A INADIMPLÊNCIA DO AMOR

Não existe relacionamento amoroso fácil. Mente quem diga que vive ou viveu um mar de rosas  na dura tarefa da convivência diária de um casamento, da rotina de um namoro, da paciência de uma amizade. Problemas surgem e são necessários para um refinamento dos sentimentos. Tirando a traição, o resto é contornável.

Vejo casais se formando e tendo DRs cedo demais. Acho imprescindível o dialogo. Aparar arestas é o que faz os relacionamentos durarem. Saber os limites do outro é importantíssimo. Mas aí vem aquela cobrança gratuita de sentimentos. Mulheres ( não generalizando) se doam mais e se sentem frustradas por que o parceiro não retribui a altura do que ela almeja. Dou um exemplo familiar, intimo. Minha mãe era o tipo de mocinha que lia fotonovelas. Criou uma expectativa sobre príncipes encantados que não encontrou em meu pai. Eles se gostaram, se casaram, mas ele não era o tipo de cara amoroso, grudento, lambão. Demorou muitos anos de casamento para que ela compreendesse que não existia aquele tipo descrito nas fotonovelas. 

A realidade era mais dura e ela não esperava por isso. Mas acabou entendendo o jeito dele de ser, a forma de agradar que não era com cartas românticas, flores e serenatas. Viveram por quase 50 anos juntos. Hoje, viúvo, é que ele a entendeu e talvez tenha se arrependido de não ter tentado ser um pouco daquilo que ela idealizou.

Sou um bom ouvinte, não sei se bom conselheiro, mas consigo compreender o emaranhado em que as pessoas se metem. Estar fora de uma situação da clareza. Mas difícil é convencer as pessoas que estão erradas.

Não sou a favor da compra de amor. Qualquer relacionamento que se baseia em ganhos financeiros está fadado ao fracasso. Homens que cobrem mulheres de presentes, mulheres que compram o amor dos caras dando mais do que podem inevitavelmente cobrarão preços altíssimos somados de juros. Entre os gays, vejo caras sendo uma farsa montada. Belas roupas, belos carros, mas sem uma única grama da capacidade de se relacionar por longos períodos. Um círculo vicioso de busca e fracasso.

Não se pode usar as experiências pessoais para determinar que você sabe tudo sobre amor. Cada relacionamento tem uma impressão digital própria, por que se trata de outro diferente daquele ultimo, do penúltimo, e assim por diante, de acordo com sua incapacidade de manter namoros ou casamentos por longas datas. Trocar muito de parceiros vicia...rs. Dá apenas para não cometermos os mesmos erros, caso sejamos expertos.

Admiro imensamente casais que conseguem atingir, 10, 20, 30, 40  anos juntos. É quase metade  da nossa vida adulta, e conviver diariamente com alguém, dormir e acordar, saber cada passo, cada linha que aquela pessoa escreve e ainda assim querer continuar tudo isso no dia seguinte é uma dadiva que todos merecemos.

Pessoas se frustram tão facilmente, apenas por que não conseguem enxergar que o relacionamento tem que se basear em confiança, respeito. Tudo o que for acordado e definido por ambos tá valendo. Não pode é comprar e não pagar. A inadimplência do amor faz com que o outro cobre, e a cobrança começa pequena, mas os juros crescem mais que cartão de credito, e chega um momento que a divida é tão grande que fica insustentável manter o amor, e ele morre.


Boa semana...abraços

7 comentários:

Jose Soares disse...

O CERASA do amor está repleto de não pagantes.Listas infinitas de nomes que assinam contrato com financiamento de anos e desistem nos primeiros meses com a premissa de enfado ou então por perceber que não teriam como pagar......

Muito linda sua analogia!
bjs

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Amar e relacionar não é algo fácil mesmo não. Pactuar certos códigos, alimentá-los em princípios de harmonia, compreensão, cummplicidade e transparência é algo q o SER, na mairia das vezes, não está preparado ... principalmente nos dias de hoje ...

Beijão

jair machado rodrigues disse...

Meu caro Fael, o amor e seus mistérios...estou vivendo uma experiência real na minha casa, sabes que perdi meu pai a pouco tempo, me transferi no trabalho para poder ficar mais perto de minha mãe, mas não é possível todo dia, como gostaria, então tirei umas férias para estar mais com ela, já que é recente esta perda. Hoje só acredito no amor vendo a vida que tiveram meus pais, minha mãe, como a maioria das mulheres é romântica ( eu também, só que decepcionado), sempre percebi que eles se amavam de verdade, o que não impedia de brigarem, lembro quando era pequeno, meu pai era safadinho, mas depois tomou tento e se dedicou a nós exclusivamente, para felicidade de minha mãe. E por ter vivido isso acho que relacionamentos me assustam, estou só há muito tempo. É uma zona perigosa, um pântano, onde não sabemos onde pisamos, e só o tempo vai firmar um caminho ou nos afogaremos em alguma areia movediça e ponto final de mais um romance.
No meu caso à medida que o tempo avança me vejo mais só ainda, estou ficando velho e com manias, não tolero mais conversas fiadas só para ter alguém, então nos dias de hoje será minha solidão eterna rs, esta difícil conversar, não que eu seja um gênio, não sou, mas as pessoas estão preocupadas com coisas que não me dizem nada, busco minha essência, meu eu verdadeiro (parece bobagem rs, mas busco me encontrar). Um post que me levou a pensar em várias vertentes, mas acalmou meu coração, com relação a minha mãe. O mundo não está perdido, existem pessoas que pensam e eu tenho a sorte de ler, obrigado.
ps. Carinho respeito e abraço.

FOXX disse...

não me sinto capaz de opinar sobre este assunto.

Homem, Homossexual e Pai disse...

perfeito seu texto! vai de encontro ao que acredito e penso, eu sou um romantico incuravel e aprendi q o amorencolve muito TRABALHO e construção... e quando conseguimos isto é otimo! grande abraço! parabens!

Gera Souza disse...

Adorei seu texto..faz um tempinho que não entro aqui.. me permita opinar:as pessoas se frustam porque criam expectativas que na maioria das vezes não serão preenchidas! Mas a culpa é sempre de quem as criou. Tambem acredito que cada relacionamento tem sua propria impressão digital e que cada um se adapta ao outro como exatamente ele é. Só que isso se aprende convivendo, é preciso tempo, O que acontece nos dias de hoje é cada vez mais temos pressa de tudo! E aí perdemos o essencial: é preciso construir a relação "tijolo sobre tijolo" para que haja uma boa estrutura. Meu relacionamento com o Meloso é totalmente atípico de tudo o que eu vivi até então. Posso dizer que nestes 12 anos, passamos por tudo, menos por traição. Mas hoje, somos tão maduros que vivemos uma relação aberta. E cada vez mais sentimos necessidade de estar e quere ficar um ao lado do outro, com suas alegrias, manias e rabugices!!!

Daniel Andre disse...

Bom dia Fael!
Estou conhecendo o seu espaço através de colegas de blogue em comum. Parabéns por tudo ! O texto é excelente e diz muito sobre a necessidade em querer que o outro se doe um pouco mais nas relações, conforme as nossas expectativas. Minhas relações, tanto com homens, quanto com as mulheres, sempre foram sólidas, regadas de amor e porque não, umas brigas e outras? O fator principal, é um saber se condicionar com o outro, e na medida do possível, deixar o orgulho de lado, e enxergar a necessidade do ser amado. Creio que o caminho é esse.

Um grande abraço, já te sigo.
Dan
http://gagopoetico.blogspot.com.br/