Que Deus salve a América, e não se esqueça de nós.

Ouvi Contanza Pascolato comentando hoje pela manhã sobre a elegância do casal Obama, e fiquei pensando sobre o assunto.
As gerações que antecederam a minha, digo, de pessoas com mais de 40 ou 50 anos, sabiam portar-se com mais finesse. Acredito que da minha geração em diante, o mito da elegância foi se esvaindo e descendo pelo ralo.
A elegância segundo Constanza ta na pessoa, não na roupa, no estilo de se vestir. Quando se enxerga o indivíduo e não a roupa, é por que o conjunto transformou-se em algo elegante. E vamos combinar, elegância não se compra, se nasce.
Mas podemos também comparar a elegância com educação. Ser elegante será sempre primordial para a convivência entre seres vivos. O cortejo de um pássaro a sua fêmea é elegante, a roçada de um leão na fêmea tem que ser elegante, para que ela o aceite, então por que o ser humano tem que voltar a épocas primitivas e achar que falar alto em publico, maltratar subalternos ou pessoas mais simples é sinal de poder. Para se ter poder, também precisa ser elegante.
Barack Obama é hoje a personificação de um homem elegante. Não falo pela sua formação, por sua capacidade intelectual, falo do seu olhar comedido, do sorriso discreto, bem colocado. Falo de seu tom de voz audível e inteligível. Muitos podem alegar que isso é marketing, que há assessores o treinando. Tá concordo, pode ser sim. Mas digamos que nosso presidente Lula também tem poder e dinheiro para tanto, mas continua com sua voz de taquara rachada e a língua presa. Sem falar em Hugo Chaves, que além de cafona, não tem resquício sequer de educação e elegância. Então, concordemos mais uma vez, a pessoa nasce elegante.
A elegância traz o carisma, e é o que vejo em Obama. Um aceno de mão, uma quebra de protocolo, tudo isso ganha proporções histéricas no povo. Estamos vendo o inicio de um estadista que tem a missão de mudar o mundo. Não negamos que já estamos divididos no antes e depois de Obama.
Isso não deveria influenciar a nossa vida, de brasileiros lutadores, que mantém o sorriso e a esperança em meio ao caótico mundo “Brasil”, mas como somos pulverizados de cultura americana, e infelizmente respiramos EUA, temos sim que nos importar com o que se passa lá. Os efeitos de um governo ruim no terreno dos nossos irmãos ricos, nos afeta mais do que uma guerra imbecil entre judeus e palestinos. A isso nada mais podemos fazer do que lamentar, e rezar para que ambos não destruam o mundo.
Sinto-me tão orgulhoso de Obama, quanto o povo americano, e mais, uma pontinha de inveja, de uma primeira dama tão bem preparada e intencionada como Michelle.
Que venham novos tempos.

4 comentários:

Mike disse...

Querido, fala a verdade:

Só de olhar os dois, vc fica bem. Eles juntos são perfeitos.

Concordo com tudo o que disse... mas ainda acho que está cedo para se dividir em antes e depois de Obama... ainda não mudou nada, né? Vamos ver se a mudança será (e espero que seja) significativa!

Abraços... precisamos conversar pelo msn, estou atolado agora, mas logo varamos uma tarde! :-)

Rico E disse...

Realmente eles são um casal elegante! Espero que novos ares e atitudes pairem sobre a Casa Branca. E que todos entraremos numa nova conjuntura mundial.
Um abraço,
Rico E

Serginho Tavares disse...

essas coisas vem de dentro
vem da pessoa querer também

abração

Gustavo disse...

Um post no minimo Elegante Rafa.

Tenho adorado o caminho todo percorrido por Obama, confesso que no começo adoraria que fosse Hillary, mas Obama está a altura da loira.

E elegância, bom Michelle também sabe esbanjar elegancia e o melhor de tudo, além de elegante tem cara de que será uma Primeira-Dama primordial o que digamos nada mais Digno certo?


Bjunda