QUEM MATOU TAÍS?

Os crimes cometidos em novelas deveriam ser revelados pelo menos 3 dias antes do capítulo final. Assim todo mundo tinha tempo de assimilar quem foi o assassino e os motivos. Esse negócio de revelar tudo cinco minutos antes do termino do capítulo é chato. Além de que acaba concorrendo com outros tantos finais de personagens. Casamentos, mulheres parindo ao mesmo tempo, pessoas fazendo as pazes. São quase oito meses de novela pra tudo ser resolvido em 50 minutos. É a formula?...eu sei...mas é chata.

Dizem que "Paraíso Tropical" é o segundo menor ibope da década. Para todas as novelas eles dizem a mesma coisa. Só que a imprensa pára cada vez que se coloca em questão uma pergunta como essa, " Quem matou Taís ". Desde Odeth Hoitman que Gilberto Braga pára o país para desvendar um assassinato em suas novelas. Será que isso é sinônimo de falta de ibope?

É verdade absoluta que a Globo mantem o melhor nível de teledramaturgia da tv brasileira, tirando uma e outra falha, como a péssima escolha de a "Pedra do Reino" com sua câmera nervosa, ao estilo "aqui agora", como minissérie comemorativa em homenagem a Ariano Suassuna. Mas oq quero dizer é que produções da Rede Record estão ganhando projeção, como é o caso de "Caminhos do Coração". Novela bem dirigida, bela iluminação, bom som, e algumas interpretações hilárias. São todos ex-globo, mas até aí o que importa? O bom é que em dia de futebol chato na Globo, de globo repórter com matérias fracas, tela quente com filme de segunda categoria o negócio é dar um pulinho na record e conferir o desenrolar da história.

A novela é totalmente fora da realidade, com seus mutantes. Mas a globo ja fez vampiros, ja criou bang bang, já fez sucesso internacional com saramandaia. Por que outra emissora não pode usar da licença poética.

Ponto alto da novela: Uma cena com Fafá de Belém ( que está se revelando como atriz) cantando "Maria, Maria" ( Milton Nascimento), vendo a filha ( Bianca Ranaldi) no entrada do circo, após ser libertada da prisão. Emocionante.

Ponto baixo da novela: Cláudio Heinrich como gay e sua trilha sonora de "Robocop Gay" dos mamonas assassinas. Ridículo. O rapaz ja tem cara de bobo, com uma batata quente na boca a lá Beth Faria, uma franjinha caída no olho, estilo EMO. Acho que é o único deslize do autor. Em emissora evangélica, personagem gay ainda tem que ser caricato.

Inauguro minha coluna sobre TV....espero que haja visitas suficientes para debate...rs rs rs

2 comentários:

Denise disse...

Oi Rafa... pô bacana... tá com cara e estilo de jornalismo! An Cultural Blog... my friend!! Adorei. Boto fé que a Globo vai te descobrir. Dê

Anônimo disse...

Tá, vc acha que o assassino deveria ser revelado antes do último capítulo certo? Mas e aí? O que passaria no último? Acho que ficaria muito...Malhação. Mostraria os personagens acordando, tomando café, dizendo que vão tomar banho...conversando coisas banais?