FILMES DEPRESSIVOS

Não costumo contar o final de filmes e abomino quem o faça comigo. Mas ultimamente tenho tido azar na escolha dos títulos que assisto em casa.

Baixo boa parte das películas pela internet, claro, aquelas que demoram a passar no cinema, ou que não valem o ingresso. Filmes conceituados, com boa produção, prefiro ver na telona. Por dois momentos nos últimos tempos errei na opção “entretenimento”

O primeiro filme que reservei um tempo unicamente pra ele ( correria de fim de ano me fez ter pouca paciência pra filmes) foi “Pronta para Amar” com Kate Rudson. Me arrependi amargamente. Achei que pelo histórico da atriz veria uma comedia romântica, algo que necessitava quando escolhi o filme. Estava meio down e precisava rir um pouco. Erro gravíssimo. O filme é dramático, mórbido e ao invés de me alegrar, me fez chorar uma bacia de alumínio de lagrimas. Nada valeu a pena, apenas o choro, que por fim aliviou um pouco a angustia sem sentido da época.

Ontem estava em casa, sozinho, chateado, pensando na semana que iniciava e nos problemas a resolver então escolhi um filme no pen drive, edredom, óculos e a vontade de dormir bem após um bom filme. Optei por Anne Hathaway  por que sempre é garantia de diversão, e a estreia da semana me fez acreditar que havia feito uma ótima escolha. “ Um Dia” é um drama onde a atriz pouco brilha. Na verdade o filme não é de Anne e sim de Jim Sturgess( do filme Across the Universe) que me faz sempre lembrar da bela voz do moço.

Um casal que se desencontra na vida e traça histórias paralelas, costuradas pelo tempo e por um amor que não fica claro se realmente existe. Para finalizar o filem não agrega nada, e sim, te deixa mais deprê que nunca. Pra quem procurava diversão, perdi meu tempo, e como sou um chato, que não abandona filme no meio, assisti até o fim.

Não curto muito essa de atores fazerem filmes comerciais por que os estúdios obrigam. Anne é uma grande atriz e trem pisado na bola em suas escolhas. Vê-la num filme quase “B” é ter certeza de um talento desperdiçado.

Não recomendo. Alias, dou nota 3 ao filme. Mas como gosto é subjetivo, pode ser que encontre alguém que acredite ser o filme da vida...rs

Boa semana a todos...abraços.

5 comentários:

Paulo Braccini - Bratz disse...

eu havia notado o problema q deu na postagem ... mas deu para ler toda ... era só selecionar q todo o texto ficava visível ... pensei até q era intencional para passar um pouca da raiva para nós ... kkkkk

como disse adoro filmes q me fazem chorar bacias ... rs

bjão

Solange disse...

ai Rafa..
to precisando chorar bacias, sabia?
já anotei o nome...rs

bjo! Sol

Luna Sanchez disse...

E eu pretendia assistir esse no cinema, Rafa...

=\

Beijos.

Mr. TV disse...

eu gosto de filme q faz chorar kkkkkkkkkk abs

Luck® disse...

Vou ser indelicado com seu depoimento ao assistir "Pronta para Amar", mas a verdade é que foi muito engraçado ler "me fez chorar uma bacia de alumínio de lágrimas".

Não podia ser em outro lugar; Tinha de ser na bacia. Não podia ser uma bacia qualquer; Tinha de ser de alumínio.

Nota 10 para a dramaticidade. Não sei se sua ascendência é italiana, mas se for, eu diria que é resquício de "drama de mãe italiana". A minha mãe era craque! Não é mais porque a gente (somos 3) logo "corta" quando ela começa e então passou a fazer raramente).

Assisti aos "filmes de minha vida". Uns me fizeram chorar e outros rir alto. Houve os "cults" também. Pra alguns, houve o "Vale a pena ver de novo".

Mas será que "os filmes da sua vida" continuam sendo, pra sempre? Hoje eles não causam mais o mesmo sentido/ efeito em mim.

Vai ver, devo ser "alien", mas o melhor filme da minha vida em 2005 foi um; Em 2008, outro.

Pode ser que um certo "estado de espírito" ajude a fazer do filme, um filmão.

Se for assim, Kate Rudson fez valer ao menos umas lágrimas suas: havia uma RAZÃO pra procurar rir um pouco, eu sei, mas aos SENTIMENTOS precisam motivos?