A vida começa aos 50

Vou pegar o gancho dos últimos acontecimentos para falar sobre um assunto que inevitavelmente um dia teremos que pensar: a velhice.
Ontem ouvi a crônica feita por Pedro Bial para a eliminação da participante Naiá. Se o BBB não agrega em nada no conteúdo, há de se convir que pelo menos nos textos ditos pelo apresentador toda terça-feira existe uma coerência, uma bagagem cultural, política, social e humana. Um investimento do tamanho do BBB para Globo não poderia ficar entregue nas mãos de um André Marques, por exemplo.

Bem, mas voltando ao foco. Uma verdade dita por ele é que hoje a vida começa aos 50. Um cidadão, homem ou mulher de 40 anos é um jovem, tanto em aparência, quanto em disposição física. Acabou aquela pecha de olhar para uma pessoa que está próxima de ser um 40tão e concluir que a sua vida será resumida brevemente a uma cadeira de balanço, filhos e netos. Sim por que a menos de meio século alguém com 45 anos era um senhor de maia idade.
Puxo para o assunto a prematura morte de Clodovil para que possa discursar em paralelo os dois acontecimentos. Naia é uma avó que se recusa a ser velha. A capacidade de enxergar a vida deveria fazer dela sabia. Mas o contato exacerbado com a juventude ( no caso do seu confinamento com pessoas de idade bem inferior) a transforma na dona da “verdade”. Verdade essa que não existe, como nunca existiu para Clodovil. Um sujeito taxado de polêmico por que dizia o que pensava. Espera um pouco, “verdade” é algo subjetivo. A idade não dá o direito da pessoa se achar melhor que outro mais jovem. A capacidade de discernimento de uma situação é igual para ambos, o que muda é a forma de agir apenas. A imaturidade, a ânsia do jovem atropela muitas vezes a razão, e faz dele um sujeito que “erra”.
Os jovens estão hoje puxando responsabilidades para suas costas e amadurecendo muito cedo. Ter 23 anos por exemplo é ser uma criança. Vamos esticar a linha do tempo da sociedade de hoje. Se um homem ou mulher aos 50 ainda é considerado jovem, porque o garoto(a) de 20 e alguma coisa tem que encarar o mundo com tanta responsabilidade, como se isso fosse imprescindível para seu amadurecimento. Quando digo isso, não quero falar que devam ser idiotas, alienados. Isso tem as pencas em qualquer geração, mas sim o fato de envelhecer o jovem prematuramente, tirar a inocência de um período que não vai voltar mais. O que temos hoje, são jovens entre 17 e 25 anos, carentes de atenção, sobrecarregados de tarefas e problemas sociais, enquanto ele deveria estar vivendo o fim de sua adolescência com cautela.
Ser velho no Brasil é ser jogado a margem da sociedade. Por isso hoje evitamos esse envelhecimento. Naiá, com toda sua experiência de vida, o tanto que sofreu ( segundo dizem) ficou guardado com ela. Não se utilizou dessa experiência para competir, por que se o fizesse, teria decifrado rapidamente cada um dos adversários e permanecido no programa. Mas para ela o limite da convivência, do tentar ser jovem, chegou ao fim, voltou para a realidade.
Clodovil se foi ainda jovem, mesmo aos 71 anos, porque sua capacidade intelectual estava aquém da idade e não deveria ser lembrado pelos atos polêmicos e sim pelo que representou ao Brasil no âmbito da moda. A verdade que ele pregava era equivocada, por que alguém só pode ser senhor da palavra quando está resolvido internamente, e não era o caso dele, que passou uma vida inteira repudiando sua homossexualidade. Dele devemos traçar outro perfil. Foi o profissional que fez a moda ser vista no país. O embate de Dener e Clodovil nas décadas de 60 e 70, sua popularização do Prêt-à-Porter é o resultado do que vemos agora. Hoje o povo fala de moda, entende uma SPFW, por que lá nos primordios da decada de 80 ele estava na TV, num programa diário, explicando para dona de casa simples, como ela deveria se vestir, se apresentar,quais tecidos e tendencias. Foi sim um pioneiro. Falou o que quis, ouviu também muito desaforo. Sua incompreensão estava justamente no que quero deixar claro aqui, na idade. Ninguém deve ter dito a ele que o fato de ser um senhor de 71 anos não lhe dava o direito de minimizar a capacidade de um jovem. Infelizmente foi-se mais um mito.

