EEEEEPPPAAAA!!! COMIGO NÃO!

Como bem diz a pensadora Valesca Popozuda: “Desejo a todas inimigas vida longa”. 

Graças a algum plano divino acredito não ter inimigos. Acho que alguns desafetos a gente coleciona durante a vida, e com 41 anos, já se tem um pouco de história pra contar. Mas apesar disso, não possuo inimigos declarados. 

Tenho meu jeito de ser, muitas vezes circuncisfláutico (adoro essa palavra...rs), e as pessoas confundem com antipatia. Não sou antipático, disso eu tenho certeza, só não perco tempo com gente que não agrega nada. Sabe aquele tipo superficial como nata de leite? Então, esse pessoal ( que aqui em Campinas ganha à pecha de “campinóide, em Sâo Paulo, quatrocentões, no Rio, Carioca da gema) me cansa. Não há o mínimo de paciência para esse tipo de ser humano. E paciência é a virtude do meu caráter. 

Caso tenha inimigos, esses disfarçam bem, por que não mostram as garras. E fico feliz por não precisar usar o escudo de Jorge neles. Rs rs rs. Agora, os desafetos!!! Putz...esses carrego num baú enorme. Gente que como disse me acha antipático, e aí pegam implicância. A cara feia bate e volta, por que não tenho medo disso, e quanto mais sei que irrito, mais irritante fico. É ótimo provocar os outros com nossa existência soberana....rs. E melhor ainda são os outros acharem que você não tem problemas, não tem infelicidades e que toda a grama do seu jardim é verde. E sabe o que é melhor ainda? Se a grama dessas pessoas também forem adubadas e crescerem mais que a sua. Por que aí eles continuam te odiando, mas com a ideia que você sofre com isso. 

Inimigo bom é inimigo feliz!!! 

Não tenho ainda a brandura de alma de rezar pelos que me detestam. Prefiro rezar para os que amo. Aquela coisa de dar a outra face é complicada demais. Quando o tapa dói à vontade é de dar outro, e geralmente é o que fazemos, revidamos a altura. Deve ser errado, por que não seria bíblico oferecer o outro lado pra pancada, mas sendo de carne e osso, mais carne que osso ultimamente...rs, é difícil abnegar-se de um revide. 

Conheço gente (que sei que me detesta) que passa boa parte do seu tempo vital pensando em como prejudicar os outros. E olha que já fizeram muito mal por aí. Mas paro e penso: qual o fim de cada um desses? Posso dizer que não há necessidade de esperar o fim, os meios já demonstram que maldades não ficam estampadas apenas em retratos de Dorian Gray, na vida real elas suplantam a beleza física e revelam-se em rostos carcomidos pela inveja e desprezo pelo próximo. Nem toda pessoa feia é um doce por dentro, a maioria ficou feia por viver a sombra dos outros, querendo aquilo que não lhes é de direito. E não posso ser hipócrita de dizer que não existe gente feia, existe sim...e muito. 

A idade traz sapiência para não gastarmos cartucho à toa. Dou garças por chegar a essa conclusão bem cedo. Não quero e nem vou perder meu tempo com assuntos que não geram frutos. Não quero saber quem morreu, só quero é chorar!!! 

Mas para espantar mal olhado, sigo o conselho de Dani Calabresa e canto: 

Beijinho no terço, que o diabo passa longe. Beijinho no terço para afastar a tentação!!! 

Boa semana a todos, feliz por que já começamos sem a segunda feira detestável! 

5 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

#fato ... tô contigo!

Alexandre Barreto disse...

Aos inimigos desejo luz, bastante luz!
Quem sabe assim eles esquecem de mim.
Acredito que tenho alguns, todo mundo tem um espírito sem luz de estimação...
Como diria meu amigo projota (Inimigos não coleciono, não me relaciono,
Não me emociono por eles não sinto nada!).
Ótimo texto Rafa!

Gera Souza disse...

Olha Rafa, tô contigo... descobri que tenho muitos desafetos e até alguns "inimigos camuflados", se é que isso é possível! Rsrsrsrs
Mas o que mais tem me deixado encafifado é o que aqueles que outrora acreditava serem amigos, se debandaram e nem me procuram mais! Será que sou eu o problema? Vai saber né...hehehehehe

Jose Antonio disse...

Eu gosto de quem não pratica a falsa iluminação.

bjs

jair machado rodrigues disse...

Querido Rafael, adorei este post, vejo uma reflexão que sempre me atormenta, não sou a pessoa mais simpática do mundo, mas ao mesmo tempo sou super amistoso, mas não sei porquê arrumo desafetos, principalmente no ambiente de trabalho, mas como cavalo em 7 de setembro vou....e andando e sendo aplaudido rs. Li já algumas vezes este post e pretendo dar mais umas lidas, gosto como tu escreves.
ps. Carinho resperito e abraço.