QUAL O PREÇO DO PERDÃO?

Encerro minhas atividades profissionais hoje. Volto só em 2015. O que fica para trás? Um monte de coisas, mas pelo menos a sensação de tarefa cumprida carrego para o ano que vem, na mochila.

E a vida pessoal?

Vai bem obrigado, alias, melhor do que sempre esperei e desejei. Ótimo!!!

E o que gira em volta, como está?

Péssimo...

Em todos os anos de vida, de natais passados, de espirito de fraternidade pregado pelas religiões, este ano pude sentir e ver as mais abjetas manifestações de desamor. Não sei o que há com o ser humano. Quanto mais passa o tempo, mais ele desce, chafurda, e com o focinho sujo de lama, ergue-o numa manifestação de orgulho pelos atos cometidos.

Tenho característico em mim o perdão fácil. Não odeio as pessoas que me fazem mal, muito menos perco tempo da minha vida desejando que elas se ferrem. Não, não há necessidade. Acredito em algo que a ciência já provou, o mundo é redondo. O cosmo, Deus, a natureza, ou seja lá o que rege esse planeta e nossas vidas, “ELE” se encarrega de mostrar e tirar satisfações no devido tempo.

Aí penso: Natal é época de paz, amor e de darmos aos outros um pouco do que é bom dentro de nós. Essa é a lei maior. Mas não, as pessoas parecem zumbis esfomeados por cérebros passando por cima de tudo e todos. Simplesmente amassam cabeças no asfalto. Nas ultimas semanas presenciei coisas decepcionantes em relação ao ser humano. Talvez por ser uma época sensível. Não me repito, não gosto, mas é bom que deixe claro para que as pessoas entendam o “estar sensível”. Quando se perde alguém de muito importância na vida, as datas mais comemorativas são difíceis, ainda mais quando o tempo não amenizou as feridas.

Tentei colaborar de diversas formas. Dei conselhos, atendi fornecedores desesperados para receber (o que não lhes é devido), tomei partido em algumas situações, fui educado demais para não magoar outros, e no fim conclui que  tudo girava em torno dos outros...nada era para mim.

Então defino o seguinte: esse ano de 2014 foi melhor que o de 2013, fato ( 2013 entra como o pior já vivido por mim até hoje) e nele logo em breve, ali pro dia 31 vou apertar o botão que to esperando faz tempo: o foda-se.

Não que começarei 2015 desapegado de tudo que deixei pra trás, não…apenas entendi que algumas pessoas não valem o sacrifício. Darei prioridade máxima aqueles que agregam, que me trazem beneficies, que gostam de mim gratuitamente. Ano novo será para desapegar de gente que não me respeita, que confundem gentileza com burrice. Ahhhhh, nada como a canseira de um ano difícil para que tiremos a fórceps as mascaras de alguns.

Chega de ser bonzinho com quem não merece. Chega de consideração com quem te olha com desdém. O perdão tem um preço, e sei qual é. Pelo menos hoje compreendo qual esse valor, mas alguns ao redor não enxergam. Fingem de inocentes, mas carregam punhais que são cravados no abraço fraternal. Esses não faço questão de carregar comigo pra um novo ano.

Mesmo assim, com essa lamuria toda de final de temporada, eu continuo crendo que o ser humano não é de todo ruim, ou quem sabe não são todos ruins. Há sim as almas que fazem parte de uma seleta turma de querubins.

Amo o natal. Por mais que sabotem o meu...rs. Amo iniciar um ano novo, mesmo não descansando da forma necessária. Amo as pessoas que me amam, e pra elas desejo tudo que a vida possa criar de fantasia, sonhos e encantamentos, por que sem isso, tudo é escuro, xoxo, e sem nexo.

A todos vocês amigos conhecidos e desconhecidos...um natal sensacional...e 2015 grandioso.

Como de costume, segue abaixo o meu vídeo anual de felicitações.

Abraços e até breve...

7 comentários:

Silvia Brunherotto disse...

Rafa como sempre escreveu muito bem!
Concordo contigo e faço votos para que seu Natal e Ano Novo sejam maravilhosos!!!
E agradeço por passar mais um ano desfrutando da sua amizade =)
Super abraço e um enorme beijo!
Da sua amiga Silvetty!

Marcos disse...

Rafa, texto ficou ótimo e devo confessar que as pessoas estão cada vez mais egoístas e cruéis e o espirito natalino não pode morrer...
Prefiro morrer acreditando nas pessoas do que desistir....
Abraço
Feliz 2015 e tudo será melhor...
Marcos

Ro Fers disse...

Acho que temos muitos que aprender no decorrer da vida, e uma delas é o perdão, de forma pura e espontânea, no entanto, infelizmente eu não aprendi a agir desta forma, mas espero sim, poder ser mais tolerante e perdoar com mais facilidades.
O natal é uma ótima época para reflexão.
Abraços!

Rafael Leoni disse...

A coisa que mais me impresiona não é o pior do ser humano, mas o melhor que existe de humano sobreviver em um meio inóspito!
Isso é uma das maiores provas de força que existe!
Feliz Natal e um 2015 cheio de gentilezas!
Bjs

Jose Soares

jair machado rodrigues disse...

Feliz Natal mui estimado Fael.
ps. Carinho respeito e abraço.

FOXX disse...

ah, eu sempre acho que o perdão deve ser dado sempre, mesmo se a pessoa for reincidente. Até porque se a pessoa começa a fazer sempre a mesma coisa errada, vc já sabe que ela vai fazer, se confiou o erro foi seu né?

Gera Souza disse...

Rafael amigo... mando vibrações positivas para que seu ano, nosso ano, seja de imensas realizações, aprendizados e crescimentos...recheados de alegrias, saúde e muito amor!
Somos eternos sonhadores e acreditamos num mundo melhor!
Grande abraço!!