lá da cá. Mas no frigir dos ovos, uma belíssima produção.

Se reinventar no mundo de internet e atrair a atenção do publico jovem que circula em redes sociais e transforma pessoas em mitos da noite para dia, é um mérito a ser aplaudido. Não digo que está 100%. Claro que a programação de 24 hs diárias ainda carrega lixos que poderiam ser dispensados. Alguns péssimos humorísticos ( do Eduardo Moscovis, e os Caras de Pau, por exemplo) poderiam desaparecer da tela, mas pelo menos vejo dentro de um contexto a preocupação em inovar. Hoje os meses de férias são recheados de novidades, diferente de alguns anos atrás onde éramos obrigados a assistir reprises exaustivas até o mês de abriu. Falo da Globo por que é única de canal aberto que percebo esse interesse. A Record está uma vergonha, Bandeirantes aposta apenas em Mulheres Ricas e o SBT tem seu mico de circo eterno, Silvio Santos, que ainda atrai publico por que as gerações o descobrem a cada década e se divertem com sua mania de manipular a emissora de acordo com seu bel-prazer.

Não deixando de mencionar o sucesso de Avenida Brasil, que monopolizou as redes sociais e fez com que o publico voltasse para a TV e deixasse de lado um pouco os games e bate papos inúteis de internet. Isso é se reinventar, não há duvida. Um caminho grande a ser percorrido, num liame que ditará daqui alguns anos se houve mais acertos que erros.

Uma emissora acusada de não investir em novidades deu a cara a tapa e jogou no ar Fatima Bernardes , que na minha opinião está ótima, e também apostou na popularidade de Regina Casé, e finalmente aposentou Didi, que amarga seus últimos domingos no ar.

Não sou defensor publico da Rede Globo, e nem quero entrar no âmbito da manipulação de opiniões que os jornalísticos apresentam, falo apenas do entretenimento que é a diversão de 80% da população que não possui renda suficiente para uma TV a cabo.

No mais, espero ansioso pelas novidades de Adenóide, Odete Roitman, Giussandra e outras figuras bizarras de Pé na Cova.

Bom fim de semana a todos.

5 comentários:

Oda Moura disse...

Na verdade, eu acredito que a Globo (e nenhuma outra emissora de canal aberto) não tem mais escolha. Hoje, as pessoas têm o que fazer. Se não está interessante, mudo de canal, vou para a internet, vejo um filme. A Globo finalmente decidiu ouvir o público (vimos isso muito bem em Avenida Brasil, onde o telespectador/internauta até chegou a escolher quem ficaria cinza no fim do capítulo). E isso é muito bom!

Como qualquer outra empresa, as emissoras tem que ouvir seus consumidores. E trabalhar para eles.

Mr. TV disse...

mto bom seu comentário! assino embaixo!

mr. tv

Fred disse...

Rafão... perfect o teu texto, meu caro. Super concordo. Passei toda minha faculdade de comunicação (período cenozóico) escutando esse blá-blá-blá-whiskas-sachê-de -pernil sobre vilania da Globo. A Globo é uma empresa e como empresa - claro que - tem uma ideologia a defender. Não é santa (qual empresa é?) mas tem (com algumas exceções) uma grade de programação de altíssima qualidade!!! Hugzones!

Arsênico disse...

Quem odeia a Globo ou determinados programas são esses que querem ser mais ou melhores que os outros. Só porque conhecem todos os filósofos da vida acham que sabem de tudo. Aí você vai conversar com a pessouãn e percebe que ela não tem assunto. Fica tão bitolada em um tipo de leitura que assuntos mais banais ou de conhecimentos gerais ela não conhece.

Já a grande maioria vai na "rabeira" porque pensa que é chique detonar tudo o que é destinado à massa. Patético.

***

;)

Turismóloga disse...

Engraçado que todo mundo fala mal da globo, porém assistem-na.

Só da boca para fora. Detesto hipocrisia.

Ultimamente, não tenho assistido TV. Mas, não tenho problemas nenhum em sentar no sofá e ganhar alguns minutinhos assistindo algum programa da toda poderosa.

Sei muito bem separar as coisas. Aliás, tenho opinião e nem tudo o que dizem por lá, tacharei como simples verdade..

Beijos!