Quando atingimos uma determinada época da vida, as coisas ficam tão claras, tão nítidas. Amadurecer é ótimo. Envelhecer é exuberante, mas saber amadurecer a mente é complicado.
A cobrança social sobre o jovem é tão prejudicial que na vellhice teremos corpos conservados, diposição pra escalar o Everest aos 80 anos, mas uma mente decrépta, cansada, esgotada pela idéia de que ser velho é ser sabio. Essa sapiciencia existe, estão os orientais aí pra dizer. O que não temos mais é um mundo calmo, com passos curtos, um mundo que você enxergue da mesma forma hoje e amanhã.
A natureza é sabia. Nunca se teve tanto relato de Auzheimer na população mundial. É o acontece, simplesmente a maquina desliga.

Abraço a todos.

Ps.: desculpem o texto longo.

8 comentários:

Serginho Tavares disse...

eu nem vejo esse BBB mas se tem uma coisa que eu acho um saco sem tamanho é quando o pedro bial fica falando aquela bobajada toda! nessas horas eu sinto falta de um andré marques!

Jarbas disse...

tenho medo de ficar velho. fato!

Fabiano (LicoSp) disse...

Eu acho que hoje em dia jovens de 10/12 anos já estao mais sobrecarregados de compromissos que a anos atras.
É uma cobrança para tudo.

Assino em baixo de tudo q c falow, mas que ainda existe muito preconceito da sociedade quanto a idade existe... vc ter trinta e ser uma criança, ser alegre, espontaneo, para muitos ainda é uma afronta... vc deveria ficar em casa , no sofá, vendo Faustão e Jornal Nacional.

Já ouvi e as vezes ainda ouço muito disso qdo comento meus gostos e atos.


but... fuck the world.

cya

Gustavo disse...

Hello There!!!

Texto foi longo, mas na medida certa, surfei ao ler o mesmo.

Você tirou muitas palavras da minha boca.
Hoje em dia tudo é assim em um "Plin", digo porque vivo essas coisas diariamente e manter-se ligadoa tudo é dificil, muito dificil.

Idade chega, vc envelhece, mas no final mesmo sempre iremos nos perguntar "E o que levamos junto a nós?"

Vou ver se exterioriso o pensamento hoje no blog.

Bjunda e elegancia como sempre Rafa, ADOREI!

Mike disse...

acho que nós nos cobramos muito e regulamos demais nossas atitudes, o que acaba deixando a gente cansado nao iomportando a idade...

eu me cobro o tempo todo pq acho que se eu relaxasse um pouco seria um fracassado, o que não é verdade...

tomara que isso signifique que comigo o ritmo vai ser diferente, a maturidade vai me mostrar como aceitar mais meus próprios erros... isso ia ser maravilhoso!

Cara do Blog disse...

Acho que no mundo onde estamos vivendo a idade é uma coisa ja menos considerada, muita gente tem a idade que não aparenta ter.

Verdade é que a idade chega pra todo mundo, inevitavel.

Beijão.

Assistir ontem "Quem quer ser um milhonario", o principal tem o nome de Jamal, lembrei de vc.

J. M. disse...

Longo, mas maravilhoso. Adorei seu paralelo entre velhice e juventude, sobre o que fazer ou não da vida, e em que idade. Eu digo por mim mesmo. Nas vésperas de completar 24 anos, sinto que já vivi tanto... Talvez as responsabilidades, os sofrimentos, as oportunidades perdidas. Talvez eu precise mesmo viver mais o fim da minha adolescência...se é que posso dizer que estou nessa fase ainda.

Marcos disse...

Eu posso me considerar um afortunado porque não tive essa cobrança da idade quando eu tinha 24 -26 -28 anos... sempre fui meio irreverente, e quando percebi com meus 30 e poucos que estava ficando chato, dei uma revirada na minha vida.... e hj com a base no seu texto ainda ganho 5 anos para começar a viver... eu me permito falar bobagem, e rir de mim mesmo... e de boa... a maioria dos meus amigos da minha idade são chatos demais.... por isso eu acabo tendo amigos mais jovens...

O clodovil foi uma grande figura no cenário nacional e conforme conversamos pessoalmente... após sua morte ainda foi marginalizado pela mediocridade da mídia na informação e homenagens mais do que merecidas... não para ele... porque certamente ele desprezaria... mas para os milhões de pessoas que gostavam dele....

abçs