A GENÉTICA DO MAU CARÁTER


Certo dia, o senhor com quem trabalho disse algo, comum, mas que ainda não tinha ouvido e passei a compreender, como se me fosse dado o poder supremo, atitudes, personalidades e o modo de ser de algumas pessoas. Dizia ele:

Não se engane por que mangueira dá manga.

Essa é uma das verdades do mundo, mas felizmente não é regra. Algumas pessoas nascem com caráter duvidoso tendo pais extremamente honestos. Pode acontecer também que num cesto cheio de boas maças uma já nasça podre. Às vezes você identifica uma personalidade nefasta apenas observando seus progenitores.

Incrível o quanto de mau-caratismo essas pessoas herdam de seus pais desonestos.  Tudo camuflado numa aura de bom menino(a), mas se visto sem a emoção do momento, não passam de hipócritas que se fazem de coitados para levar vantagem.

A inveja, senhora das desavenças, é um gene que vem as sobras em algumas pessoas. A mão leve de outros, que se apropriam de bens achando que nunca irão ser percebidos é um traço de personalidade quase sempre herdados dos pais. Engraçado de tipos assim é que se descobertos choram, esperneiam e transformam as situações em duvidas que no fim das contas ninguém consegue concluir o culpado.

Não compreendo por que alguns vivem olhando a grama do vizinho, preocupando-se se ela cresce verde, se está bem aparada, mas em momento algum essas pessoas, que passam seu tempo cuidando da vida alheia, saem de suas casas pra recolher o cocô que algum cachorro fez na grama verdinha que ele tanto inveja. Personalidades assim já no berço demonstram sua monstruosidade.

Citando um exemplo até certo ponto mórbido: minha sobrinha mais nova tem varias amiguinhas da mesma idade com as mesmas características, gostos e brincadeiras. Mas lá entre elas havia uma, que por unanimidade era rejeitada pelo grupo. Uma garota que fazia intrigas, quebrava as bonecas das outras, destruía qualquer brincadeira a qualquer momento. Justamente essas atitudes que fazia a seleção natural. Era deixada de lado por não se enquadrar nas maneiras normais de meninas de 8 anos. Pois bem, essa garota machucou mais de uma vez as amigas até o ponto de fechar uma porta na mão de uma das pequenas e decepar lhe os dedos. Horrível? Sim, péssimo! Tratando-se de crianças, e o pior, intencionalmente,  o que foi mais chocante para todos em volta.

Essa menina crescerá sem limites para destruir ou machucar quem quer que cruze seu caminho. Sei disso por que conheço adultos com essa mesma falta de noção do que é certo ou errado. Já vi mulheres prejudicarem uma noiva no dia do casamento por inveja, outra que roubou algo de valor sentimental de uma prima para fazê-la sofrer e tantas outras coisas que analisadas em profundidade cheguei à conclusão que eram traços herdados de pai ou mãe. Fora o descaramento, a mentira, o jeitinho de tirar proveito e tantas outras coisas passadas por mamadeira aos filhos.

O certo é identificar esses tipos e fugir, por que não há limites. Pessoas assim não gostam de ninguém, não tem apresso a nada, são quase psicopatas, se não os forem mesmo de verdade. Querem tudo para eles, o que é deles, o que é seu, o do vizinho e tudo mais que possam abraçar e “possuir”. Às vezes apenas pelo fato de ter, porque depois da conquista, jogam de lado e partem pra outra.

Abraço a todos e ótima semana

Ps.; estou um tanto ausente dos blogs por que preciso de rotina para corrigir um texto que será enviado para um concurso literário, isso tem tirado o precioso tempo que dedico a leitura e comentários. Peço que me desculpem. Em breve retorno.

10 comentários:

Cesinha disse...

Gente... é isso mesmo? Decepou os dedos propositalmente? Aí tem que procurar ajuda rapidinho... Não sei até que ponto essas coisas são genéticas. Aliás, é muito "cômoda" essa explicação... exime o "sujeito" de pressões morais. Deve ser um mix de coisas, como tudo na vida.

Beijos

PS: Eu já estava ficando preocupado com sua ausência.

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Ainda bem q o motivo da ausência é justificável ... pensei estar havendo algo ... Elian ainda me perguntou ... "algum problema com o Raphael? Não tenho visto em seu blog!

