A TARA DO VIZINHO É SEMPRE PECADO...

Retomando os trabalhos em 2014. Ya estoy de vuelta!!!

O primeiro post merecia um diário de férias, mas como já estou velho pra isso, vou apenas dizer que esse recesso foi preenchido com muitos filmes, livros e diversão honesta de gente grande...rs.

Quero iniciar falando sobre “Ninfomaníca” o tão falado filme de Lars Von Tries que ganhou cômicos pôsteres brasileiros, que reproduzo durante o texto, por que acho muito mais engraçado que os originais.

Para quem ainda não assistiu, fiquem tranquilos, por que não costumo contar filmes e desfechos. Acho falta de respeito por que sempre há aquele que não sabe da história e acaba perdendo o interesse quando alguém bate com a língua nos dentes.

Mas o título já diz tudo. Ninfomania não precisa ser descrita, nem verbalizada, todos entendem o que significa. Vendo a personagem principal, alias uma belíssima atuação da atriz Stacy Martin, que se entrega sem pudores as mãos de Lars, entendi muito mais do que apenas a sua necessidade física. A Ninfomania, no meu ponto de vista, é  uma psicopatia presente em outras esferas humanas. A necessidade da satisfação sexual engloba inúmeros outros problemas de ordem pessoal que torna difícil estabelecer a condenação a mulher “vitima” dessa penúria.

Nunca conheci uma ninfomaníaca, nem soube de alguém que tivesse problemas parecidos. Mas conheço outro tipo de ninfomaníaco ( vou generalizar o título), aquele que não consegue ser feliz. Apesar de uma vida ótima, financeira, emocional, familiar, o sujeito não consegue se sentir feliz. Não há nunca uma satisfação pela conquista. Falta sempre algo, e essa busca é psicótica. Destroem  quem está por perto, alienam o cônjuge, subjugam a capacidade dos filhos e assim minam tudo o que possa parecer “felicidade”. Um dia as pessoas em volta percebem, se desacorrentam e somem. Muitas vezes digo: tem que saber a história do velho no asilo para entender o porquê do abandono. O ser humano não é tão solidário como pensamos.

A personagem principal de Lars clama: eu não sinto nada, eu não sinto nada!!! Pois existem pessoas que realmente não sentem nada. Para quem leu “mentes perigosas” da Ana Beatriz entende e associa a frase “não sentir nada” com muitas pessoas ao nosso redor. Ninfomania é um tipo de psicopatia sim (que me perdoem os psicanalistas) por estar associando uma coisa a outra sem estudo especifico, mas me vem a mente exatamente esse tipo de conclusão. A Ninfomaníaca está preocupada única e exclusivamente com ela. Não se importa com quem a está servindo sexualmente. Aliás, a necessidade de vários parceiros explica muito bem essa carência. Muito parecido com o que fazem os jovens de hoje em balada. “Pegam” várias, e não se prendem a nada e ninguém.

Todos temos, talvez, uma ninfomania dentro de nós. Maridos não são suficientes para algumas esposas e vice versa. O que difere é o senso de moral que impede de sair por ai procurando parceiros em cada esquina. Não colocamos o sexo em primeiro plano como a pessoa acometida do mal, mas sabemos da frustração da vizinha, da prima, da irmã e muitas vezes da mãe que respeitosamente a transformamos num ser assexuado.

O sexo faz parte da vida, e acho que estamos numa era em que se pode tranquilamente discutir as insatisfações da cama com o parceiro, antes que o padeiro ou o leiteiro faça às vezes...rs.

O brasileiro não dialoga, não tem o costume de conversar. O homem quer: cerveja, mulher e futebol. Elas querem: cartão de credito, uma cintura enxuta e filhos que não deem trabalho. Quando se deparam com alguém bem resolvido sexualmente imediatamente a excluem do grupo. Ninguém quer ver o sorriso de satisfação e alegria estampado no rosto alheio!

Menos conversa e mais calcinhas e cuecas no chão.

Abração e ótima semana pra todos.

4 comentários:

Oda Moura disse...

Palmirinha <3

Teago disse...

Fiquei curioso, alias mais curioso sobre este filme..
Já quero ver...

Mabe disse...

Ótimo texto!!!
Eu conheço algumas, ou uma em especial, que se encaixa perfeitamente na descrição que você fez...e posso te confessar, realmente depois de um tempo as pessoas se afastam...eu me afastei, aos poucos tento retomar a amizade, mas já percebi que não funciona...

Infelizmente concordo contigo...as pessoas hoje em dia não conversam...querem cama e sexo, depois um cigarro ou cerveja e partem para outra...e o ciclo se repete...infelizmente.

Um grande abraço. Até mais.

Liza Leal disse...

Gostei mto do texto.
Seu blogue é bem interessante.
Voltarei mais vzs.
=)

bj
.
L.L.