Entendo como vc. Nem sempre os pais precisam sem bandidos para os filhos o serem mas o não saber criar é um problema sério. Tenho um exemplo disto aqui no condomínio ... um garoto insuportável, um "demônio" mesmo ... mas a culpa é dos pais q não impõem limites, pelo contrário ... fazem e permitem o q o garoto quer ... ele já não tem o menor respeito por eles ... outro dia presenciei algo q fiquei pasmo ... estava sem o celular na hora, pois ia denunciar ao Conselho Tutelar. Levavam demônio para a escola, ele batia o pé e gritava q queria ir no porta malas do carro ... a mãe e o pai insistiam q não podia pois ele já havia machucado uma vez por isto ... o demônio gritava e venceu ... lá foi ele no porta malas trancado ... imagina se alguém bate na traseira deste carro ... olha a confusão arrumada para quem, às vezes por um vacilo comete este deslize ...
Fico revoltado com pais assim ... amanhã vão chorar e ficar se lastimando ... onde foi q eu errei? Mas enfim ... a vida é assim ...

bjão

Albuq disse...

Oi Rafael!
Engraçado é como esse tipo de comportamento é percebido desde quando criança, mas na maioria das vezes os pais não conseguem ou não querem enxergar. Conheço crianças assim, com um desenvolvimento emocional perturbado, mas os pais não veem. bjss e boa sorte no texto!

Fred disse...

Índole. Muita gente tem problema com isso... hehe! E meu caro, criança pode ser de uma crueldade que me espanta às vezes... incrível!

Deixa eu te dizer agora sobre teu comment sobre Alhzeimer... se meu texto te tocou podes ter certeza que a recíproca é verdadeira... fiquei emocionado com teu relato sobre tua vó e me senti muito próximo a ti. Muito obrigado pelas palavras e por enriquecer o post com teu depoimento.

E o TPM é nosso, menino! Portanto, sinta-se à vontade para citar, copiar, indicar, repostar o que quiser, okay? Abração!

Margot disse...

Fael.... na totalidade eu não concordo com vc não. Como disse o Bratz, muitas vezes a culpa é da criação sem limites, mas como disse o Fred, a índole de cada um é como se fosse uma entidade própria. Existem pessoas de caráter duvidoso(porque afirmar mesmo é um julgamento a que não temos direito), que nada tem a ver com o caráter dos pais. Vemos isso de montão. E tem o contrário, pessoas boníssimas que vieram de famílias totalmente desestruturadas...
A generalização é perigosa. Precisa-se analisar caso a caso.
abraços.

tesco disse...

Concordo com a Margot: A genética não tem a ver com isso. Na genética se herdam tendências e não qualidades. Pelo que se sabe, os pais de Hitler, não eram sádicos. O mesmo vale para a genialidade, que compuseram os pais de Mozart?
Na astrologia aparece o mesmo equívoco, tendências existem, mas só se desenvolvem qualidades através de dedicação (para o bem ou para o mal).
_Abeaço.

Anônimo disse...

Só passei entender quando me vi nessa situação. Acho que sou mau caráter. Percebi que desde criança tenho esses tipos de comportamentos e não quero isso pra minha vida. Não quero decepcionar mais os meus pais, que são as pessoas honestas e ponho a mão no fogo por eles. Não quero perder as pessoas que gostam de mim mas cada pesquisa que faço, a própria psicanálise fala que não tem cura, isso me deprime. Só você sendo um mau caráter pra saber o que se passa com a gente. Espero que a psicanálise esteja enganada. Espero que tenha cura para tal.

lua Nova disse...

Recentemente passei por uma situação muito ruim com uma pessoa que dizia me amar e até me tratava bem. Mas descobri cada coisa triste e no final, ele disse que era porque estava vivendo e que até tentou fazer as coisas certas mas que achava ética muito chato.
O triste é que tenho relatos de que o falecido pai era uma pessoa narcisista e cruel, e ele desde pequeno apresentou desvio de caráter e agressividade e as pessoas achavam que era coisa de menino levado. Ao crescer, ele conseguiu disfarçar o mau caratismo com gentilezas e uma aparência de boa pessoa.
Só faz destruir.

corpo e saude fisioterapia e academia disse...

Às falhas dos pais prejudicam o caráter dos filhos.

Sollange Fernandez disse...

Boa noite. Estou a pensar, qual seria a atitude sensata de uma mãe preocupada com possíveis desvios de carácter de seus filhos.
À priore, quero expressar minha admiração por expor um material tão esclarecedor e que nos leva a uma reflexão sobre toda a temática da vida na linha do tempo e suas construções emblemáticas de personalidade.
Gratidão.
Solange.